Todos os Episódios

Olá, aqui é Vanessa Carvalho tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”
No episódio de hoje vou falar sobre: Amor e Dependência Emocional.
Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos
gratuitos e ainda concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana?
Pra ter acesso a tudo isso basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos além de concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.
E se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX no (vanessacarvalhoespecialista@gmail.com) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.
Bom, vamos a dica de hoje.
CONTEÚDO
Na dica de hoje vamos falar sobre: É amor ou dependência emocional?
Você está no seu relacionamento por que ama, ou, porque a sua felicidade depende do seu
parceiro, ou parceira?
  Estar num relacionamento por amor torna tudo ser mais leve e fácil, você está ali para fazer o outro feliz, afinal você já é feliz e não projeta a sua felicidade no outro, não importa quem faz mais pelo relacionamento por que juntos vocês somam, no amor existe a segurança, não há manipulação, a opinião do outro soa como forma de cuidado e carinho, o amor não pede nada em troca.
Mas... deve-se ter um cuidado quando esse amor vai pesando e você coloca a sua felicidade
 na responsabilidade do outro, muitas cobranças começam a existir, insatisfações, medos, inseguranças, e tudo isso pode afetar o convívio no relacionamento.
Criamos laços afetivos profundos com quem nos cerca, e fica mais fácil enfrentar as dificuldades naturais e culturais da vida quando compartilhamos conhecimentos e experiências. Porém, o excesso de cuidado e a necessidade do outro para tomar decisões importantes podem ser sinais de alerta, a isso podemos chamar de: Dependência Emocional.
A dependência emocional além de afetar o relacionamento afetivo ela também pode se manifestar com amigos e familiares. Assim como nos relacionamentos essa questão afeta o convívio e desgasta relações sociais.
O dependente emocional projeta as suas expectativas no outro, ele torna se um ser vazio que precisa ser preenchido por alguém, a sua felicidade depende quase que exclusivamente do seu parceiro ou parceira, as suas escolhas devem ser determinadas ou aprovadas pelo
 outro.
O sentimento de medo é uma emoção muito presente, já que o dependente emocional não sente segurança para assumir a responsabilidade pela própria vida. Da mesma forma, é comum que uma pessoa com esse quadro apresente um grande receio de tomar decisões erradas e de sofrer rejeições.

  Quando você se torna codependente do seu parceiro ou parceira nada além dele, ou dela tem importância, família, filhos, trabalho, relações interpessoais, o foco é o parceiro somente ele pode fazer você feliz.
A pessoa passa a não ter mais vida própria, tudo o que ela pensa e faz gera em torno da sua parceria, ela não é capaz de ir tomar um sorvete sozinha, ela sempre precisa do outro do seu lado.
 No amor cada pessoa deve ser capaz de crescer no relacionamento. Isso implica que todos estão livres para se expressar, que não têm medo de expor as suas falhas e fraquezas. Essa confiança mútua é libertadora e permite que as duas pessoas expressem todo o seu potencial. No amor não há espaço para controle porque um encoraja o outro a considerar novos objetivos e o apoia para alcançá-los.
Já na dependência emocional, ao contrário, muitas vezes se torna uma prisão. A pessoa dependente quer que o seu parceiro passe mais e mais tempo ao seu lado, seja totalmente submetido ao relacionamento, esquecendo os seus próprios sonhos e projetos. Assim, o relacionamento acaba esmagador, obtendo o pior dos dois.
Essas são pessoas que não conseguem viver sozinhas não estão a procura uma alma gêmea, mas apenas de alguém para preencher o vazio. Ela se relaciona com alguém, simplesmente porque tem medo de ficar sozinha.
 Estar sozinha é um momento, estar num relacionamento e estar feliz por ter aquela pessoa ao seu lado também é normal, o que você não precisa necessariamente é ter que estar um relacionamento afetivo para estar feliz, a sua felicidade é você quem faz acompanhada ou não de outra pessoa.
Quando se coloca essa “obrigação” no outro, estamos gerando, de maneira equivocada, cobranças e frustrações que não contribuirão em absolutamente nada. Por isso, orgulhe-se por ser a pessoa que erra e acerta, mas que, sim, é dona da sua própria história!

 
Jamais mude algo em você para agradar outra pessoa. Tenha sempre em mente que, se o seu parceiro ou parceira t escolheu você, foi porque gostou de você exatamente do jeito que você é. Se essa mudança for sugerida por ele ou ela, avalie, e repense os seus valores e posicionamento na relação, tenha confiança em você.
Na fase da paixão não queremos desgrudar um minuto um do outro, mas devemos nos
atentar ao mundo que existe fora do relacionamento afinal temos outras pessoas que nos amam e precisam da nossa atenção.
E se você percebeu que está numa relação de dependência emocional e não de amor, avalie e respeite as suas necessidades e limites. Colocar um ponto final pode ser a chance que você tenha de evitar passar por sofrimentos e problemas desnecessários.
E aí gostaram da dica de hoje?
Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.
E claro, se você gostou, assine nosso podcast na plataforma que você esta ouvindo, deixe seu comentário, classifique com sua estrela, agora no spotfy você pode classificar com as estrelas, então se você gostou de suas estrelas e, no Lembre-se que desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante pra vocês e se de alguma forma ajudo vocês.
E não se esqueça, se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX no (vanessacarvalhoespecialista@gmail.com) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.
Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#419 - É amor ou Dependência Emocional?

#419 - É amor ou Dependência Emocional?

Olá, aqui é Andréia Girelli tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”
No episódio de hoje vou falar sobre relacionamento acomodado X Relacionamento na Rotina.

Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos gratuitos e ainda concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana?
Pra ter acesso a tudo isso basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos além de concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.
Bom, vamos a dica de hoje.
Na dica de hoje vamos falar sobre......
SEU RELACIONAMENTO PODE ESTAR ACOMODADO OU TER ENTARDO NA ROTINA?
 Primeiramente vamos entender o que é relacionamento acomodado e relacionamento na rotina:
Relacionamento Acomodado
Caráter do comodista, de quem evita assumir responsabilidades ou de quem se afasta de dificuldades.
Porque é mais fácil continuar em uma vida que você já conhece mesmo que ela seja medíocre e insatisfatória;
* fazendo as mesmas coisas que você costumava fazer aos finais de semana (sem ter que ficar se preocupando em arrumar companhia pra sair);
* ouvindo sempre os mesmos papos e conversas (mesmo que elas fossem desinteressantes e, possivelmente, recheadas de brigas e discussões);
* cumprir o seu papel na “sociedade” (e aqui entenda sociedade como sua família, amigos e colegas de trabalho) como uma mulher comprometida (porque bancar o papel de solteira perante a sua família ou de suas amigas casadinhas é um papel que você não quer ter que encarar né)?
Relacionamento na Rotina
Modo como se realiza alguma coisa, sempre da mesma forma: rotina matinal. Itinerário, caminho habitual, que se faz todos os dias.
O termo “cair na rotina” quer dizer, principalmente, que o relacionamento sucumbe à rotina do casal, e os bons momentos a dois deixam de ser prioridade no dia-a-dia.
Ao invés disso, o casal passa a viver momentos juntos quando há tempo, e muitas vezes fazem as mesmas atividades, sem nada de novo.
MAS COMO SABER SE ESTAMOS ACOMODADOS NO RELACIONAMENTO?

 1- Pergunte o que faz você ficar com a pessoa:
Se sua resposta for que você nutre um sentimento, que você sente desejo por essa pessoa, que sente saudades dela quando passa algum tempo sem vê-la se, pensa nela em momentos dos eu seu dia a dia é porque existe amor.
Agora se resposta é, porque ele é bom pra mim, porque ele sempre me ajuda, porque a gente se entende, isso é um sinal que você pode estar apenas habituado com aquela pessoa.
2- Observe o relacionamento:
Se você notar que nada mais te surpreende, que por mais que você ou seu parceiro faça não parece que a capacidade de ambos se surpreendera acabou é sinal que estão acomodados. Quando existe amor, existe surpresa, existe vontade.
3 - Brigas que acabam do mesmo jeito:
Quando isso acontece é sinal claro de estar acomodado, quando um casal que se ama briga, tem que existir vontade de estar junto, de superar a briga e não deixar pra lá e ver se esquece.
4- Perceba como você reage quando alguém pergunta pra você sobre o seu parceiro ou sobre seu relacionamento:
Se alguém te perguntar e aí como vão as coisas e você e o fulano estão bem e você responder a tudo bem, na mesma.
Isso é um sinal de comodidade. Agora se você responder que está tudo bem, estamos juntos e continuar o assunto é sinal que tem um sentimento que as coisas não estão na mesma.
5- Se você pensa em se envolver com outras pessoas:
Isso é sinal de que você está acomodado, que não nutre mais sentimentos por essa pessoa.
Está com ela apenas por estar e não abre mão de nenhum compromisso com seus amigos ou outros para estar com seu parceiro.
6- Síndrome do tanto faz:

 Quando no relacionamento o termo mais usado é o tanto faz o comodismo chegou e parou, o tanto faz é o mesmo que dizer que serve qualquer coisa, ou seja, tanto faz pros dois tudo, desde que não tenham que tomar uma atitude.
7- Quer terminar mais não consegue;
Esse sinal é o mais claro de todos que o relacionamento está cômodo. Chegou ao ponto de você nem querer sair dele e nem querer ficar nele.
CONCLUSÃO
RELACIONAMENTO ACOMODADO
Casais permanecem juntos, mas se sentem infinitamente insatisfeitos no relacionamento. Vivem brigando, reclamando e se lamentando um do outro, ou ainda pior, passam a ignorar o outro conversando apenas sobre o trivial e necessário.
Mesmo vivendo juntos, distanciam-se tanto um do outro que muitas vezes se perdem. Porém mesmo com tudo isso não fazem o esforço necessário para mudar ou melhorar seu relacionamento ou vida sexual.
Quando o casal não assume as suas dificuldades, preferindo a postura de expectadores da própria vida, a vida conjugal pode se arrastar por muitos anos, alastrando-se e tomando proporções espantosas.
É POSSÍVEL SALVAR O RELACIONAMENTO?
SIM, é possível que o casal tire seu relacionamento do comodismo, desde que ambos estejam comprometidos e dispostos a tal. Nós como especialistas devemos detectar as dores e resolve-las.
E aí gostaram da dica de hoje?
Me segue nas redes sociais Instagram/Facebook @especialistaandreiagirelli

 Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.
Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#418 - Relacionamento Acomodado X Relacionamento na Rotina

#418 - Relacionamento Acomodado X Relacionamento na Rotina

Olá, aqui é a Especialista Bianca Souza tudo bem com você? 

E hoje a dica é especial algumas pessoas pediram para falar algo neste sentido, quer saber mais fique ai e eu já te falo.

Se é a primeira vez que você esta nos ouvindo e quer receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos gratuitos e ainda concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana?

Basta participe da nossa Comunidade ONE, ela de graça você não paga nada . Acesse comunidadeone.site e se inscreva.  

 vamos lá?

Na dica de hoje vamos conversar um pouco sobre... 

Seja leal.

Bom... como assim seja leal,  o que é lealdade?

	•	A Lealdade é algo que está relacionado a um valor interno, a  lealdade ela atende a um propósito, e o propósito ele esta relacionado a um intenção de fazer algo, aquilo que se busca como um objetivo, uma finalidade de se concletizar.
O que isso tem a ver com relacionamento?
Nós somo acompanhados o tempo todo de perto, por pessoas  bem intencionadas e pessoas más intencionadas, certo?

E muitas vezes sem perceber involuntariamente participamos do efeito manada, sabe quando uma manada dispersa por alerta de perrigo e uma corre e todo rebando segue, é mais ou menosisso que é o efeito manda.

Nos relacionamento também ocorre muito isso, quando estamos com pessoas, rodas de amigas e amigos que um começa as vezes reclamar do relacionamento dos parceiros, tendo atitudes desleais com eles.

Nós acabamos falando e fazendo coisas que no privado não fariamos, coisas que jamais falariamos ou fariamos perto dos nossos parceiro e parceiras, e quando paramos e pensamos nos arrependemos.

Principalmente quando essas atitudes trazem alguma consequencia apara o relacionamento. 

Você ja passou por uma situação assim?

Por esses e outros motivos muitas vezes a multidão e rodas de conversas não é uma boa ocupação, porque ela provocam esse efeito manada, sabe você acaba se envolvendo, e agindo igual no calor do momento.

Por isso as vezes é melhor estarmos a sós do que enm grandes rodas de amigos, principlmente de pessoas que não gostam do seu parceiro ou parceira.

Essa é uma dor que quem tem esse tipo de relacionamento não fala, para evitar brigas, em outros casos as brigas são constantes devido a esse comportamento.

E é isso que esta dica de hoje vem falando, sobre ser leal, muitas vezes não honramos o relacionamento, e deixamos qualquer pessoa falar mau, não protegemos um ao outro.

E depois no particular queremos ser tratados com rei ou rainha, queremos ser a prioridade, merecedores de um tratamento vip, ser atendidos em todas as nossas necessidades, queremos satisfação de tudo,e que as obrigações sejam cumpridas.

Por aquela pessoa que magoamos, porque não todas as vezes mas sempre tem um que chega e diz, as fofocas das rodas das conversas, ai quando perdemos estatus, bate o arrependimento, a tristeza e a solidão.

O interessante é que a maioria daqueles mesmos amigos somem, outros empurram para você pessoas inferiores a que você tinha, que não tratar igual, com o mesmo amor, respeito, consideração, sentimentos e emoção.

Por isso seja leal com seu parceiros e parceiras, temos que abrir mão das coisas que nos separa deles, que ofende que humilha, de tudo que os diminui, para qie ele ou ela tenha uma vida melhor ao nosso lado, para ele ou para ela você pode ser tudo.

 Já parou para pensar nisso?

Para os outros não, por isso renuncias e necessaria,quando se assume um relacionamento, a um preço a pagar, a uma escolha a se fazer a favor de quem se ama.

Você tem que estar disposto ou disposta a se entregar, afinal você esta doando parte de você, por isso ter consideraçao, fidelidade e lealdade, são atitudes necessaria para esse relacionamento dar certo.

Porque uma coisa é certa...se você que esta ou vai entrar em um relacionamento, não estiver disposta ou disposto a abrir mão de alguns habitos ou costume,dificilmente seu relacionamento durara muito.

Então fica a dica de hoje...

Não se importe só com o mparticular se importe também com sua lealdade publica e social a favor do seu parceiro ou parceira, se seus amigos ou amigas realmente gostarem de você eles saberão respeitar quem esta com você.

E lembre-se quem estara com você todos os momentos ali, e seu companheiro ou companheira, sei que reconhecer as vezes que somos desleais não é facil.

Mas hoje temos a oportunidades de recomeçar, mudar os laços para melhor,ame mais essa sua metade, tomar decisões sobre o que você quer é importante,escolher um lado também, esta é a sua vida seja leal a ela, e se coloque sempre um no lugar do outro.

E não façã com o prossimo aquilo que você não gostaria que fizessem contigo.

E aí gostaram da dica de hoje? 


Se você gostou e fez sentido para ou para alguém que você conheça, não se esqueça.
clique agora em compartilhar e envie este podcast. 

Quem sabe não era isso que faltava para aquela sua amiga ou amigo ter aquela mudança procura no relacionamento.

E não deixe de  assine o nosso podcast na plataforma que você esta ouvindo.

E deixe seu comentário.

Desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante para você e se estou ajudando de alguma forma..

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#417 - Seja Leal

#417 - Seja Leal

Olá, aqui é Andréa albuquerque tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”

No episódio de hoje vou falar sobre: gaslight, manipulação da realidade

O termo gasligth se popularizou na década de 40 após uma peça teatral onde o fornecimento de energia da casa dos protagonistas era através de gás e a mesma apagava-se de tempo em tempos e isso começou a ser usado contra a vítima para leva-la a acreditar que ela estaria louca.
E essa é a real intenção de quem pratica esse tipo de abuso psicológico, levar a vítima a loucura ou descontrole total de suas emoções e reações. Esse tipo de abuso gera diversos tipos consequências para a vítima, o principal é que a vítima começa a duvidar de si mesma da sua
 Própria sanidade mental, pois é tudo feito e planejado para que isso aconteça.
Manipuladores emocionais usam diferentes táticas de gaslighting para desestruturar a vítima. Algumas são fáceis de identificar enquanto outras são sutis.

Quando a manipulação alcança um grau extremo e perceptível até para quem está vendo de fora, a vítima já está em um estado muito fragilizado. Embora esteja sofrendo, ela não consegue terminar o relacionamento abusivo com o manipulador.

Além da fragilidade emocional, o que torna a percepção das formas de gaslight complicada é o relacionamento mantido entre o manipulador e a vítima. Normalmente, eles se encontram em uma relação amorosa, ou seja, há uma mistura de sentimentos bons e ruins.

A vítima se lembra de todos os momentos bons compartilhados com o manipulador e se pergunta se não está exagerando, afinal por que alguém que supostamente a ama causaria tanto mal a ela? Desse modo, ela cai em um dilema complexo.

É por essa razão que muitas vítimas não escutam amigos e familiares. Por já terem sofrido muita violência psicológica e por nutrirem sentimentos pelo manipulador, elas relutam em aceitar a realidade. Não é que a pessoa gosta de estar naquela posição desagradável, mas, sim, que não está emocionalmente pronta para compreender a situação.


O abusador mente na sua frente, manipula situações a seu próprio favor, altera situações, em muitos casos é possível verificar, pequenas mudanças de objetos dentro da residência sem que o outro veja, para depois afirma que quem fez as mudanças foi a vítima, tudo isso para que a vítima duvide de si mesma e tenha cada vez menos credibilidade dos outros ao seu redor.

Podemos ver isso claramente no filme a garota do trem, onde o abusador, usa da doença da vítima (alcoolismo) para aumentar e distorcer totalmente a realidade, e fazer com que todos a sua volta duvidem da sua sanidade mental.

Para quem não viu o filme (alerta de spoiler)
Eles são um ex casal, onde, ela está totalmente vulnerável e entregue ao vício. E todos os dias ela pega um trem e passa em frente a sua antiga casa e tenta relembrar alguns acontecimentos enquanto ainda vivia ali com seu marido, que agora já tem uma nova família com mulher e filho, e em um desses dias, ela presencia um crime, o ex marido está traindo sua atual esposa com a baba, E quando ela conta que está gravida ele a mata. Só que a última pessoa que viu a baba viva foi sua ex mulher que tem uma ordem de restrição, onde ela não pode chegar a menos de 500mt dele, tem várias ocorrências contra ela por perseguição, e alcoolismo. E na busca para provar sua sanidade e que na verdade o verdadeiro criminoso é seu ex marido, ela tem que se reinventar e passar muito perrengue até provar a todos a verdadeira face do seu ex que para todos era um exemplar homem de negócios e pai de família exemplar, e na verdade não passava de um criminoso, frio e cruel.
PS: VALE A PENA VER O FILME 

O sinal de aleta principal do gaslight é a negação da realidade por parte de agressor, tudo que sua vítima diz ou faz ele nega com a maior segurança, e distorce sempre a verdade a seu favor, com frases como: você entendeu errado, ou não foi assim que realmente aconteceu, ou você está fantasiando as coisas, ou você está louco / louca.

Como casos em que você o ver em conversas suspeitas com outras pessoas e ele / ela nega, e diz que não é nada demais que você está vendo coisas onde não existe.
E também é muito comum a chantagem emocional, como você ver conversas estranhas, e pedir para ver o celular e ele / ela dizer que você não confia e se não confia não tem porque estarem juntos. Ele usa todos os recursos e amor que você tem em relação a família amigos contra você mesmo. O abusador usa todas as armas que ele tem, todo conhecimento e poder que tem sobre sua vítima os pontos fracos para fazer com que ela mesmo duvide de suas ações de seus pensamento e atitudes.
É possível ver esse tipo de comportamento onde possa existir grandes heranças ou bens a serem divididos e um deles não queira abrir mão, então desacreditar e descredibilizar a vítima a ponto de ela ser considerada incapaz de tomar suas próprias decisões e administrar seus próprios bens.

O manipulador: as ameaças emocionais são constantes no gaslight o manipulador diz que vai tirar seus filhos, que você ficara sozinha se o deixar. Que se você o deixar ele vai tirar a própria vida. E pouco a pouco isso vai se tornando real para a vítima, que fica absolutamente dependente de seu abusador. 
A incoerência também é algo que serve como alerta, o abusador não segue suas próprias palavras, ele possui diversas condutas incongruentes, ele diz uma coisa e faz outra totalmente diferente, ele exige condutas dos outros que ele mesmo não tem. Diz ter valores que seus comportamentos não são condizentes.

Levando a vítima a exaustão mental que reduz sua capacidade de tomar decisões. É um estágio dos mais perigosos para ela. Pois nesse atual estágio a manipulação já é algo tão frequente os questionamentos são diários, que a vítima começa a acreditar que realmente está louca / louco ou com algum problema muito grave e não está de fato percebendo a realidade, e que não tem capacidade de decidir por si só.
A busca por validação nessa situação é imprescindível, como perguntar a amigos se realmente aconteceu determinada coisa como ele te contou, 
Ex: se você realmente deu um escândalo no bar por razão nenhuma?
Se ele realmente disse determinada coisa / ou fez e disse que não fez. 

Prestar atenção nesses casos é fundamental! Ficar alerta, mantenha amigos e familiares o mais perto possível. Procure um especialista que vai te guiar no processo de afastamento e termino desta relação.


E aí gostaram da dica de hoje, então se inscreve na comunidade 


Se este Podcast faz sentido para alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.

E claro, se você gostou, assine nosso podcast na plataforma que você esta ouvindo, deixe seu comentário, classifique com sua estrela, agora no spotfy você pode classificar com as estrelas, então se você gostou de suas estrelas e, no lembre-se que desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante para vocês e se de alguma forma ajudo vocês.

E não se esqueça, se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX no (colocar seu pix) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#416 - Gaslight, manipulação da realidade

#416 - Gaslight, manipulação da realidade

Olá, aqui é Vanessa Carvalho, tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”
No episódio de hoje vou falar sobre: Higiene Masculina
Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos
gratuitos e ainda concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana?
Pra ter acesso a tudo isso basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos além de concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.
E se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX no (vanessacarvalhoespecialista@gmail.com) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.
Bom, vamos a dica de hoje.
CONTEÚDO
Na dica de hoje vamos falar sobre: Higiene masculina, um ato de amor com você e sua parceira!
Ei homens...como anda a sua higiene íntima?
A higiene íntima é um conjunto de hábitos de cuidados com os órgãos genitais: pênis e ânus, afim de evitar problemas desagradáveis como infecções.
 Então, para eu ter uma boa higiene íntima eu tenho que lavar várias vezes ao dia? Não tudo o que é em excesso faz mal.
O exagero na limpeza pode causar um desiquilíbrio na flora local, as bactérias protetoras da região começam a sumir, e para garantir essa camada protetora e o equilíbrio da flora vaginal, indicamos a higienização de uma a três vezes ao dia.
A depilação ajuda ou atrapalha na higiene?
Ela pouco tem a ver com a questão de higiene, a depilação geralmente está relacionada a estética, lembrando que não estamos falando sobre aparar os pelos, estamos falando da depilação com cera ou gilete.
A depilação não é indicada no dia do sexo, isso por que ela causa um processo inflamatório na pele, os poros ficam abertos deixando a pele mais suscetível à infecção e DST'S, é recomendado que após a depilação espere pelo menos 24 h para um encontro sexual.
Porém, se isso não for possível, o ideal é usar um sabonete antibacteriano para reduzir a carga de bactérias antes e depois da depilação, e, depois recorrer a produtos calmantes para a pele. E pedir para o parceiro também usar um sabonete antibacteriano antes do sexo.
Os homens tendem a lavar as mãos depois de urinar, mas é de extrema importância o homem SEMPRE fazer a lavagem as mãos ANTES e DEPOIS de urinar, isso por que as nossas mãos têm uma carga muito grande de bactérias e uma vez que a mão em contato com o pênis aumenta o risco de infecções para o homem.
E você seca o pênis após urinar? Assim como a mulher enxuga a vulva após urinar os homens também devem fazer com o pênis, deixá-lo úmido propicia a proliferação de fungos.
Se você se sentir desconfortável em banheiros públicos, evite usar mictórios, use o box com vaso sanitário lá você terá papel higiênico disponível e sua intimidade preservada para fazer a sua higiene corretamente.
Além de evitar mau odor, a limpeza ajuda a prevenir infecções por fungos, bactérias e o Câncer de Pênis.
A hora do banho é fundamental para a rotina de higiene. Para realizar a higiene adequadamente é preciso retrair a pele que recobre a glande, e lavar com água e sabonete

 íntimo masculino de preferência para tirar toda aquela secreção branca que fica em volta da região.
Essa secreção, conhecida como esmegma, nada mais é do que células descamadas, gorduras e óleos que são produzidas pelas glândulas penianas.
Além disso a hora do banho é uma excelente oportunidade para o autoexame do pênis, assim como as mulheres fazem o autoexame das mamas os homens também precisam fazê-lo.
Mas como é esse autoexame? Você irá procurar por possíveis manchas, verrugas ou mesmo um nódulo mais duro nos testículos. A prevenção é muito importante, segundo pesquisa cerca de 1000 homens têm seus pênis amputados anualmente por falta de higiene.
Os homens que têm fimose ou que já operaram deve ter um cuidado redobrado com a higiene, já que o prepúcio estreita a passagem da glande o que facilita o acúmulo de sujeiras.
É imprescindível lavar o pênis após a relação sexual, para remover o lubrificante do preservativo, resquícios da secreção vaginal e também o restante do esperma que fica no pênis. Isso não garante a proteção total, mas diminui a probabilidade de infecção.
Evitar cuecas sem ser de algodão ou apertadas, trocar a cueca sempre que tomar banho e evitar ficar com roupas de banho molhadas por muito tempo, ajuda bastante na prevenção de infecção por fungos ou bactérias.
Além de causar problemas ao próprio homem, a falta de asseio pode causar problemas aos parceiros sexuais. As mulheres devido a vulva ser mais exposta elas correm mais riscos de contaminação por fungos, bactérias ou DST'S.
Nós somos responsáveis pela vida da pessoa com quem nos relacionamos.
Cuidar da sua higiene íntima é um ato de responsabilidade coma sua própria saúde e da sua parceira.
Mas, quais as consequências de uma higiene íntima mal feita?
Além de infecções e mau odor, a falta de higiene íntima masculina pode acarretar problemas mais sérios à saúde do homem, como o aumento do risco de surgimento do câncer de pênis.
A Balanite também ocorre devido a falta de higiene, mas Vanessa o que é isso?

 Ela é uma inflamação na glande ou no prepúcio, seus sintomas são: coceira, ardor, ou até mesmo dor na glande que fica com a superfície avermelhada e com secreções purulentas;
Além de tudo isso ela pode levar a uma ejaculação precoce, porque com esses sintomas a sensibilidade do pênis pode ficar aumentada, ou a ejaculação retardada por que há casos de homens que perdem a sensibilidade do pênis.
O sabonete indicado para uma higiene completa, que não interfere na flora peniana é o sabonete íntimo masculino com pH entre 5 e 6, essa acidez é compatível com a região íntima do homem, caso não seja possível, optar pelo sabonete de barra neutro.
Já a região anal não tem o mesmo pH do pênis, seu pH é Neuto, então o sabonete usado pra a limpeza peniana pode causar irritação na região anal.
Então vamos lá, o que é preciso para uma boa higiene? Trocar a cueca todos os dias.
Sempre lavar as mãos antes e após urinar;
Após urinar, enxugar a glande com papel;
Lavar o pênis com água e sabão pelo menos 1 vez ao dia e após a relação sexual;
Uma higiene bem-feita além de trazer um bem-estar, ajuda na prevenção de várias doenças tanto para o homem quanto para a parceira ou parceiro.
E aí gostaram da dica de hoje?
Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.
E claro, se você gostou, assine nosso podcast na plataforma que você esta ouvindo, deixe seu comentário, classifique com sua estrela, agora no spotfy você pode classificar com as estrelas, então se você gostou de suas estrelas e, no Lembre-se que desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante pra vocês e se de alguma forma ajudo vocês.
E não se esqueça, se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu

 relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX no (vanessacarvalhoespecialista@gmail.com) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.
Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#415 - Higiene Masculina

#415 - Higiene Masculina

Olá, aqui é a Especialista Bianca Souza tudo bem com você? 

Em mais uma dica do Especialista?

hoje a dica é.... sobre... COMO LIDAR COM A CULPA

Você quer receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos gratuitos e ainda concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana?

Para ter acesso a tudo isso basta que você participe da nossa Comunidade ONE, ela de graça você não paga nada .

 Acesse  comunidadeone.site e se inscreva.  

Bom, vamos lá?

Na dica de hoje vamos falar sobre... 

COMO LIDAR COM A CULPA.

QUANDO SÓ UM QUER TER RAZÃO O QUE FAZER ? 

Você já se relacionou ou se relaciona com alguém que sempre quis ou quer ter razão em tudo? 

Que não aceita estar errado ou errada nunca de forma alguma? 

Ou mesmo tenta o tempo todo fazer com que você se sinta culpado ou culpada? 

E quando você percebe você já esta recebendo e aceitando essa culpa para você? 

É ...é bem complicada essa situação, porque desgasta o relacionamento, vai se tornando um fardo e o desejo de distanciamento desse tipo de 
pessoa vai só aumentando a cada dia. 

De qualquer forma se relacionar é inevitável, seja amorosamente ou em qualquer outra área da vida. 

Temos que estar sempre ciente que a parte mais inteligente emocionalmente falando , saberá contornar estas situações.

Porque a inteligência emocional permite que você veja as coisas de uma forma diferente, você passa atentar mais sobre as necessidades dos outros. 

A analisar as situações , desenvolve a capacidade de mudar o rumo das coisas , por refletir melhor sobre determinados assuntos. 

O inteligente emocional ele aprende a se colocar no lugar do outro, para entender melhor o ponto de vista alheio. 

Ele consegue analisar todos os pontos  e assim escolher a melhor forma de abordar aquela pessoa.

Trazendo ela para o que ela precisa entender sem afasta-la. 

Por isso praticar a inteligência emocional ajuda muito nos relacionamentos. 

Porque é inevitável viver sem nos relacionar com pessoas, mais 
é possível conviver, ajudar e amar mesmo com dificuldades. 

Seja o cérebro por trás do seu relacionamento, com amor , gentileza, paciência e humildade se alcança resultados.

Porque se relacionar é inevitável então... que o façamos da melhor forma possível.

E aí gostaram da dica de hoje? 

Se você gostou e fez sentido para ou para alguém que você conheça, 
clique agora em compartilhar e envie este podcast. 

E não deixe de  assine o nosso podcast na plataforma que você esta ouvindo.

Deixe seu comentário.

classifique com sua estrela, agora no spotfy  você pode classificar com as estrelas, então se você gostou de suas estrelas e Lembre-se que desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante para você e se estamos ajudando de alguma forma..

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima .

#414 - Como lidar com a culpa

#414 - Como lidar com a culpa

É muito comum um casal se distanciar após a chegada dos filhos, alguns relacionamento não consegue nem resistir a nova mudança e chegam ao tão temido divórcio. Com o novo integrante muita coisa vem junto, uma montanha de adversidades, a mulher muda e o homem não compreende, as vezes aceitável pois saber ler o outro é um trabalho complicado aí já podemos citar um dos principais problemas surgindo a falta de comunicação e vise versa o homem também acaba mudando hábitos por opressão ao novo momento que chegou varrendo tudo ao redor. Fica distante por não consegui se comunicar acaba se trancando para evitar possíveis desavenças.
E oficialmente o casal se torna mamãe e papai deixando, tudo que envolve o casal por um certo tempo adormecido isso quando eles ainda acordam. E tratam apenas de assunto que se referem as crianças a casa ao carro ao cachorro e dinheiro.
É um novo ciclo ,uma fase a mais no jogo que se chama vida é difícil pensar em outra coisa quando se tem um bebê chorando noite e dia que depende de você para tudo é claro que a fase inicial muda o bebe cresce e com isso, mais responsabilidades.
Ter que conhecer uma nova mulher totalmente diferente da que conheceu, mais sensível, um vulcão de sentimentos de manhã chorona de tarde sem paciência a noite irritada, também não é nenhuma tarefa fácil.
É importante está preparado para tudo isso e juntos compreender que são fases e muita coisa vai vir e outras se vão porém o relacionamento estará ali sendo soterrado pelas dificuldades pela rotina mal estabelecida .
O maior erro que muitos casais comentam após a chegada dos filhos e programar horário para o casal , é bom ter tudo programado mais não tem nada mais gostoso que algo inesperado, ter que esperar a sexta a noite depois das 21h para se fazer sexo ou sair em casal, não é algo que vá da ânimo para o relacionamento e isso quando tudo da certo né verdade ? O bebê não dorme, aquela pessoa que prometeu ficar com as crianças não veio e muitas outras coisas.
Aproveite aquele descuido da hora do almoço que a vovó tá na sala olhando as crianças.
Um beijo mais demorado se torna impossível , e entra em cena os famosos selinhos que vamos combinar não da tesão algum , teu marido chego do trabalho agarra ele e beija como se fosse o primeiro beijo e um botão de excitação irá alarma em você. Faça isso com sua esposa também ao chegar em casa.
Além disso é importante compreender que não temos que trocar a vida antiga pela nova e sim inserir ela na anterior que além de mães e pais serão mulher e homem e precisam de momentos íntimos como fazer sexo e falar de sexo.
sabe aquela mensagem de bom dia no celular? apimente ela de vez enquando conte o que sentiu na noite anterior quando fizeram amor conte um sonho sexy que teve ou mesmo que algo sexy fez lembrar dela(o)
Já falado em outro podcast meu, a falta de vontade da grande maioria das mulheres após a chegada dos filhos esta ligado aos excessos de rotina doméstica no seu dia a dia. Acabam mergulhando numa cansada e inacabável tarefa doméstica e acabam esquecendo de se cuidar de pensar em outras coisa. Eu sei perfeitamente que é necessário uma casa bem arrumada limpa e cheirosa mas é preciso ter senso e medida, a mulher que está aí dentro de você quer banho, pentear cabelos, fazer as unhas ter orgasmo, então deixe algumas coisa para depois que você fizer algo por você.
Aí você me Pergunta e os homens o que eles devem fazer? Compreender que a mulher não é uma máquina e não foi feita pra cuidar de casa e filhos sozinha.
Dar seu apoio como companheiro incentivar a cuidados com ela mesma e ajudar nas Tarefas para que ela não se sobrecarregue. Mas isso precisa vir primeiro da mulher, se ela compreender que ser mãe e cuidar da casa não é tarefa apenas da mulher ela conseguira priorizar o tempo e o seus momentos. Que é muito conhecido como Amor próprio.

#413 - Como manter a intimidade após a chegada dos filhos?

#413 - Como manter a intimidade após a chegada dos filhos?

Olá, aqui é Vanessa Carvalho, tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”
No episódio de hoje vou falar sobre – Sexo oral, o que te impede de fazer?
Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos
gratuitos e ainda concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana?
Pra ter acesso a tudo isso basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos além de concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.
E se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX no (vanessacarvalhoespecialista@gmail.com) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.
Bom, vamos a dica de hoje.
CONTEÚDO
Na dica de hoje vamos falar sobre: Sexo oral, o que te impede de fazer?
Sexo oral é uma prática sexual onde ocorre a relação entre a boca e o órgão genital: vagina, pênis, ânus.
Mas ele é considerado sexo?
 Sim! Como o próprio nome já diz é SEXO! Consideramos sexo toda e qualquer troca íntima entre os parceiros da relação.
O Sexo oral faz bem tanto para quem recebe, quanto para quem faz, durante o ato ocorre a liberação de vários neurotransmissores, entre eles: o DHEA que age contra algumas doenças inclusive o câncer e doenças relacionadas ao coração. E a ocitocina que é o que chamamos de hormônio do amor ele cria intimidade entre o casal, ajuda o casal a criar laços afetivos, além de relaxar, melhorar a qualidade do sono, então se você está numa relação precisando de mais intimidade, precisando criar vínculos aposte no sexo oral ele vai ser seu aliado.
O risco de transmissão do HIV através da saliva é extremamente baixo, mas existe, o risco maior é na felação ativa, ocorre quando o parceiro estimula a boca do parceiro ou parceira com o pênis. O risco é maior quando há presença de feridas na boca ou nos órgãos genitais. Você já conhece todos os tipos de Sexo Oral?
Segundo estudo:
• 70% delas fazem por obrigação;
• 30% gostam de fazer e praticam com frequência;
• 15% dos homens gostam de praticar sexo oral na parceira com frequência;
Por que as mulheres não gostam de fazer sexo oral neles?
➢ Intimidade: As mulheres acham que o sexo oral é algo muito íntimo para se fazer num encontro casual, mas em relacionamentos estáveis que não se tem intimidade isso também pode acontecer; Mas existem dinâmicas e jogos que podem ajudar na intimidade do casal, o diálogo também pode ser um aliado para superar essa limitação.
➢ Obrigação: Ela não tem vontade de fazer e se sente na obrigação, e também tem o famoso “Se você não faz em mim, eu não faço em você”; O que nós Especialistas indicamos nesse caso é trabalhar a educação sexual do casal, e explicar que ninguém é obrigado a nada, se ela não gosta de fazer está tudo bem, nesse caso o parceiro é quem tem que entender os motivos dela e respeitar.
➢ Higiene: Ela não se sente confortável em relação à higiene do parceiro. Nesse caso o parceiro deve se atentar mais à sua higiene, lançar mão de sabonete íntimo masculino que é compatível com ao pH da sua região íntima, e se atentar a higiene antes do sexo o que é fundamental.
➢ Esperma: Muitas mulheres têm receio de engolir o esperma, e acreditam que para fazer oral precisa engolir o esperma, isso também está relacionado com a intimidade

 do casal. Nesse caso é preciso trabalhar a intimidade do casal, e se você tem o receio de engolir o esperma por causa do sabor, hoje existem produtos que modificam o sabor e a própria alimentação do parceiro pode alterar o gosto do esperma. Lembrando que a ingestão de alimentos gordurosos e o consumo de álcool tende a deixá-lo mais forte.
➢ Formato do Pênis: existem pênis de todas as formas, e tem mulheres que não se sentem bem com o formato do pênis do parceiro na ora do oral. Nesse caso não há o que se fazer, só se ela trocar de parceiro.
➢ Não retribuir: Existem mulheres que até gostam de fazer sexo oral, mas o fato do parceiro não fazer nela impede que elas façam. É importante a reciprocidade no relacionamento, se só uma parte sempre faz e a outra não, há um desgaste e o que faz sempre deixa de fazer porque não recebe nada em troca.
➢ Pelos pubianos: Muitas mulheres se incomodam com a falta da depilação masculina, é importante conversar com o parceiro sobre os seus gostos, conversar sobre a possibilidade de ele raspar ou aparar os pelos.
➢ Sexo oral muito demorado: Mesmo que a mulher goste de fazer o oral, quando demora muito ela cansa, a boca começa a doer e isso a faz desistir. Mesmo que esteja gostoso tudo tem um limite de tempo, se a parceira está cansada mude um pouco, depois volte para o oral.
➢ Quando o homem não avisa que vai ejacular: Às vezes a mulher está fazendo oral e é surpreendida com o esperma, e se ela não gosta isso já é o bastante para ela se irritar, existem formas da mulher perceber quando o homem vai gozar, o pênis fica mais inchado e pulsante, com as veias dilatadas, então se você não gosta de ser surpreendida como esperma se atente a esses detalhes.
➢ Quando o homem empurra a cabeça dela em direção ao pênis: Isso é desagradável para muitas mulheres, algumas chegam até a se engasgar com o pênis na garganta, nesse caso coloque a sua mão na base do pênis enquanto faz o oral, assim mesmo que ele empurre a sua cabeça você não vai ter desconforto .
E os homens gostam de sexo oral?
Você sabia que 43% deles não gostam de fazer oral nas parceiras? Vamos saber os motivos que fazem eles não gostarem do sexo oral:

 ➢ Vergonha e falta de Intimidade: Assim como as mulheres eles acham que o sexo oral é muito íntimo e relatam ter vergonha e medo de não saber fazer direito, de não saber estimular corretamente a parceira, nesse caso também temos que trabalhar a intimidade do casal e ensinar como estimular a mulher.
➢ Obrigação: Muitos homens fazem por obrigação, por que se não fazem também não recebem das suas parceiras.
➢ Higiene: Tem homens que não fazem o oral por falta de higiene da parceira, ou porque a vagina cheira mal, a higiene é fundamental ainda mais quando se trata de sexo oral, existem sabonetes íntimos com o pH compatível com o da vagina, o banho antes do sexo oral, e no caso de cheiro muito forte a parceira deve ir ao ginecologista para investigar possíveis infecções.
➢ Formato da vagina: Existem vaginas dos mais variados formatos, o parceiro tem que estar confortável com a vulva da sua parceira, caso contrário a intimidade sexual fica mais difícil.
➢ Gosto ruim da vagina: Assim como o esperma muda de gosto com a alimentação o fluido vaginal também muda, isso pode alterar de acordo com a alimentação.
➢ Excesso de lubrificação: Algumas mulheres produzem muita lubrificação e tem homem que não gosta, isso não tem como mudar já que a lubrificação é um fluido presente principalmente na excitação.
➢ Pelos Pubianos: Alguns homens ficam receosos com os pelos, é uma questão de conversa, conversar sobre as preferências quanto a depilação.
➢ Nojo: Muitos homens sentem nojo de colocar a boca na vulva, isso é normal nós sentimos nojo de tanta coisa, mas se ele quiser ele pode superar isso tentando mais vezes, posições diferentes, introduzindo alguns géis beijáveis com sabor...
➢ Egoísmo: E existe aquele homem que é egoísta, ele não faz porque simplesmente porque não quer, mas... não abre mão que ela faça nele.
Muitos homens e mulheres não praticam o sexo oral por tabus, religião, ou até mesmo lendas urbanas, existe a crença que algo de ruim vai acontecer caso pratiquem.
Uma dica sempre que for praticar sexo oral lembre - se de não escovar os dentes antes e depois pelo menos 30 min. Isso porque a escovação pode causar fissuras na boca deixando- a mais propícia pra infecção. O que se pode fazer é utilizar enxaguatório bucal com

 bioativos e prata ativa que forma uma camada protetora, lembrado que isso não evita DST'S mas ajuda a prevenir infecções por bactérias.
E aí gostaram da dica de hoje?
Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.
E claro, se você gostou, assine nosso podcast na plataforma que você esta ouvindo, deixe seu comentário, classifique com sua estrela, agora no spotfy você pode classificar com as estrelas, então se você gostou de suas estrelas e, no Lembre-se que desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante pra vocês e se de alguma forma ajudo vocês.
E não se esqueça, se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX no (vanessacarvalhoespecialista@gmail.com) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.
Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#412 - O que te impede de estimular seu parceiro ou parceira com a boca?

#412 - O que te impede de estimular seu parceiro ou parceira com a boca?

Olá, aqui é a Especialista Bianca Souza tudo bem com você? 

Preparada ou preparado para mais uma dica do Especialista?

Então vem comigo...e hoje a dica é.... sobre perdão.


Você quer receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos gratuitos e ainda concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana?

Para ter acesso a tudo isso basta que você participe da nossa Comunidade ONE, ela de graça você não paga nada .

 Acesse  comunidadeone.site e se inscreva.  

Bom, vamos lá?

Na dica de hoje vamos falar sobre... Perdão
 
Alguns dizem ...

Porque perdoa se ele ou ela não merece?

Bom... Primeiro de tudo venhamos e convenhamos, que realmente é difícil perdoa quando se esta magoado ou magoada com alguém, a magoa ela doe e machuca a pessoa ofendida.

Então se você chegar em pessoa que esta magoada, triste ou com raiva de você, e pedir desculpas ou perdão dificilmente ela o fará de imediato.

Nosso sistema emocional de defesa e bem sistemático, ele precisa captar e entender o acontecido.

Depois se organizar e avaliar, só assim ele poderá liberar esse acesso para aceitar esse pedido de perdão ou de desculpas.

Veja bem...Quantos casos você já viu pessoas ou casais que é pego em flagrante traição e o outro pedi perdão ali é quer que o outro o escute e se acalme. 

E pior ainda... Quer que ele ou ela  entenda e que acredite que não é o que ele ou ela esta vendo.

Apesar de ser uma reação natural do momento, é impossível conseguir com que a vitima no caso, escute ou atenda esse pedido de perdão ou de desculpas.

Quem passa por esses momentos de angustia, raiva decepção e por tantos outros, jamais estará em condições emocional para avaliar qualquer coisa.

O que você que esta querendo e ou  pedindo perdão á alguém que talvez você tenha pisado na bola, ou você que quer receber o perdão de alguém.

Primeiro vamos entender uma coisa...

O que é o perdão?

Perdão é o processo intencional e voluntário pelo qual a pessoa ofendida ou a que ofende passa, para deixar as emoções de raiva, magoa ou vingança passar.

E voltar se sentir bem com a outra pessoa  a qual teve o desentendimento, geralmente é o tempo que leva a pessoa a refletir e a se curar da dor causada, tanto a ofendida quanto a que  ofende.

A tempo para todas as coisas...no maior livro da história diz em

Eclesiastes 3:1 “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu.” .

Porque  importante dar esse tempo a pessoa, porque o tempo cura tudo ou quase tudo, tentar convencer alguém de qualquer coisa quando mesma esta transtornada, nervosas e  magoada não vai rolar.

Você só vai piorar a situação e fazer muitas vezes com que ela se prolongue, agora se você respeitar esse momento deixar a pessoa desabafar e esperar ela refletir.

Cedo ou tarde ela vai avaliar a situação com calma de cabeça fria, as chances de você ser ouvido ou ouvida será muito maior por isso o tempo e essencial para resolver conflitos.

Porque perdoar é importante é quem é mais beneficiado?

Perdoa trás alivio da angustia, da raiva, elimina o rancor e trás um sentimento de liberdade interior, o perdão tem muitos benefícios a saúde física, mental, emocional e espiritual.

Amadurecimento para superar conflitos, lembrando também que perdoar não é esquecer, nós não temos amnésia.

Então como eu sei se eu perdoei ou não?

Você perdoou alguém quando você não tem mais nenhum tipo sentimento negativo, pensamento de vingança ou dor quando se lembra do fato ocorrido.

Se você optar por não conviver ou ter proximidade com a pessoa também não quer dizer que você não perdoou desde que você se sinta bem quando se lembrar ou ver a pessoa.

É importante também em muitos casos dizer para a pessoa que já a perdoou, isso vai validade seu validar sua liberdade e libertar o outro também e vida que segue.

Então o perdão ele mais benéfico para quem sede do que para quem recebe.

Então perdoe as pessoas, principalmente seu companheiro ou companheira e o maior beneficiado será você mesma.

E aí gostaram da dica de hoje? 


Se você gostou e fez sentido para ou para alguém que você conheça, 
clique agora em compartilhar e envie este podcast. 

Quem sabe não era isso que faltava para aquela sua amiga ou amigo ter aquela mudança procura no relacionamento.

E não deixe de  assine o nosso podcast na plataforma que você esta ouvindo.

Deixe seu comentário.

classifique com sua estrela, agora no spotfy  você pode classificar com as estrelas, então se você gostou de suas estrelas e Lembre-se que desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante para você e se estou ajudando de alguma forma..

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#411 - Perdão

#411 - Perdão

É uma forma de violência caracterizada por chantagem, humilhação, constrangimento, isolamento, ridicularizarão, limitação do direito de ir e vir ou qualquer outra situação que cause prejuízo a saúde mental, e psicológica da vítima.
Trata-se de uma forma de violência muito difícil de se identificar. O dano não é físico ou material, muitas vezes as vítimas não se dão conta de que estão sofrendo danos emocionais que podem e serão bem difíceis de curar. A violência pode acontecer em qualquer espaço seja ele familiar, relacionamento amorosos no trabalho ou escola. E por lei é garantido o direito a uma medida protetiva de urgência caso a violência ocorra no âmbito doméstico, familiar ou em relacionamentos amorosos. É possível provar a violência psicológica se utilizando a tecnologia, fazendo prints de conversas/ ameaças, gravando ligações, mensagens de texto, com testemunhas e laudos de especialistas comprovando as consequências dos danos causados. Nesses casos a vítima pode solicitar a medida de urgência sem a necessidade de comprovações dos atos, a justiça entende que crimes praticados entre quatro paredes, e as estatísticas mostram que existem, então entende-se que a possibilidade de ser verdade é enorme. E ao contrário do que muitos pensam a violência psicológica não afeta só o nosso psicológico ou o nosso estado emocional, afeta também o nosso estado físico. O abuso de álcool, os distúrbios de sono e alimentares por exemplo são alguns dos prejuízos físicos que podem ser decorrentes dos abusos psicológicos.
A violência psicológica causa danos emocionais e físicos como depressão, ansiedade aumento de agressividade, pensamentos suicidas passam a ser cada vez mais frequentes, o nosso físico também é muito afetado não é incomum ver pessoas, que se tornam obesas, ou anoréxicas após relacionamentos abusivos, ou que passam a ter insônias e dores de cabeças constante, e outros que dormem demais, tudo isso após abusos psicológicos sejam eles de qualquer esfera.
As feridas causadas são as mais difíceis de curar porque muitas pessoas nem sequer percebem que estão sofrendo uma violência emocional, e isso é o mais difícil de se identificar e de entender, alguém que diz nos amar e só nos faz mal.  Por ser uma forma de violência que começa de forma sútil e imperceptível as vítimas podem levar anos para perceber e se darem conta de que estão sendo abusadas. Na maioria das vezes as vítimas acreditam que seus agressores querem apenas o seu bem-estar e por essa razão se tornam emocionalmente dependente deles. E quando por fim elas podem perceber a realidade a sua volta e percebem que são vítimas de abusos psicológicos, até mesmo pedir ajuda é difícil elas sentem medo e vergonha de expor a situação em que se encontram e é por essa e outras tantas razões que sair de uma relação onde a abuso psicológico é tão difícil. 
Então a primeira dica é:
Peça ajuda a partir do momento que se deparar com essa realidade em sua vida não tenha vergonha, não tenha medo, não se sinta culpada, nem incapaz por precisar de alguém ou de várias pessoas nesse momento, todos nós precisamos de ajuda ninguém vive sozinho nesse mundo, ninguém é uma ilha. Dê a si mesmo o direito de recomeçar de voltar a ser feliz de ter liberdade, o direito de amar e viver uma relação saudável e feliz e não duvide de você, você é capaz de tudo aquilo que desejar.  
Procure um especialista que vai te orientar, que te mostre um caminho mais fácil para que não aja recaídas e que no futuro não cometa o mesmo erro. E mais ainda que descubra se há um padrão de relacionamento que você segue e que sempre acabam em abusos, muitas vezes nós por qualquer razão atraímos ou somos atraídas por esse tipo de pessoas, e isso além de comum é algo a ser tratado.
Recomece com a ajuda de amigos familiares tenha sempre por perto pessoas que te querem bem, tendo uma rede de apoio seu recomeço será muito menos dolorido e mais fácil e assim será mais fácil retomar as rédeas de sua vida. Comece uma jornada de autoconhecimento descobrindo suas reais necessidades, do que você realmente gosta do que te faz bem, do que te faz feliz, do que você deseja para a sua vida dali em diante trace um plano com pequenas metas e objetivos. Muitas vezes nos deixamos de lado para tentar a todo custo satisfazer as necessidades dos outros que esquecemos de nós mesmo. das nossas necessidades e é nesse momento que precisamos reavaliar nossa vida. É preciso nos reconhecermos diante do nosso espelho, da nossa vida, como seres independentes capazes de nos tornamos aquilo que desejamos, você não é uma extensão daquilo que te causou dor e sofrimento.
Aproveite seu tempo para cuida de si mesmo, compre seu perfume favorito, uma roupa que você gosta para redescobrir a sensação de se sentir bem, para você mesmo, saia com seus amigos / amigas divirta-se dê boas risadas e sinta que o mundo ainda é um bom lugar para se viver e desfrutar do que a de melhor nele.




FINAL + CTA

E aí gostaram da dica de hoje, então se inscreve na comunidade 


Se este Podcast faz sentido para alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.

E claro, se você gostou, assine nosso podcast na plataforma que você esta ouvindo, deixe seu comentário, classifique com sua estrela, agora no spotfy você pode classificar com as estrelas, então se você gostou de suas estrelas e, no lembre-se que desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante para vocês e se de alguma forma ajudo vocês.

E não se esqueça, se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX no (colocar seu pix) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#410 - Violência psicológica, como se curar?

#410 - Violência psicológica, como se curar?

“Olá, aqui é Andreia Girelli tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”

No episódio de hoje vou falar sobre Possessividade?

A posse é um sentimento constante, pois implica na criação de uma relação na qual um é dono do outro. Ou seja, tudo o que um faz deve passar antes pela aprovação do outro, desde a roupa que usa, lugares que frequenta, às pessoas com quem sai, etc. Neste sentido, quem tem sentimento de posse, não dá nenhuma liberdade ao seu par, nem de ele ser ele mesmo.


Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos gratuitos e ainda concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana?

Pra ter acesso a tudo isso basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos além de concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.  

E se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento, mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX (no número de celular 54-999589214) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.

Bom, vamos a dica de hoje.

Na dica de hoje vamos falar sobre O que é possessividade?


Esse sentimento significa ter desejo ou sentimento de posse sobre alguém ou alguma coisa, e quando associamos possessividade com relacionamentos, outro sentimento bastante comum surge para “unir forças” e deixar o clima ainda mais desafiador, o ciúme. 
Enquanto algumas pessoas são possessivas por coisas e objetos, tudo bem, essa é uma questão que fica mais fácil de lidar, contudo, quando uma pessoa se sente dona e quer tomar posse de outra pessoa, o nível de complexidade muda. 
No âmbito da psicologia, a possessividade costuma ser encarada como uma resposta ao medo do abandono. É por isso que a pessoa com essa característica possui traços de ciúmes extremo e tenta controlar o outro.

A posse é um sentimento constante, pois implica na criação de uma relação na qual um é dono do outro. Ou seja, tudo o que um faz deve passar antes pela aprovação do outro, desde a roupa que usa, lugares que frequenta, às pessoas com quem sai, etc. 
Neste sentido, quem tem sentimento de posse, não dá nenhuma liberdade ao seu par, nem de ele ser ele mesmo.

Ciúme excessivo

Com certeza você já deve ter escutado aquela frase: “A diferença entre o veneno e o remédio é a dose”, o ciúme que extrapola, que machuca e que fere é muito mais que um sintoma de possessividade no relacionamento, ou seja, a pessoa acha que é dona da outra, e acaba privando seu cônjuge de viver.
 Isso só atrapalha o relacionamento e aumenta a distância um do outro.
A pessoa que é possessiva no relacionamento, controla seu parceiro ou parceira a ponto de proibir um relacionamento de amizade com outras pessoas, o resultado disso são brigas constantes e um clima devastador.

Sintomas da possessividade

	•	Carência x Demonstração Amor

Demonstrar carinho é sempre bom para quem oferece e ganha, mas vamos bater na tecla do que é demais faz mal? 
Ser grudento e pegajoso demais sufoca as pessoas, por isso, dê espaço, demonstre carinho de forma sutil, seja doce, compreensível, gentil, mas não há necessidade de fazer isso a todo momento, não tem motivo para ligar ou mandar mensagem o tempo todo. 
A pessoa que é possessiva em um relacionamento, tende a colocar a outra como o centro do mundo, como se tudo girasse em torno dela e nada mais existisse sem a sua presença. 
Isso não é saudável tanto para quem sente quanto para quem recebe tamanha energia. Leveza é sempre a melhor opção para os relacionamentos.

	•	Manipulação

Geralmente, as pessoas possessivas nos relacionamentos, se sentem bem em diminuir a autoconfiança do seu parceiro ou parceira. 
Essas pessoas conseguem ser emocionalmente abusivas, ou seja, elas fazem seus cônjuges se sentirem como se realmente não soubessem o que é melhor para eles mesmos.
Além de muitas vezes, fazerem com que estes se sintam culpados pelas dores e angústias que foram criadas única e exclusivamente pela sua manipulação e possessividade.

	•	A razão para tanto, é sempre o amor

Para o possessivo, tudo se justifica em nome do amor. 
Seu comportamento é rapidamente absolvido pela justificativa de que suas ações são essas por que ama demais.
 Entretanto, é importantíssimo que essa desculpa seja desarmada, tendo em vista que a pessoa possessiva deve olhar para si e ver o que ela tem feito para ela mesma e para o seu parceiro/parceira.

	•	Você deve apaziguar seus desejos o tempo todo.

Essencialmente, se você não respeitar, acatar, ou cumprir o que seu parceiro pede, ele se torna extremamente irritante, exigente, ameaçador, e faz chantagem emocional.

	•	Ele/ela controla onde você vai, quando e por quê

Sempre que você quer sair, encontrar-se com um amigo ou membro da família, ou até mesmo fazer compras, o seu parceiro respira no seu pescoço, querendo administrar meticulosamente cada lugar que você vai e quais pessoas você vê.

	•	Ele/Ela persegue você

Seu parceiro mantém um olho em cada pequena coisa que você faz, a ponto de te perseguir. 
Isso pode incluir ter as senhas de suas contas de mídias sociais e verificar suas mensagens particulares, ler seus e-mails ou mensagens de texto, olhar o histórico do navegador internet, e assim por diante.

	•	Ele/ela é carente e pegajoso

Um tipo profundo e escuro de ciúme parece ferver sob a superfície da fachada do seu parceiro, enquanto tenta dissuadi-lo de passar tempo com seus amigos, colegas ou familiares.
 Ele pode criticar, trazer à tona questões antigas que você experimentou, ou até mesmo criar mentiras sobre aqueles com que você deseja passar mais tempo, às vezes até mesmo te virando contra aqueles que se preocupam.

	•	Ele/ela não respeita seus limites pessoais

Em um relacionamento possessivo, espaço pessoal raramente é um conceito valorizado. 
Se você tem um parceiro possessivo, ele provavelmente impõe muito sua necessidade de ter tempo, espaço e objetos exclusivamente “seus”.

	•	Ele/ela controla o que você veste

Saindo? Melhor ter certeza de que seu parceiro aprova! 
O parceiro possessivo avaliará sempre abertamente o que você está vestindo para garantir que está “apropriado” às suas normas. 
	•	Está constantemente mandando mensagem quando você está fora.
Por alguma razão, o seu parceiro parece sempre “chegar” quando você está fora, enviando-lhe mais mensagens e ligações do que o habitual.

	•	Ele/ela quere estar envolvido em todo o seu processo de tomada de decisão

Tomando decisões: que você faz? 
Seu parceiro quer estar lá. Ponto. 
Muitas vezes você vai até mesmo se sentir pressionado a fazer o que ele quer fazer, mesmo que a decisão não tenha nada a ver com ele.

	•	Ele/ela é emocionalmente ou psicologicamente manipulador

Seu parceiro possessivo tem uma maneira de diminuir a sua autoconfiança.
 Ele pode ser emocionalmente abusivo e fazer você se sentir como se você realmente não soubesse o que é melhor para si. 

	•	Ele/ela diz que “isso é apenas amor.”

Toda a sua inveja, toda a sua paranoia, todo o seu comportamento controlador … “tudo é amor.” 
Seu parceiro justifica seu comportamento tóxico através do amor, abrindo assim uma rota de fuga fácil para evitar a responsabilidade e culpa.

Como lidar com o comportamento controlador “Recebe” 

Restabeleça a sua autoconfiança e auto estima, que podem ter sido esmagadas ou empobrecidas em seu relacionamento.
Separe um tempo apropriado para falar com o seu parceiro(a). 
Abra a conversa, deixando que ele saiba como e por que você o aprecia.
 	Forneça exemplos específicos de como o comportamento é preocupante ou chato, e o que você gostaria de mudar.
 Esteja ciente de que o seu parceiro(a) pode ficar muito ofendido, irritado ou chateado. 
Prepare-se para isto para garantir que mantenha a calma. É vital manter a calma a todo custo. 
Seja muito claro sobre o que você quer mudar na relação, por exemplo, você quer mais igualdade nas tomadas de decisões, gostaria que ele parasse de falar duramente sobre a sua família, etc. 

 Lembre-se, se você reagir emocionalmente (com raiva, lágrimas, gritando) a conversa estará terminada, pois a comunicação cessa uma vez que os egos se envolvem.
 Se ele concordar em mudar, ajude-o, chamando a atenção para qualquer comportamento possessivo no futuro e definir períodos de tempo para ficarem juntos conversando sobre os progressos realizados. 
Seja paciente. Possessividade não pode ser curada do dia para a noite. Dê um ultimato (se necessário).

Como lidar com a possessividade “Aplica”

Além de ser um incômodo muito grande a possessividade é também uma forma de desrespeito com o seu parceiro (a).
Pois a todo momento você demonstra que não tem confiança nele ou nela e, em um momento de briga, diante do descontrole emocional, acaba disparando ofensas sem pensar. 
Procure entender que aquela pessoa escolheu estar ao seu lado é porque ela viu algo de positivo em você e se apaixonou por isso, ou seja, não necessita ter nenhum tipo de desconfiança e descontrole.
Para que você trabalhe continuamente, no sentido de evitar que o sentimento de posse te domine no futuro, existem diversos mecanismos prevenção que você pode elaborar e com os quais você pode contar.
 O primeiro deles é ser honesto consigo mesmo. Quando a possessividade surgir, pergunte-se: Por que estou agindo dessa maneira? O que está me levando a tal desconfiança? 
Estes momentos de reflexão te ajudarão a cada vez mais controlar este sentimento, porque vão te fazer pensar racionalmente e, aos poucos, ir se acalmando.

E aí gostaram da dica de hoje?
Me segue nas redes socias Facebook/Instagram @especialistaandreiagirelli

	Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.

	E claro, se você gostou, assine nosso podcast na plataforma que você está ouvindo, deixe seu comentário, classifique com sua estrela, lembre-se que desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante para vocês e se de alguma forma ajudo vocês.

E não se esqueça, se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento, mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX no número de celular 54-999589214 acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#409 - Como saber se eu sou uma pessoa possessiva?

#409 - Como saber se eu sou uma pessoa possessiva?

Sim, é possível viver um relacionamento perfeito, porém ele é diferente do que rotulamos de perfeição, as brigas, discussões ainda poderão existir, mas, com tarefas diárias e uma boa dose de boa vontade do casal, mesmo com todas as imperfeições o seu relacionamento poderá sim ser “Perfeito”.
“Olá, aqui é Vanessa Carvalho tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”
No episódio de hoje vou falar sobre: Você não é perfeito, mas o seu relacionamento pode ser!
Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos gratuitos e ainda concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana?
Pra ter acesso a tudo isso basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos além de concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.
E se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX no (vanessacarvalhoespecialista@gmail.com) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.
Bom, vamos a dica de hoje.
CONTEÚDO
Na dica de hoje vamos falar sobre: Você não é perfeito, mas o seu relacionamento pode ser!
O relacionamento Perfeito, ele realmente existe? Se ele existe como eu posso vive-lo?
 Muitos de nós já nos perguntamos isso pelo menos uma vez na vida! Você sabia que segundo pesquisa 70% dos casais estão insatisfeitos com o seu relacionamento?
Mas afinal como você considera um relacionamento perfeito? Aquele que vemos em filmes, sem brigas, discussões e desavenças?
Eu como Especialista da Saúde e Bem Estar do Casal, te digo que ele existe sim! E você pode estar vivendo um, mas, ainda nem se seu conta disso, na maioria das vezes estamos em busca de algo que simplesmente não existe, e esquecemos de viver o nosso dia a dia com mais intensidade dando atenção as coisas que realmente importam e fazem a diferença.
O relacionamento perfeito, para nós, Especialistas da Saúde e Bem Estar do Casal, é aquele no qual os participantes estão felizes e satisfeitos com a sua relação, simples assim!
As brigas, as desavenças, os problemas, vão continuar existindo, afinal relacionar é ter intimidade, é criar vínculos, por isso é difícil dar uma definição de bom ou ruim, nem sempre o que é bom para um é o que bom para o outro. O grande erro é buscar um relacionamento inspirado em romances, aquele que a sociedade padronizou como perfeito, para a perfeição não existe a fórmula certa.
As expectativas que criamos em relação ao outro é outro fator que atrapalha no bem estar do casal, exigimos demais, nos frustramos por expectativas não correspondidas e muitas vezes colocamos a culpa das nossas frustrações no outro.
Conquistar um relacionamento perfeito é uma tarefa diária, que exige grandes esforços das partes envolvidas, precisamos nos atentar que antes de ser um casal, cada um tem os seus valores, sua intimidade e individualidade e isso deve ser respeitado. Um exemplo: Se você não acordou no seu melhor dia e precisar de um tempo só pra você, está tudo bem, você não deixou de amar o outro por isso.
E para alcançar esse tão sonhado relacionamento perfeito alguns aspectos dever estar alinhados entre o casal, isso pode ajudar a evitar brigas e discussões desnecessárias.
Vou falar um pouquinho sobre esses sete aspectos pra você.
1. Valores: Quais os seus valores e os do seu parceiro? Eles estão alinhados? Converse, isso pode criar atritos desnecessários que influenciam negativamente no seu relacionamento.
2. Comunicação: Como vocês se comunicam? Você sabe expressar verbalmente o que você quer passar para o seu parceiro? Qual a forma mais fácil que o seu parceiro consegue absorver a sua mensagem, e de que forma você se expressa melhor?

 Lembre-se, talvez a sua melhor forma de se expressar, pode não ser a que o seu parceiro vai te compreender.
Converse com carinho e respeito, tenha empatia, dê a chance do outro falar, muitas vezes praticamos uma comunicação violenta, o que mais atrapalha do que ajuda, por ser agressiva e desrespeitosa ela pode piorar ainda mais o seu problema.
Use as linguagens do amor, é importante saber qual a é a sua linguagem do amor e a do seu parceiro, casais que falam a mesma língua conseguem reduzir em até 70% dos problemas, inclusive os cotidianos.
Vamos falar um pouquinho sobre elas?
• Palavras de Afirmação: Quem tem esse tipo de linguagem, um elogio apenas já é o suficiente para que ela se sinta amada.
• Qualidade de Tempo: Ter tempo de qualidade é diferente de quantidade, para quem usa esse tipo de linguagem mais vale alguns minutos como parceiro só pra ele, do que ter mais tempo e ter que dividi-lo com outras tarefas.
• Receber Presentes: Quem usa essa linguagem gosta de receber presentes, de ser lembrado, isso é o que demonstra o amor para ela.
• Formas de Servir: Nessa linguagem o amor é baseado nas ações do parceiro, um simples fato de preparar um café da manhã, já é visto como um “ Eu te Amo”.
• Toque Físico: Ahh, essa pessoa precisa do toque, um abraço, um beijo, um carinho inesperado é tudo o que ela precisa para se sentir amada.
• Sexo de Qualidade: Assim como qualidade de tempo, o sexo de qualidade para essa pessoa, vale muito mais do que fazer sexo todos os dias disputando o tempo com outras atividades.
• Confiança: Quem utiliza essa linguagem, gosta de proteger o seu parceiro dos problemas como um todo, mas isso pode se tornar um problema, pois o outo poderá ver isso como desconfiança.
3. Intimidade: Você tem intimidade no seu relacionamento? Isso é muito mais complexo do que você imagina. Ter intimidade é ter a segurança de não ser julgado ou criticado pelo outro, nós especialistas tratamos a intimidade do relacionamento em 6 aspectos.

 ✓ Física
✓ Emocional ✓ Intelectual ✓ Financeira ✓ Espiritual ✓ Sexual
4. Rotina: A rotina muitas vezes é a vilã dos relacionamentos, isso porque a usamos como apoio para esconder a real causa dos problemas. Ela atrapalha sim o relacionamento, mas, nem sempre é o problema. Você pode ter uma rotina saudável, que traz novas descobertas e vivências par ao seu relacionamento. Mesmo tendo a sua rotina dê preferencia para o NOVO, crie momentos e novas descobertas.
5. Diversão: Parece bobagem falar sobre isso, mas nós não damos a devida importância a isso, rir e se divertir faz bem. Pesquisas apontam que casais que se divertem juntos tem um relacionamento melhor.
6. Amor: Demonstre o seu amor, todos nós somos românticos, só temos formas diferentes de demonstrar isso. Não é por que ele não faz o que você quer, que ele não te ama. Se ele gosta de te dar flores, mas, você gosta de ganhar chocolates, isso só mostra que a forma de vocês demonstrarem o seu romantismo é diferente e não que não se amam.
7. Sexo: Sim! A Sexualidade também deve estar alinhada, conhecer o que te excita e o que excita o seu parceiro, alimentar a mente do seu parceiro durante o dia e não somente na hora do sexo, respeitar a vontades um do outro, e ser verdadeiro em relação ao que gostam na cama.
Como você pode ouvir, o relacionamento perfeito existe sim! E você pode fazer o relacionamento que você está ser perfeito, do seu jeito, com suas escolhas, suas imperfeições, individualidades e muito respeito, afinal o seu “PERFEITO” é você quem faz!
FINAL + CTA
E aí gostaram da dica de hoje?

 Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.
E claro, se você gostou, assine nosso podcast na plataforma que você esta ouvindo, deixe seu comentário, classifique com sua estrela, agora no spotfy você pode classificar com as estrelas, então se você gostou de suas estrelas e, no Lembre-se que desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante pra vocês e se de alguma forma ajudo vocês.
E não se esqueça, se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX no (vanessacarvalhoespecialista@gmail.com) acima de
R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.
Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#408 - Você não é perfeito, mas o seu relacionamento pode ser

#408 - Você não é perfeito, mas o seu relacionamento pode ser

Oi tudo bem eu sou Marcione Reis Especialista em sexualidade e saúde intima e hoje essa é minha dica do especialista pra você.
Intimidade após a maternidade
A chegada de novo membro na família e sempre um momento especial, aguardado por todos a sua volta, e assim como a vida do casal muda, a rotina também ,principalmente para a nova mamãe, que muitas vezes não tem experiência e muito menos apoio na nova rotina que demanda muito do seu tempo, algumas tem o privilegio de contar com uma rede de apoio tanto do papai que e o certo porem nem sempre e o que acontece e a mulher acaba assumindo só a rotina do bebe, e ou contam com ajuda de outras pessoas da família.
Ainda assim não diminui a carga da nova mamãe.
É perfeitamente aceitável que durante 12 meses no máximo após a chegada de um novo membro na família afinal um bebe precisa de cuidados redobrados nos seu primeiros meses de vida. e com isso a mulher não tem interesse em reativar sua vida sexual e quando volta não volta 100% como era antes de ser mãe.
Existe vários motivos para que isso aconteça , eu como mãe de três e duas gestações consigo dizer com toda certeza e convicta na experiencia vivida , que um dos motivos é transforma os cuidados de um novo bebé como prioridade (lembrando que me refiro quando o bebé já tem idade igual ou maior de 12 meses)
A mulher acaba se entregando 100% a vida de mãe e aos cuidados com a casa, muitas vezes frustradas por não da conta de tudo, luta o dia todo para dar casa comida e roupa lavada para a toda a família e muitas ainda tem algo a mais que e o caso das empreendedoras que tentam mesmo de casa ajudar nas despesas ou para ter sua independência e ou trabalham fora .
E guardam a noite para a intimidade e isso quando pensam no assunto.
então chegam cansadas estressadas e ansiosas , com toda razão não tem motivação para o sexo e por mais que o parceiro ou ela mesma tente aquecer o momento elas não conseguem entrar de corpo e alma no momento.
E um ponto muito curioso e com um grande potencial na falta de vontade da mulher e que por se dedicarem ao serviços domésticos e de mãe deixam de ter contato com conteúdos adultos que falem de sexualidade ao contrario dos homens que estão sempre convivendo com esse tipo de assunto.
A sexualidade è um gatilho muito importante para a vida sexual, ai você me pergunta Marcione e quais são? fotos vídeos textos áudios que te façam lembram de sexo .
E vou sitar outro ponto que eu pude observa e que tal vez por ser uma Mulher algumas de vocês não concordarão. Que é!
A mulher não tem o sexo como algo bom, gostoso para ela apenas para o homem. Como assim?
Que a relação sexual e apenas para beneficio do homem, que apenas o parceiro relaxa sente prazer com o ato. E deixam de ter um momento intimo que elas merecem, sim por que o sexo e bom e trás muitos benefícios para ambos e não é para ser visto apenas como meio de reprodução como era na idade antiga.
Então mulher dedique momentos para a intimidade na sua rotina diária você estará cuidando do seu relacionamento e da sua vida sexual.
É importante falar que não se tratar de deixar a responsabilidade como mãe de lado para cuidar da vida sexual e sim ter todas responsabilidades na medida certa. sim por que o relacionamento o casamento a vida a dois é responsabilidade nossa.
ser mãe e divino e surreal eu sou mãe e fui abençoada mas prezo pelo meu relacionamento e desejo ser uma mulher além de mãe. E lembre-se os filhos crescem e formam suas famílias e o que resta é o casal então cuidar do relacionamento desde antes e fundamental.
Então essa foi a dica do especialista e ai gostou? já se torna um escrito da comunidade on onde eu e outro especialistas trazemos dicas como essa para te ajudar no seu relacionamento e se conhecer alguém que precisar ouvir já compartilha. Eu fico por aqui!

#407 - Intimidade após a maternidade

#407 - Intimidade após a maternidade

Olá tudo bem com você?

Aqui é Bianca Souza especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é mais uma Dica do especialista. 

Somos diversos Especialistas em todo o mundo dando dicas todos os dias para você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”

No episódio de hoje vou falar sobre Sabotadores sexuais.

Que tal receber dicas todos os dias como esta, e ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos gratuitos e ainda concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana?

Se você quer ter acesso a tudo isso basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos que podem auxiliar ai o seu relacionamento ou de um amigo, então  ascese comunidadeone.site e se inscreva e compartilhe este conteúdo. 

Dica de hoje...

Sabotadores sexuais, o que é e porque estou dando esse nome e porque falar disso hoje?

Estou dando esse nome porque são fatores que minam que sabotam a vida sexual do casal, e isso traz prejuízos para o relacionamento, falar sobre a falta de libido é muito importante para conseguir resolver o problema.

O que ocorre com frequência nos relacionamentos são  fatores que prejudicam o desempenho sexual.

São fatores que vão entrando de vagar sem que a gente perceba nos leva para longe do prazer, deixando um rastro de tristeza e as vezes de perda.

Quando não temos desejo sexuais, não conseguimos pensar ou se interessar mais pela sexualidade perdemos muito.

Quando não são dados a devida assistência sobre o assunto, o fim do relacionamento se torna quase que inevitável devido a necessidade do parceiro ou parceira.

Quando nós nos damos conta as coisas estão numa situação tão difícil e constrangedora para a pessoas que esta se sentido assim sem vontade, que as vezes ela mesma abre mão do relacionamento.

Claro que é normal não querermos fazer sexo todo dia, temos aqueles momentos que não estamos muito afim e é normal.

Devido a correria do dia a dia que as vezes é tão sobre carregado, que quando batemos na cama pegamos no sono rapidamente e não queremos ser incomodados.

Mas o problema nisso tudo esta quando esses episódios se prolongam demais, ficam muito tempo sem terem vontade de ter relações, quando o desejo não vem e a pessoa não consegue reagir e tem que fazer sexo sem querer se torna constrangedor.

E o pior é quando se acostumam sem o sexo, os dias passam os melhores momentos da vida também, e o momento de se gozar da sexualidade plena vai ficando.

Claro nunca e tarde para desfrutar desse presente que Deus nos deu, não importa a idade que você tenha todos tem o direito de desfrutar desse presente que é a sexualidade.

Ma quando esses sabotadores entrarem na relação eles acabam retardando esses momentos  maravilhosos de prazer com seu parceiro ou parceira. 

O que fazer se isso tiver acontecendo com você ou com seu companheiro (a)?

Faça uma reflexão do que esta acontecendo no seu relacionamento e na sua sexualidade, é muito importante para tentar solucionar o problema e salvar a sua relação.

Tentar achar os porquês da falta de libido é importante se desejo a vontade de fazer sexo não rolar tem parar e estudar, avaliar as situações e resolver.

Se for só a parte sexual e o  relacionamento estiver ok beleza, agora se o relacionamento não estiver legal e for isso que esta afetando a sexualidade.

Procure ajuda de um especialista em relacionamento e sexualidade, se é algum problema de saúde procure um medico faça uma consulta, que também pode ser uma disfunção hormonal.

Porque á problemas internos e externos e são variáveis dependendo de um individuo para outro, são fatores que devem ser considerados e investigados.

Problemas internos podem ser: hormonais, depressão, stresse, problemas emocionais  e psicológicos, magoa baixa autoestima elas interfere no humor e no bem-estar e precisa ser tratado adequadamente.

Problemas Externos :Falta de comunicação, de contato físico, alguns casais que por os filhos dormirem juntos com a mãe o casal dorme separados.

Quando um vai dormir primeiro que o outro demora também atrapalha a atividade sexual, e é uma das reclamações de alguns casais, por isso o ideal é que o casal vá para acama juntos, no mesmo horário.

Isso ajuda muito na comunicação e no desejo, por terem ali um tempo juntos até pegarem no sono,por isso e interessante dormirem junto mesmo que estejam brigados.

São fatores que levam muitas vezes a falta de libido, que chamamos disfunção sexual.

A  disfunção sexual é um problema sério, que tem um grande impacto na saúde e na qualidade de vida do casal. 

Causando sofrimento, afastamento gradativo, dificuldade de afetividade, entre outros fatores que dificultam esse contato físico e conexão intima.

O que é essa disfunção?

A disfunção é a falta de interesse ou desejo sexual, a ausência de pensamentos eróticos a inexistência de vontade de sexual. 

Ela nem sempre esta relacionada com doenças graves, mas na maioria das vezes são questões psicológicas.

Hormonais como a testoterona que é um dos principais hormônio envolvido na regularização do desejo sexual,por isso deve-se atentar mais a ele.

Na mulher a disfunção sexual ela é mais comum, e tem uma categoria que se chama (TDSH) que é o transtorno do desejo sexual hipoativo.


Para diagnosticar ao certo e o tratamento correto conforme cada caso, procure um especialista e não deixe para depois, aproveite a sua sexualidade ao máximo seja feliz com você mesma(o) e seu parceiro(a). 

Cuide da sua saúde da sua mente, do seu emocional e do seu corpo, o sexo ele traz muitos benefícios a saúde.

Como a saúde pélvica fortalecendo a musculatura, melhora a qualidade do sono,  a sua autoestima.

Além de favorecer a pele e o cabelos também diminui o stresse e cuida do seu coração olha que maravilha não é mesmo?

Quantos motivos bons temos para aproveitar aquilo que Deus nos deu de presente.

E aí gostaram da dica de hoje? 


Se este Podcast faz sentido para você ou para alguém que você conheça, clique agora em compartilhar.

E claro, se você gostou, assine nosso podcast na plataforma em que você esta ouvindo e  deixe seu comentário. 

Lembre-se que desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante para você e se estou ajudando.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#406 - Sabotadores Sexuais

#406 - Sabotadores Sexuais

Mulheres, na luta hoje e sempre!
Ao longo dos séculos, para não dizer dos milênios, ou seja, desde sempre, nós mulheres fomos e somos até hoje subjugadas, diminuídas, humilhadas, desvalorizadas, abusadas, violentadas, fomos vendidas como mercadorias de segunda categoria, como escravas, depois para casamentos forçados, muitas vezes ainda na infância para traficantes, não só de drogas, e também para trafico sexual. Enfim... a mulher no Brasil e no mundo sempre foi tratada como uma mercadoria.
E   as estatísticas estão aí para quem quiser ver, sofremos em todas as esferas sociais, culturais, familiares, românticas e profissionais. Passamos por todo tipo de humilhação, diminuídas como seres humanos, subjugadas como profissionais, e tratadas como objetos sexuais, feitos apenas para proporcionar prazer e diversão para os homens.
Passaram – se séculos, e pouco mudou neste mundo, apesar de termos conquistado alguns direitos, a estrada a ser percorrida parece não ter fim.
Desde muito tempo lutamos por direitos que deveriam ser entregues a qualquer ser humano naturalmente. Graças ao trabalho de grandes mulheres, hoje temos direitos básicos para vivermos com alguma dignidade.
É por conta do trabalho por igualdade que estas mulheres fizeram, direitos foram adquiridos ao longo dos tempos. Direito que garante que possamos trabalhar, votar por 

exemplo. Só que esse é um trabalho de formiguinhas lento, sofrido e demorado, pouco se mudou na educação, na mentalidade e na forma como a sociedade enxerga a mulher, quando falamos em direito das mulheres falo em direito de optarmos O que fazer com nossos corpos, ou o que queremos para nossa vida, direitos esses que ainda hoje nos sãos negados como por exemplo o direito de querer gerar ou não um filho ou mais um. 
Ainda hoje qualquer mulher que queira fazer um processo de laqueadura precisa da autorização de um (parceiro)
Mesmo que só no ano de 2021 tenhamos alcançado o número assustador de mais de 100 mil crianças sem o nome do pai em seu registro!
Afinal fazer é bom, quero ver criar, sustentar dar segurança e dignidade para a mulher e para o filho que você fez.

Sem reconhecimento legal para essa criança, o homem se isenta de qualquer tipo de responsabilidade. E as mulheres passando por uma situação Caótica se tornam vítimas fáceis de uma sociedade cada vez mais cruel, pois diante de tudo isso a mulher se submete a qualquer tipo de trabalho, O que abre uma porta gigantesca para abusos e violências. Vítimas, do machismo estrutural.
Essas mulheres se sentem frágil desamparada e insegura. Sozinha então a mulher busca conforto físico e emocional, na sociedade que mais uma vez lhe nega o direito de existir, no brasil da vida real a maior dificuldade de uma mãe, sozinha é achar uma creche onde eu posso deixar seu filho com segurança e ir buscar o seu sustento. Quando e se ela encontrar, mais uma vez a sociedade mostra seu lado mais cruel, onde, essa mulher como mãe, não tem direito de levar seu filho ao médico pois não pode se atrasar no trabalho, não tem a quem pedir nenhum tipo de ajuda e patrões dizem não ter nada a ver com a vida dela.
A violência contra a mulher é algo tão enraizado que você pode facilmente encontra mulheres agindo de forma abusiva e violenta com outras mulheres.
Vivemos no mundo tão louco e tão absurdo que a mulher tem que ficar em alerta pelo simples fato de serem mulher e, os registros de feminicidio
 Para o ano de 2021, houve 1 feminicidio a cada 7 horas e um estupro a cada 10 minutos.
Registrados isso sabendo que nem passa perto da realidade que a maioria das vítimas ainda não denunciam, seja por medo, vergonha, ou pela total ineficiência nas delegacias e dos meios que deveriam protege-la, quando a mulher chega ao seu limite físico psicológico e emocional e faz uma denúncia o mínimo que se espera de autoridades é que deem um suporte para essa vitima que garanta a segurança dela. Mas não é o que acontece. Ao contrario nesses casos normalmente (e eu falo normalmente, não que seja normal, mais é o que é mais comum de acontecer) é a mulher que fez a denúncia passar de vítima para estatística. 

Os danos emocionais para essas vítimas são irreparáveis. E além de tudo não existe acompanhamentos de como é a vida social, profissional e amorosa dessas mulheres quando 


Ela sobrevive e passa por longos períodos de abuso e de torturas psicológicas, a sociedade mais uma vez faz dessa vitima um ser invisível.
Lembro de vários casos, mas um em especial a alguns anos me chamou muito atenção que foi na Austrália se não me engano de uma adolescente desaparecida a 17/18 anos, e ela foi encontrada no porão da casa dos próprios pais depois de todos esses anos.
O pai tinha sequestrado ela, espancando e violentado durante todos esses anos, jogando ela num porão onde ela não conseguia nem ficar de pé, e ela tinha 3 ou 4 filhos dele. E a pergunta que eu me faço e que deixo aqui para todos é: Como se sente uma pessoa que foi sequestrada, espancada e violentada durante todo esse tempo por quem a deveria proteger?
Não é muito diferente do que a sociedade faz com todas nós mulheres existe na constituição o direito básico de viver com dignidade para TODOS os cidadãos, que nos é negado dia após dia.
A dica de hoje é: não nos negue o direito de viver de amar, de sermos felizes como bem quisermos, homens vocês têm todo direito de não quererem namorar com uma mulher que já tem um filho, MAS NÃO TEM O DIREITO DE JULGA-LA, DE MANIPULA-LA E MENOS AINDA DE ABUSAREM DELA NEM DE NENHUMA OUTRA.
MULHERES, NÃO SEJAM PROPAGADORAS DESSE MACHISMO ENRAIZADOS NA NOSSA SOCIEDADE, SEJA AQUILO QUE VOCÊ GOSTARIA QUE FOSSEM COM VOCÊ.
HOJE. É A SUA VIZINHA QUE PASSA POR UMA VIOLÊNCIA AMANHÂ PODE SER VOCÊ O MACHISMO O RACISMO NÃO TEM ENDEREÇO.
E PARA TODOS AJUDEM, DENUCIEM, APOIEM CAUSAS INSTITUIÇOES QUE CUIDAM DESSAS MULHERES, PODE SER COM APENAS O NÚMERO DE UMA DELEGACIA, MAS SUA AJUDA SEU APOIO PODE SALVAR UMA VIDA.

Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos gratuitos e ainda concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana?

Pra ter acesso a tudo isso basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos além de concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.  

E se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX no (colocar seu pix) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.

Bom, vamos a dica de hoje.

CONTE





FINAL + CTA

E ai gostaram da dica de hoje, então se inscreve na comunidade 


Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.

E claro, se você gostou, assine nosso podcast na plataforma que você esta ouvindo, deixe seu comentário, classifique com sua estrela, agora no spotfy você pode classificar com as estrelas, então se você gostou de suas estrelas e, no lembre-se que desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante para vocês e se de alguma forma ajudo vocês.

E não se esqueça, se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX no (colocar seu pix) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#405 - COMO A OBJETIFICAÇÃO DA MULHER AFETA SUAS RELAÇÕES

#405 - COMO A OBJETIFICAÇÃO DA MULHER AFETA SUAS RELAÇÕES

Olá, aqui quem fala é a Bruna Maran, sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a Dica do Especialista. 
Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.

No episódio de hoje vou falar sobre separação, e como passar pelo luto amoroso de forma menos dolorosa.

Já imaginou receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos de forma gratuita?

Para ter acesso a tudo isso basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você terá acesso a centenas de conteúdos gratuitos além de concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana. 
Acesse comunidadeone.site e se inscreva.  

Se você gosta do meu conteúdo e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX para o CPF 07864409962 e assim nos ajude ajudar ainda mais pessoas.

Bom, vamos a dica de hoje!
Me separei, e agora?
Com toda certeza ninguém se casa planejando separar-se, porém inevitavelmente isso pode acontecer, por culpa de diversos fatores, isso não quer necessariamente dizer que o relacionamento foi um erro, de forma alguma, o fato é que a vida é feita de fases, e essa para muitos casais é mais uma fase da vida que deve ser atravessada. Mas que fase dolorosa não é mesmo? 
O medo do futuro, a raiva, a tristeza, a sensação de perda, a fragilidade, tantos sentimentos misturados… Para muitos a separação pode causar até uma grande surpresa dependendo do motivo do término, como por exemplo, se for por conta de uma traição, ou ainda pode causar sensação de abstinência em pessoas que sofrem com dependência emocional.
Após o término  a forte sensação de perda toma conta, pois perdem-se todos os projetos que foram construídos a dois, perde-se por vezes o padrão financeiro, os laços criados com a família do ex cônjuge, os amigos do outro, e ainda quando se tem filhos o processo se torna mais complexo e desconfortável, enfim, o fato é que toda perda gera luto.
E logo após a separação é hora de encarar os fatos e dar boas vindas ao nada agradável LUTO AMOROSO!
A partir da separação  uma imediata sensação de desequilíbrio se instala, o apego profundo pelo ex cônjuge, ainda existente, pode levar a pessoa a ficar “presa” nesse relacionamento já findo, e não conseguir de fato seguir em frente e recomeçar.
Portanto vamos logo conferir alguns passos importantes para superar a fase do luto amoroso o mais rápido possível.

Aprenda a dominar seus pensamentos: É importante fazer a sua cabeça entender que o ex cônjuge não é a única pessoa capaz de te fazer feliz, ele não é o último biscoito do pacote” nem tampouco você precisa dele.

Aceite e “vire a pagina”: Não tente se dar esperança e ficar encontrando maneiras de falar ou encontrar-se com o ex a todo custo com a intenção de mendigar um pouco de afeto, evite verificar as redes sociais do ex,  isso tudo só lhe fará mal emocionalmente, não seja insistente e entenda que o relacionamento chegou ao fim.

Respeite o luto: Como já dito, todo fim gera luto,  não tente ignorá-lo a todo custo, como se ele simplesmente não existisse, permita-se viver a raiva e a melancolia por alguns dias se for preciso e está tudo bem! 
Tentar internalizar sentimentos negativos pode piorar a situação e tornar o reequilíbrio emocional mais difícil e demorado.

Elimine lembranças: A roupa que o ex deu de presente, ou aquela foto dos dois juntinhos, assim como outros objetos que façam lembrar do passado devem ser eliminados, ou  guardados em um lugar de difícil acesso, bem longe do seu campo de visão. As lembranças, sejam elas positivas ou negativas, dificultam a iniciação da nova fase de vida.

Mantenha-se ocupada(o): Para não se entregar totalmente as emoções negativas que são naturais dessa fase é muito importante que além de se esforçar para continuar suas atividades cotidianas como o trabalho e outros projetos já em andamento, ainda se preencha grande parte do tempo com novidades, como por exemplo: ir a lugares que nunca foi, conhecer pessoas novas, fazer atividades físicas, iniciar novos projetos, ou dar muitas risadas em encontros com amigos, isso tudo é capaz de ativar os hormônios do bem estar,  assim é possível viver as emoções que o  luto amoroso trás de uma maneira controlada e saudável.

Perdoe e construa uma relação respeitosa: As mágoas realmente tendem a permanecer por um período após o término, juntamente com questionamentos sem respostas, como por exemplo: “o que eu fiz de errado? O que eu poderia ter feito para evitar a separação?" 
Tudo isso faz parte do processo, mas agora chegou a hora de se perdoar e perdoar o outro, isso ajudará a se curar emocionalmente e manter uma boa relação com o ex, o que se faz necessário, especialmente caso tenham filhos juntos, mas lembre-se, cuidado com as recaídas, e foque somente nos assuntos que tem que ser tratados como guarda dos filhos, pensão, partilha de bens, e outros assuntos que surgem após a separação, não caia na sedução do auto engano e não torne ainda pior e mais longa essa fase do luto amoroso.

Descubra quem é você hoje: Durante o relacionamento muitas pessoas deixam de fazer o que querem e gostam e acabam “perdendo sua identidade”, então aprenda a fazer atividades sozinha (o), resgate sua essência, se redescubra, uma dica é listar várias coisas que você gostaria de fazer ou aprender, e divirta-se pondo em prática.

Se você se separou e está precisando de ajuda, saiba que nós especialistas da saúde e bem estar do casal também atendemos casais separados e somos especialistas em auxiliar na fase do luto amoroso.

E lembre-se: Para toda fase que se finda, outra se inicia!

E aí gostaram da dica de hoje? 

Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.

E claro, se você gostou, assine nosso podcast na plataforma que você está ouvindo, deixe seu comentário, e se estiver ouvindo no spotify classifique com suas estrelas, desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante pra você e se de alguma forma estou ajudando.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#404 - Me separei, e agora?

#404 - Me separei, e agora?

Olá, aqui é Andreia Girelli tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”

No episódio de hoje vou falar sobre SEGUNDO ESPECIALISTA POR QUE SENTIMOS CIÚMES?

Todos nós já sentimos ciúmes em algum momento de nossas vidas. Quando o sentimento se instala em nossas mentes, somos tomados por uma rede de inseguranças: Nos comparamos com outras pessoas, nos menosprezamos e sentimos que vamos perder o que é "nosso", quer saber mais ouça este podcast.

Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos gratuitos e ainda concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana?

Pra ter acesso a tudo isso basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos além de concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.  

E se você gosta do meu conteúdo  e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento, mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX (no número de celular 54-999589214) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.

Bom, vamos a dica de hoje.

Na dica de hoje vamos falar sobre ciúmes.
O ciúmes é um sentimento inerente aos seres humanos e que pode estar presente nas mais diversas relações.
O sentimento costuma trazer insegurança e a sensação de paranoia, causada pela possibilidade de uma traição ou o término de um vínculo importante.

O ciúme é uma variação da ansiedade.
E, tal como a ansiedade, ele faz com que nos antecipemos a possíveis situações de perdas e danos reais ou imaginárias.
É uma estratégia preventiva, mas que causa sofrimento e traz o risco de que nossa mente nos leve a reagir de forma desnecessária.

O ciúme também é uma emoção parecida com a inveja: as duas dizem respeito a querer ter alguma coisa. A diferença é que você sente ciúmes de algo que é seu ou que está com você, enquanto sente inveja de algo que você não tem, mas do qual gostaria de ter.

Mas olha a boa notícia?

Assim como a inveja, o ciúme tem tanto um lado destrutivo quanto outro construtivo.
Ao mesmo tempo em que motiva a agressividade e o controle (histórias amedrontadoras de perseguição e de crime passional não faltam; o ciúme corrói casamentos, enfraquece a autoestima e alimenta a violência doméstica), também incentiva a fortalecer os laços do relacionamento.

Há diversos tipos de ciúmes, vamos entender melhor:

	CIÚME NORMAL
Geralmente surge em breves momentos quando uma pessoa se sente insegura da possibilidade de perder seu companheiro. Este ciúme costuma ser proporcional ao motivo, e a pessoa consegue guardar para si, se for necessário ou sabe falar com o companheiro de forma apropriada.
Assim como ele surgiu, desaparece e não causa desconforto significativo ao companheiro.



	CIÚME EXAGERADO

Acontece em pessoas que são inseguras, que têm medo de perder e têm baixa autoestima. Para desencadear o ciúme exagerado pode haver ou não um motivo, pois a pessoa pode fantasiar algo e acaba agindo de uma forma que causa sofrimento no companheiro.

Por exemplo: quando a pessoa tem interesse em saber sobre todos os relacionamentos anteriores; verifica onde o companheiro está, com quem está e quer saber o máximo sobre essas pessoas; confere o smartphone, redes sociais, carteira e roupas íntimas; pode até chegar a mentir para testar se a resposta do companheiro é igual a uma outra resposta dada anteriormente.

A intensidade deste ciúme é moderada, a pessoa tem dificuldade em se perceber como ciumento e ainda pode ter doenças mentais.

	CIÚME OBSESSIVO

Corresponde à pessoa que tem pensamentos indesejáveis, involuntários, repetitivos e até absurdos sobre a infidelidade.
Muitas vezes, mesmo sabendo do pensamento infundado, pode: ficar refletindo sobre provas infundadas e angustiantes quanto a possibilidade de traição; perde um tempo significativo pensando; o sentimento do amor é uma imposição, uma força avassaladora que domina e manda na pessoa.
Existe uma briga interna na pessoa ciumenta e frequentemente ela está comprometida com outras doenças mentais.

	CIÚME PATOLÓGICO

Quando a pessoa tem suspeitas fantasiosas, imaginárias e infundadas, geralmente sem corresponder com a realidade sobre seu companheiro.
Este ciúme patológico pode gerar atitudes como:
- Inspeção obsessiva, repetitiva e contínua de coisas para conferir se o companheiro pode estar traindo;
- Evita encontros sociais;
- Acredita que qualquer pessoa pode estar facilitando a traição do companheiro; perde o controle com muita facilidade e tem atitudes violentas;
- Sente um desejo incontido de controlar o companheiro que seria visto como sua posse; quer atenção exclusiva;
- Finge compreensão para interrogar o companheiro e “dá o bote” (tem constante e frenética busca de evidências e confissões que confirmem suas suspeitas, mas, a confissão não o satisfaz, aí volta a torturante busca da confissão).

O ciúme tem um tempo de duração indefinido, a pessoa geralmente não se aceita como ciumento, é dissimulado, mente muito, engana e pode chegar ao homicídio e ter patologias emocionais sérias.

Note que o ciúme normal sujeita o companheiro a se sentir valorizado, faz bem.
Mas, o ciúme exagerado, obsessivo ou patológico leva ao sofrimento do companheiro, e ele pode ser considerado codependente, ou seja:
	O companheiro pode ter incapacidade de manter relacionamento saudável;
	Nega a realidade, tendo enorme dificuldade em se afastar do ciumento;
	Desenvolve perspectivas fantasiosas de dias melhores;
	Esquece-se de si mesmo e vive a vida do outro, vive em função da pessoa problema (ciumenta).
Então esse codependente não vivencia de forma saudável, apresenta dificuldades em lidar com questões emocionais e também precisa de avaliação e tratamento psicológico. O ciúme danoso prejudica muitas vidas, então a autoavaliação do ciúme não pode ser deixada de lado.

 O que causa o ciúmes.

	Baixa autoestima

A baixa autoestima pode provocar inúmeras crises de ciúmes em diferentes estágios da relação. Quando não conseguimos nos valorizar, acreditamos que possuímos pouco valor, e por isso seremos trocados com facilidade.
Ser traído também pode potencializar a falta de autoconfiança. "Sentimos que o parceiro sempre estará em busca de algo melhor, e nos sentimos desvalorizados perante o outro. Entretanto, é importante lembrar que o ciúmes, muitas vezes, está ligado à imagem que cada um tem de si".

	Ansiedade

A ansiedade pode aumentar nossos níveis de ciúmes, pois sofremos com possibilidades e fatos incertos.
"O indivíduo ansioso cria histórias em sua cabeça, e acredita nelas. Nesses casos, é necessário investigar a origem de ideias que provocam insegurança".
Compreender o que é real ou imaginário possibilita que nos entendamos melhor e controlemos as crises. A ajuda do Especialista pode fornecer mais caminhos para entender por que acreditamos que seremos constantemente trocados.

	Mudanças nas dinâmicas do relacionamento

Fatores externos podem ser um gatilho para o ciúmes.
"Quando uma terceira pessoa começa a receber mais atenção do que a participante da relação, podemos ficar desconfiados e cogitar a possibilidade de uma traição".
Troca de mensagens, fotos e convites podem causar um grande desconforto, principalmente quando o parceiro não estabelece um diálogo sincero sobre suas intenções.
Quem está sendo prejudicado pelos ciúmes pode sentir-se não pertencente ao próprio relacionamento.

      Vamos aos sintomas do ciúmes:

	Pensamentos de traição e abandono;
	Busca constante por pistas ou evidências que indiquem uma traição;
	Medo excessivo de perder a pessoa causando até mal estar físico;
	Análise constante dos pensamentos;
	Gestos e atitudes do outro;
	Violação da privacidade;
	Controle excessivo do dia do outro;
	Interferência nas relações pessoais e profissionais do outro;
	Criação de situações imaginarias que levam a conclusão sem sentido;
	Insônia;
	Agitação;
	Ansiedade e até depressão;
	Sentimentos de solidão e tristeza profunda quando não está junto ao outro.

CIÚMES OU AMOR?

Existe uma diferença entre zelar por alguém e sentir ciúmes.
Cuidar do próximo é nutrir os bons sentimentos na relação, para que ela seja uma fonte de felicidade.
Entretanto, quando sentimos medo de perder o outro, e tomamos atitudes possessivas para que isso não aconteça, o amor não é uma justificativa plausível. Por trás dos ciúmes existe insegurança, desconfiança e expectativas irreais que são impostas ao próximo.

Será que nascemos ciumentos ou aprendemos a ser?

Nossos níveis de ciúmes são influenciados pelas relações familiares que tivemos. Crianças que demandavam atenção constante dos pais, ou sentiam-se excluídas em casa podem ser adultos mais ciumentos. Contudo, o ciúmes em si faz parte do estado emocional inerente ao ser humano. "Está dentro da normalidade, e a informação deste sentimento está impressa em nosso DNA".

COMO NÃO SER TÃO CIUMENTO

Trabalhe a autoestima:

	quando estamos felizes conosco, estamos felizes com o mundo. Pessoas com autoestima elevada são mais seguras e cultivam boas relações.

Tenha inteligência emocional:

	a inteligência emocional irá lhe conectar com as suas mais profundas relações com os seus próprios sentimentos, fazendo que não seja uma surpresa constante as suas reações, decepções e sucessos.

Tenha pensamentos positivos:
	deixar-se levar por pensamentos negativos e que só atrapalham a sua vida, podem refletir também nas pessoas com quem você se relaciona. Ter empatia e resiliência para tratar os acontecimentos na vida podem te tornar mais positivo.

Converse:
	abrir o diálogo e deixar clara as suas incertezas e inseguranças, ou a tal famosa D.R. (discutir a relação) pode ser extremamente útil, pois já expõe toda a sua imaginação e realidade para ser conversada abertamente;
Pratique atividades físicas e hobbies:
	nada melhor do que ocupar o tempo com atividades que estimulam nosso corpo e mente. Essa prática, além de ocupar a cabeça, traz benefícios para o corpo e consequentemente para a autoestima;

Saiba dizer não, e sim também:
	limite é a palavra-chave, tanto para você ter e para as outras pessoas. Não se deve fazer tudo que todos pedem, é preciso se conectar com as suas verdadeiras vontades e desejos para ser feliz.


E aí gostaram da dica de hoje?
Me segue nas redes socias Facebook/Instagram @especialistaandreiagirelli

Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.

E claro, se você gostou, assine nosso podcast na plataforma que você está ouvindo, deixe seu comentário, classifique com sua estrela, lembre-se que desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante para vocês e se de alguma forma ajudo vocês.

E não se esqueça, se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento, mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX no número de celular 54-999589214 acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#403 - POR QUE SENTIMOS CIÚMES?

#403 - POR QUE SENTIMOS CIÚMES?

Olá, aqui é a Dra. Silvana Paixão, tudo bem? Sou Especialista em sexualidade e saúde íntima e Biomédica, esta é a dica do especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.
No episódio de hoje vou falar sobre As formas de prevenção da infecção urinária. Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos gratuitos e ainda concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana?
Para ter acesso a tudo isso basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você terá acesso a centenas de conteúdos gratuitos além de concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.
E se você gosta do meu conteúdo e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX na chave: (91) 988378603, acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.
Bom, vamos a dica de hoje.
Na dica de hoje vamos falar sobre as formas de prevenção da infecção urinária.
A infecção urinária causada por agentes microscópicos que podem ser bactérias ou fungos, que se instalam no sistema urinário podendo causar sintomas leves ou severos a depender do quadro clínico do paciente acometido.
Formasde prevenção
 As formas de prevenção são iniciadas com bons hábitos de higienização como:
● Sempre lavar as mãos antes e após urinar;
● Manter hidratação oral diária;
● Realizar banho antes e após ato sexual;
● Não se privar quando sentir vontade de urinar;
● Se houver um dos sinais ou sintomas procurar consulta médica.
A prevenção para não adquirir um quadro clínico de infecção urinária é muito importante. Pois, além de cuidar da saúde íntima da mulher, evita a interferência na qualidade de vida sexual dela.
Um quadro de infecção urinária, leva a mulher a não poder ter atos de relação sexual durante o processo de infecção, como também, por conta do tratamento. O que pode afetar a sua autoestima e consequentemente obstinação sexual por alguns dias.
Conclusão
Em suma, a infeção urinária é uma patologia muito comum nas pessoas de modo geral. A presença de um ou mais sintomas não deve ser negligenciada. Por isso, se torna de grande importância manter a prevenção de forma adequada. Caso a pessoa apresente algum sinal ou sintoma, o correto é buscar o tratamento certo com o médico o mais breve possível para não comprometer ainda mais o bom funcionamento do sistema urinário e possivelmente danos graves à saúde.
E aí gostaram da dica de hoje?
Se este Podcast faz sentido para alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast.
Em muitas vezes era isso que faltava para você e sua amiga ou amiga.
Se você gostou, assine nosso podcast na plataforma que você está ouvindo, deixe seu comentário.
Classifique com sua estrela, agora mesmo no spotfy.

Você pode classificar com as estrelas. Lembre-se que desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante pra vocês e se, de alguma forma, ajudo vocês.
E não se esqueça, se você gosta do meu conteúdo e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX na chave: (91) 988378603 acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.
Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#402 - As formas de prevenção da infecção urinária

#402 - As formas de prevenção da infecção urinária

Olá, aqui é a Bianca Souza, tudo bem com você? 
Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a Dica do Especialista. 

Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias para você conquistar o relacionamento que você sempre quis.

No episódio de hoje vou falar sobre: Birras e Pirraças nos relacionamentos.

Que tal receber dicas todos os dias, e ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos gratuitos e ainda concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana?

Para ter acesso a tudo isso basta você participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos. 
Acesse comunidadeone.site e se inscreva.  

Bom, vamos a dica de hoje.

Na dica de hoje vamos falar sobre: Birras e Pirraças nos relacionamento

A maioria das pessoas não sabem como agir diante dela.

Embora eu já tenha visto muitas coisas, nos relacionamentos por ai,o comportamento de alguns casais ainda me surpreende, você olha para a pessoa e não imagina, como são na vida real do dia a dia, seus hábitos , costumes, birras, pirraças, culturas e a educação que receberam.

Quando levamos isso para os relacionamentos, nós vimos o quanto essas diferenças  podem se transformar em dores emocionais, psicológicas, físicas e mentais, principalmente quando ambos os parceiros não são compreensivos.

O método essencial para que todos os relacionamentos com problemas sejam solucionados, e que ambas as partes estejam dispostas a renuncias a se reeducarem.

Aconselhando casais que estão  atravessando dificuldades de comunicação, e do  desempenho na  sexualidade, percebi que de cada 10 casais, 7,não sabem resolver seus problemas.

Um não fazia tal coisa porque o outro também não faz, ela grita comigo por isso eu grito com ela, ele não me ajuda então também não vou fazer nada e assim por diante seguem as birras e pirraças um para com o outro.

Parece meio que inaceitável birras e pirraças entre pessoas adultas, mas acontece com frequência em muitos relacionamentos,casais falam de separação o tempo todo, devidos as birras e as pirraças  um do outro, o que fazer então com essas situações?

Eu fiz uma observação sobre birras e pirraças nos relacionamentos, com alguns casais e por incrível que pareça elas não tem as mesmas ações.

A birra, ela parte de uma  ou mais frustração, como raiva, medo, teimosia e antipatia, rejeição, também tem aquelas mais agressivas que gritam,  jogam coisas e fazem escândalos ou se fazem de vitima, reclama do parceiro(a) para terceiros.

A pirraça já por outro lado, são aquelas pessoas que não gritam, não fazem escândalo, não joga coisas mas, não reclamam do parceiro para terceiros.

São aquelas que resolvem ficar quietas, caladas e emburradas pelos cantos, fazem voto de silencio e fingem muitas vezes que não escutam quando você fala..

O que ambas tem em comum é que as vitimas  seda a birras e pirraças, eu não aconselho, porque vira um habito e posteriormente abusos mais graves o que torna o relacionamento insuportável.

Elas agem assim porque elas entendem que é assim que vão conseguir o que querem, aprenderam que as atenções se voltam para elas nesses momentos de desequilíbrio e usarão sempre esta forma até conseguirem mudar.

E sozinhos não conseguem, porque uns não aceitam que são assim,outros se sentem na razão sempre.

Isso tudo se caracteriza como abuso e considerado crime, a comunicação violenta, agressão verbal, tortura emocional e psicológica, em alguns casos vira agressão física, e pode se chega ao extremo se alguém não souber controlar a situação.

Na maioria das vezes a vitima acaba cedendo a birra do parceiro ou parceira, para amenizar a situação ou por medo mesmo de que as coisas fujam do controle.

A pirraça, elas usam a manipulação para ferir, vingar, mostrar que se elas não tiver aquilo ou fazer daquele jeito vai ser assim.

Elas também usam de tortura emocional, de uma forma mais branda aparentemente, o que não é menos grave do que  a birra, porque não é menos grave .

Elas não olham para você, tentam ignorar e fingir que você não esta ali, elas evitam esse contato visual,  para mostrar que elas estão insatisfeitas.

E que quem tem que sabe o que aconteceu é você, que tem  perceber que ela ou ele não esta legal e você, e quem tem que se desculpar também a e a outra pessoa e não ela. 

Elas não respondem o que você pergunta, por achar que não vale a pena responder ou que você não merece, e quando respondem são respostas curtas e grossas, isso quando fingem que não ti ouvem e ti ignoram.

Se você vai abraçar ou se aproximar elas rejeitam, evitam o toque, ficam bicudos, embirrados pelos cantos coxeando, outros choram bicas de lágrimas, 
 não dorme juntos , até que desista da pirraça ou que ela seja atendida no que quer.

Isso afeta a sexualidade do casal?

Assim  como as linguagens do amor e da sexualidade tem a ação de aproximação do casal, essas linguagens negativas tem o efeito contrario.

Essas atitudes acabam diminuindo o desejo sexual de ambas as partes, de uma por não ser atendida e da outra por ser a parte ofendida.

Nesse momentos resolver os conflitos sem violência é sempre a melhor opção, para cada ação a uma reação como diz o ditado, se a sua reação for de não responder com violência a essas birras e pirraças você  pode surpreender a outra pessoa que espera que você reaja da mesma forma que ela. 

Reagir de forma suave e não violenta, pode fazer com que a pessoa se sinta envergonhada e o laço entre vocês fiquem mais forte posteriormente.

Geralmente as birras e as pirraças assim com as das crianças podem ser um pedido de limites que dado com paciência e amor gera transformação de comportamento do outro individuo.

A postura de um pode salvar o outro.

O nosso cerebro e super inteligente, ele adotando a postura que você quer que ele siga, ou seja ele adota uma postura que seja condizente com a sua postura na relação, as coisas tendem a mudar graduadamente, conforme você vai se posicionando diante dos problemas  dentro do relacionamento.

É importante você Filtrar sempre as reações, muitas vezes olhar para o mesmo problema de formas diferentes, podem ajudar você a melhorar sua forma de ajudar o outro nesses momentos de crises.

Tente não demonstrar o quanto você esta afetado pelo comportamento da pessoa, é importante também que você fale da mesma, com calma, com tranquilidade, paciência mas com firmeza no voz.

Diga que você entende a frustração dela ou dele e tente ter um dialogo amigável, não sendo possível aguarde o momento oportuno até que a pessoa se acalme.

Você deve ser consciente do que você permiti, do que você proíbe e do que você vai pedir, a partir disso você saberá impor suas regras e seus limites.

lembre-se que todas elas não devem ser regras egoístas, mas devem ser claras, objetivas e acessíveis a outra pessoa.

A pessoa deve sentir que é possível cumpri-las, quebrando assim a objeção dela contra os seus argumentos, gerando assim menos frustração ao parceiro ou parceira.

Quer dizer que a comunicação é o que possivelmente salvará seu relacionamento e tem a possibilidade de romper de vez com as birras e as pirraças, mas isso vai depender da sua sabedoria e do quanto você deseja ver mudanças nele ou nela.

Com toda via porem se seu parceiro ou parceira não apresentar mudanças no seu comportamento, e atrapalhar a convivência e a sexualidade, tornando o relacionamento tortuoso.

Você deve propor uma consulta com um especialista como forma de mais uma tentativa de melhora, em todo o caso ele ou ela não queira não há o que fazer.

Com toda via se o abuso persistir uma decisão mais drástica deve ser tomada, de ir cada um para o seu canto e evitar dores mais profundas em ambas as partes.

Mas a decisão de continuar ou não com uma pessoa birrenta e pirracenta é sua, ser feliz e ter um relacionamento saudável é um direito seu.

Uma sexualidade prazerosa também é um direito seu, viver dentro de um relacionamento feliz não depende só de um, mas sim dos dois.


E aí gostaram da dica de hoje? 



Se este Podcast faz sentido para alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. 

Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança no relacionamento.

E claro, se você gostou, assine nosso podcast na plataforma que você esta ouvindo.
Deixe seu comentário, classifique com sua estrela, agora no spotfy  você pode classificar com as estrelas.

então se você gostou de suas estrelas e, Lembre-se que desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante pra você e se de alguma forma eu estou ajudando.


E não se esqueça, se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas.
APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho.
Faça um PIX no (lirakika51@gmail.com) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar mais pessoas.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#401 - Birras e Pirraças nos relacionamentos

#401 - Birras e Pirraças nos relacionamentos

Olá, aqui é Joana Letícia tudo bem? Sou Especialista da Sexualidade e Saúde Íntima e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”

Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamento e cursos gratuitos?
 
Pra isso participe da nossa comunidade comunidadeone.site e se inscreva. Ou se você tem android baixe o aplicativo ONE na play store ou pelo nosso Instagram dicadoespecialistaoficial

E se gosta do meu conteúdo você quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, seja um  APOIADOR do Espaço Novo Dia, faça um PIX no (98 981168313) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.


Na dica de hoje vamos falar sobre : Maneiras de manter um relacionamento saudável

CTA – Aproveitando antes que eu me esqueça, separei um (LIVRO Exclusivo) pra você no nosso Instagram. Acesse agora e baixe GRATUITAMENTE,
dicadoespecialistaoficial


Você já se perguntou o que é necessário para realmente construir e viver um relacionamento saudável? 

Diferente do que se pensa, não é de forma totalmente aleatória, cada um fazendo o quer, e do jeito que quer.

Todo relacionamento tem dias e fases complicadas  mas, na maioria dos casos, as pessoas percebem que têm algo bom em mãos e lutam para não perder nada. As relações saudáveis precisam correr em via dupla; para isso, ambos os envolvidos têm que estar dispostos a se esforçar um pouco. No fim das contas, tudo vai valer a pena.

Separei alguns pontos que podem melhorar a maneira de se relacionar com o seu parceiro(a).

✔️Aprenda a discutir

Quando um casal consegue discutir de forma saudável, aprendendo a não apenas falar mas, também ouvir o que o outro tem a dizer e respeitar  as opiniões, os argumentos e os sentimentos do outro, as discussões se tornarão muito mais amenas e o casal se tornará muito mais íntimo.

✔️Nunca humilhe seu parceiro em 
público

Não revele coisas que só dizem respeito a vocês dois. Isso serve tanto para fatores emocionais e psicológicos (não saia por aí espalhando, por exemplo, que seu parceiro é inseguro ou mal humorado para o que vocês fazem na cama). Guarde esse tipo de informação pra você.

✔️Não espere que seu parceiro supra todas as suas necessidades

Vocês devem acrescentar algo à vida do outro e não completar a vida do outro. Compreende? Ambos devem ter uma vida completa e a presença do outro deve apenas ser algo a mais em suas vidas uma espécie de “bônus” que você conquistou. 

Tenha sua própria vida, permita que seu parceiro tenha a dele e não espere que ele supra todas as suas necessidades. Divida sua atenção entre seu parceiro, sua família, seus amigos e você mesmo. 

Não ponha nas costas dele o peso da responsabilidade de toda sua felicidade e plenitude.

✔️Elogie seu parceiro diariamente

Relembre-o e relembre-se da importância que ele tem em sua vida e faça com que ele se sinta especial sempre.

✔️Procurem ir pra cama juntos 
sempre

Ir dormir ao mesmo tempo dará a vocês todos os dias um tempinho só de vocês, para conversarem, sonharem, se curtirem, enfim, um tempinho em que o centro do universo é a relação de vocês e devem tratá-la com carinho.

✔️Comuniquem-se

A boa comunicação é a base de qualquer relacionamento bem sucedido, não apenas relacionamentos amorosos, mas também relações familiares, amizades, relações no ambiente de trabalho, etc. Se você está chateado ou zangado com alguma coisa, fale. Não espere que o outro adivinhe o que você está pensando. Se fizer isso, você só vai deixar esse sentimento ruim virar uma bola de neve dentro de você, que hora ou outra, vai explodir da pior forma possível e sem que seu parceiro compreenda o que está acontecendo. 
Tornem a comunicação fácil e fluída entre vocês.

✔️Lembrem-se, o sexo é parte 

Fundamental do relacionamento tão importante quando uma boa comunicação. O sexo é muito bom, então pratique-o com frequência. Apimente-o, faça dele o sua válvula de escape de todo stress sofrido no dia a dia. Uma vida sexual saudável torna o relacionamento muito mais gostoso e agradável.

✔️Seja empático

Sempre que houver uma discussão, tente se colocar no lugar do outro e ver as coisas do ponto de vista dele. Às vezes, tendemos a ser egoístas e só enxergar o nosso lado da moeda, enquanto o outro pode estar sofrendo sem que a gente consiga ver. Procure, então, ser empático sempre antes de iniciar uma discussão.

✔️Sejam um só

A partir do momento em que vocês formam um casal que se ama e tem um relacionamento estável e saudável, não existe mais eu e você, existe o nós. Façam planos juntos, pensem juntos, cresçam juntos. Tornem-se unidos e invencíveis. 
Acredite, isso só vai tornar o relacionamento de vocês ainda melhor.


✔️Escolha suas batalhas

Pense mil vezes antes de iniciar uma discussão pense se brigar e discutir realmente vale a pena, e se não valer, deixe pra lá, não brigue por qualquer coisa, muito menos por coisinhas banais e pequenas. Guarde sua energia para se focar no que é bom e não no que é ruim.


FINAL + CTA



E aí gostaram da dica de hoje? 

Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.

Eu vou sortear 1 Livro de Romance HOT por semana. Pra participar do sorteio é bem simples basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos, como cursos, conselhos, livros, podcasts exclusivos e muito mais. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#400 - Maneiras de manter um relacionamento saudável

#400 - Maneiras de manter um relacionamento saudável

Bom, eu sou Andréa Albuquerque especialista em saúde e bem estar do casal e hoje estou aqui para falar com você sobre um assunto muito importante e pertinente agora pós pandemia todos sabemos que vivemos momentos de tensões mundiais, e muito pessoais, para muito que achavam que viviam em relacionamentos saudáveis, estudos recentes revelam que 70% dos casais sabem que precisam de ajuda nos seus relacionamentos, e não sabem a quem recorrer ou pedir ajuda principalmente quando se trata de relacionamentos abusivos e isso independe de que é o abusador ou de quem é a vítima, ou se trata de uma relação amorosa, profissional, ou de amizades, e sim para quem não sabia o abuso pode vir de qualquer situação, isso incluí também relações entre pessoas do mesmo gênero. Que sofrem abusos e, além disso, são invalidados pela grande maioria da sociedade, e são comuns.
2. Existe principalmente em (nós) mulheres uma tendência de querermos ser a mulher maravilha de queremos salvar tudo e todos a nossa volta, e é aí que mora o grande perigo, esquecemos de nós e na maioria das vezes, esquecemos ou não vemos que o que precisamos a salvarmos a nós mesmo. E então eu estou aqui para falar sobre aquilo que a sociedade que por debaixo do tapete, daquilo que até nós queremos esconder e escondemos as vezes por anos relacionamentos abusivos, ele pode acontecer em qualquer esfera das suas relações afinal pessoas não vem com trailer, para sabermos onde ou com quem estamos nos envolvendo, a questão aqui é que por carência, por ingenuidade, por nunca termos vivido isso, ou por sempre ter vivido essa situação, não percebemos quando um relacionamento se torna abusivo muitas vezes pensamos que as palavras grosseiras que se tornaram frequentes é apenas estresse, afinal todo mundo anda estressado mesmo, não percebemos que os já tão distante elogio se tornaram criticar
constantes. Passamos a viver uma rotina de desculpas e cuidados frequentes, já não falamos com amigos para não provocar mais uma briga as velhas amigas se afastaram porque (esse tipo de pessoa não serve para você) seu companheiro / companheira ouviu você falar com ela e do nada fechou a cara por dias.
3. E você foi se anulando, você foi se isolando e isso se tornou uma rotina, você já automatizou viver se perguntado será que este tudo bem? Será que ele ou ela vai chegar cedo? Será que vai vir hoje? por que será que não está atendendo, e automaticamente vem a voz em sua cabeça dizendo que você está paranoica que você é louco ou louca, que está imaginando coisas, que só não te larga porque tem pena de você, que se te deixar ninguém mais vai te aguentar, que você deveria agradecer
4.
por esta com ele ou ela porque só ele te suporta, de repente aquela pessoa que você vê no espelho, nem de longe se parece com aquela que você já foi um dia, você já não se reconhece mais ali diante de si mesma, e não consegue entender como chegou até aqui, como tudo isso começou, não consegue tomar decisões sozinhas, se sente insegura diante da vida, não tem mais amigos, a família se afastou, e isso te faz frágil e vulnerável dependente , emocionalmente , as vezes financeiramente e psicologicamente , de uma pessoa que esconde através da manipulação e da humilhação ao outro suas próprias fraquezas , suas próprias mazelas. Vocês já não existem como casal, apenas co - existem no mesmo espaço. E agora?
Nesse momento você se olha no espelho e vê algo como um quadro do Jackson Pollock , Um enorme emaranhado , apenas um borrão de cores frias e sombrias que se misturam ao preto e cinza que se transformou sua vida , você simplesmente olha aquilo e pensa , por onde eu começo ?onde está o fio dessa meada? Onde é a origem disso tudo? E apesar de não saber está tudo ali diante de você. Assim é a ideia de sair de um relacionamento abusivo
Um novelo de lã que um gato pegou para brincar!
É a pergunta mais frequente e de certa forma o começo da minha salvação. Um fatídico dia, pela manhã recebi uma ligação de uma grande amiga que foi a única que ainda insistia em se manter por perto, ela me pergunta como estou e a resposta era sempre a mesma BEM e ela insiste e continuo com a resposta bem (mal sabia que ela tinha visto minha ex saindo do apartamento de sua atual amante naquela manhã num prédio em frente ao dela) e ela me pergunta se ela estava em casa eu digo que já saiu para o trabalho e ele me diz que estava indo em casa. depois de muito relutar contra a visita , depois de 2 dias jogada no sofá da sala levanto e vou para o banho , e nesse momento as lagrimas rolam rosto a baixo , sem explicações , eu só me sentia exausta , não conseguia mais mentir pra mim , pros outros , aquele era o meu limite ( aliás já tinha passado dele a muito tempo atrás )eu só me entreguei naquele momento e foi ai que ela chegou e me viu sentada no chão do banheiro a horas chorando compulsivamente , com cigarro na mão, então não houve como negar. A verdade estava ali para qualquer um ver e foi assim que ela teve a certeza de que já vinha a anos falando, e depois de anos eu decide ouvi-la, eu já não tinha mais lagrimas, então esse foi o começo do fim ou o fim de um recomeço, e eu finalmente sai daquilo que chamava lar, sai daquilo que chamava de relacionamento, decidi sair principalmente do fundo de um poço que me parecia não ter fim.
Se encontra depois de tanto tempo não é nada fácil, não é simples, e duas coisas são essências FÉ E CORAGEM, fé porque o contrário do que muitos pensam o relacionamento abusivos te deixam tão ou mais debilitada que qualquer outra droga e a abstinência dela te causa dores
5.

viscerais , haverá momentos em que você vai pensar em desistir , vão haver momentos que você vai achar que não consegue mais lutar contra você mesmo , contra sua mente que insisti em querer te levar de volta a sua droga , aquilo que seu corpo deseja mais do que o oxigênio. Você dúvida da sua capacidade de viver sozinha, das suas ideias dos seus pensamentos, é como se nada mais fizesse sentido nesse momento, e ele parece não ter fim, mas tem.
6. Se olhe no espelho, sim, eu sei que você não faz isso a muito tempo e sim eu sei que dói se olha no espelho, eu sei o quanto machuca ver até onde você chegou, mas se olhe no espelho se olhe, se aceite com todos os seus erros, com o seu defeito, chore, e depois olhe novamente, e veja o quanto você foi capaz de fazer até agora, o quanto você suportou, e se ame pela sua força pela sua coragem, pelo seu bom coração. E se pergunte aonde eu quero ir? Onde eu quero chegar? Se dê o direito de voltar a sonha a fazer planos para si mesmo e mesmo que você não tenha uma resposta exata naquele momento, você já sabe para onde não quer voltar. E estabeleça metas, trace um plano para sua nova vida, transforme grande objetivos em pequenas metas diárias, pois assim você vai poder medir seu progresso dia após dia dívida grandes tarefas, em pequenas, se seu objetivo for estudar mais leia 10 páginas de um livro por dia e assim ao fim do ano você terá lido3.650 páginas. Se for perder peso vá aos poucos perdendo 2kg por mês ao fim do ano terá - 24kg.
7. Se reconstrua aos poucos, seja gentil consigo mesmo, volte ou aprenda a se amar plenamente e se eu posso deixar apenas mais uma dica essa é ACREDITE EM VOCÊ MESMO, VOCÊ É CAPAZ DE CONSEGUIR TUDO AQUILO QUE DESEJAR!

#399 - O céu e o inferno estão dentro de nós

#399 - O céu e o inferno estão dentro de nós


“Olá, aqui é Paula Mucedola tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui, eu e diversos Especialistas do Mundo todo damos dicas todos os dias pra que você consiga conquistar o relacionamento que você sempre quis.”

No episódio de hoje vou falar sobre setembro Amarelo 

Mas antes de começar, eu gostaria de te fazer uma pergunta: Você sabia que é possível receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos gratuitos?

Gostou da ideia? Para ter acesso a tudo isso basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos além de concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana. 
Acesse comunidadeone.site e se inscreva.  

E se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento, mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX para o CPF: 325.118.058-47 acima de R$ 5,00 e nos ajude a ajudar ainda mais pessoas.


E na dica de hoje vamos falar sobre um tema muito importante que é o setembro amarelo (mês de campanha de prevenção ao suicídio)

Hoje quero falar com a voz não só de quem estuda e analisa situações, mas também com a voz de quem vivenciou a dor da depressão.

Acredite em mim: Tempestades não duram para sempre, NADA DURA.
Já parou para pensar que tudo na nossa vida é finito, inclusive ela? 
Dias bons, dias ruins. Ambos são necessários para que possamos evoluir e ser gratos. 

Eu vou te contar um segredo: eu não sei se eu não acreditava, ou simplesmente não entendia a depressão. Achava que era besteira, que era apenas uma forma de chamar atenção ou uma desculpa para não assumir as responsabilidades da vida adulta. Até que ela veio "pessoalmente" se apresentar para mim. 
Passei a enxergar a vida em preto e branco, nada mais fazia sentido pra mim, não tinha vontade de nada, inexplicavelmente eu havia me tornado outra pessoa. 
Medo, ansiedade, angústia, solidão, insônia, tristeza e ao mesmo tempo total indiferença pela minha vida. Era como se não fizesse sentido continuar, eu não tinha para onde ir, não conseguia imaginar o futuro. 

Certo dia, uma amiga me encontrou no chão da sala após tomar uma grande quantidade de medicamentos. Quando me vi nessa situação, entendi, que dali pra frente eu tinha duas opções: tirar de vez a minha vida ou voltar a viver. Graças a Deus eu escolhi a segunda opção, mas quantas pessoas não escolhem? 
Família, amigos e ajuda profissional são muito importantes para nós nesse momento.  Mas nada adianta se nós mesmos não quisermos com todas as forças lutar contra isso. 
Sempre que estiver mal, estiver com problemas, escolha falar, estudar, levantar da cama, trabalhar, escolha seguir em frente. 
Não tenha vergonha de procurar ajuda de um profissional. De falar sobre seus problemas.
Acredite no que eu estou te dizendo: 
Tudo na vida passa, e hoje eu tenho certeza do quanto valeu a pena escolher estar aqui, vivendo tantas coisas que eu sempre sonhei. 
Qualquer um de nós pode viver momentos difíceis e pensar em desistir, o que não podemos nunca é deixar de ver quantas coisas boas ainda podem acontecer, e elas acontecem.

Lembre-se: muitas pessoas se importam SIM com a sua vida. E você, não deve JAMAIS deixar de se importar. Desista de qualquer coisa, mas nunca desista de você!

Espero que essa mensagem possa de alguma maneira tocar o seu coração. 
E se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar para que essa mensagem tão especial possa alcançar mais pessoas e quem sabe, mudar a vida delas de alguma maneira. 

E claro, se você gostou, assine nosso podcast na plataforma que você esta ouvindo, deixe seu comentário, classifique com sua estrela, agora no spotfy  você pode classificar com as estrelas, então se você gostou de suas estrelas e, no Lembre-se que desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante pra vocês e se de alguma forma estou ajudando.


Um excelente dia para nós, e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#398 - Setembro Amarelo

#398 - Setembro Amarelo

Olá, aqui é a Vanessa Carvalho tudo bem? Sou Especialista da Saúde e
Bem Estar do Casal, e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos
Especialistas da Saúde e Bem Estar do Casal de todo o mundo damos dicas
todos os dias para você conquistar o relacionamento que você sempre
quis.
No episódio de hoje vou falar sobre a Sexualidade e o Câncer de Mama.
Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros,
aconselhamentos e cursos gratuitos e ainda concorrer a 1 livro de
Romance Hot da Amazon toda semana?
Para ter acesso a tudo isso basta participar da nossa comunidade, a
Comunidade One, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de
conteúdos gratuitos além de concorrer a 1 livro de Romance HOT da
Amazon toda semana.
Acesse comunidadeone.site e se inscreva.
E se você gosta do meu conteúdo e quer nos ajudar a atingir ainda mais
pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam
melhorar seu relacionamento, mas não podem pagar pelo nosso trabalho,
faça um PIX no, vanessacarvalhoespecialista@gmail.com, acima de 5,00 e
nos ajude a ajudar ainda mais pessoas.
Bom, vamos à dica de hoje.
Na dica de hoje vamos falar sobre: A Sexualidade e o Câncer de Mama.
O sexo é algo inerente ao ser humano, segundo a OMS (Organização
Mundial da Saúde) a sexualidade é considerada como um aspecto
fundamental na qualidade de vida de qualquer ser humano.
Essa dimensão é fundamental em tudo o que somos, sentimos e fazemos.
A OMS considera ainda a saúde sexual como uma condição necessária
para o bem-estar físico, psíquico e sociocultural. 
E quando nos deparamos com um cenário de câncer de mama devemos
dar uma atenção ainda mais especial a sexualidade. Cada mulher reage ao
câncer de uma forma bem diferente, cada uma recebe o diagnóstico de
um jeito, cada uma reage ao tratamento de um jeito, então temos que
cuidar de cada uma respeitando suas particularidades, mas o que
podemos afirmar sem medo de errar é que não se trata somente do físico,
o seu emocional está abalado e a sua sexualidade fica afetada e precisa
de um equilíbrio nesses dois aspectos para ela estar, plena, saudável e
feliz.
A estimativa é que de 20 a 30% das mulheres com neoplasia mamária
desenvolvem disfunções sexuais, o impacto da notícia sobre o câncer já é
um fator que influencia no desejo sexual dela, o foco dela muda,
pensamentos e emoções negativas começam a aparecer, e o inevitável
medo do que vem pela frente, sem falar que a mama é um símbolo da
feminilidade e autoestima o que abala muito a autoestima e a
autoimagem da mulher.
Além de todos os cuidados com o tratamento, ela precisa aprender a se
aceitar e sentir-se bem com o seu corpo durante e após o tratamento.
A autoimagem é um fator importante nessa nova fase, devido aos
tratamentos ocorrem a perda de cabelo e a perda parcial ou total da
mama, essas mudanças físicas principalmente após a cirurgia tendem a
deixá-la menos confortável e insegura consigo e com o parceiro. O
tratamento hormonal e quimioterápico além das consequências físicas,
tendem a deixar a mulher com a vagina ressecada e falta de libido.
Nos EUA já existe a “Oncosexologia” que é uma especialidade para tratar e
acompanhar essas pacientes a passar por esse processo doloroso e difícil
para ela para o parceiro. Aqui no Brasil ainda não existe nada consolidado
a esse respeito, mas nós como Especialistas da Saúde e Bem Estar do Casal
podemos ajudar essa mulher a criar mecanismos para exercer a sua
sexualidade a partir dessa nova perspectiva, valorizando e mostrando que
existem outras formas de prazer além da penetração, e que independente
do tratamento sugerido ela ainda é capaz de sentir prazer.
O parceiro também é um fator importante e não deve ser esquecido, ele
na maioria das vezes pode se estar inseguro, preocupado e sem saber o
que fazer diante dessa situação, muitos não sabem como agir ou até
mesmo demonstrar o seu amor e cuidado à sua parceira. É correto que ele
esteja por dentro do que acontece em relação à saúde, sentimentos,
medos da sua parceira e como ela se sente em relação ao sexo, deixá-lo
participar das tomadas de decisões também é muito importante.
O casal precisa se reconectar, aprender que existem outras formas de
sexo no relacionamento, carícias, sexo oral, estímulos nas zonas erógenas,
abraços, beijos, entre outras. Deve-se exercitar a sexualidade.
Mais afinal como o câncer de mama afeta a sexualidade dessa paciente?
• Ausência do Desejo o que pode ocorrer durante todo o tratamento
ou pelo menos por algum período desse tratamento, é uma
disfunção na qual a mulher tem dificuldade de ficar excitada e
lubrificada, nesse caso a penetração tende a ser dolorida e o
orgasmo raramente é atingido, ela ocorre devido ao tratamento
que altera o equilíbrio hormonal, mas não podemos excluir os
fatores psicológicos, a luta pela sobrevida é tão grande que o sexo
passa a não ser uma prioridade para ela, a aceitação da nova
imagem para ela e para o parceiro também é um fator que conta
bastante.
• A dor nesse caso um problema comum durante a penetração
vaginal, muitas vezes está relacionada as alterações nos tecidos
vaginais e à falta de lubrificação natural, podendo até desencadear
um vaginismo.
• Menopausa Precoce que é a menopausa que ocorre antes do
esperado, com sintomas muito mais intensos do que quando
ocorrem na menopausa natural.
• Dificuldade em atingir o orgasmo, uma penetração dolorosa e todos
os outros fatores psicológicos pelos quais ela está passando podem
dificultar ou até impedir que ela tenha um orgasmo.
Mas, Vanessa como um Especialista da Saúde e Bem Estar do Casal pode
ajudar em casos assim?
• Trabalhando a educação sexual
• Os Gatilhos da Sexualidade (o que faz essa mulher sentir vontade de
fazer sexo)
• A conscientização do parceiro também é muito importante
• Suplementacão
• Indicação de produtos estimulantes da região genital e lubrificantes
pra ajudar na lubrificação.
Mesmo a frente de tantos desafios não se esqueça de cuidar da sua
sexualidade, ela é fundamental para a sua qualidade de vida e a do seu
relacionamento.
E aí, gostaram da dica de hoje?
Se este Podcast faz sentido para alguém que você conheça, clique agora
em compartilhar e envie esse podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era
isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.
E claro, se você gostou, assine nosso podcast na plataforma que você está
ouvindo, deixe seu comentário, classifique com as estrelas, agora no
Spotfy você pode classificar com estrelas, então se você gostou dê suas
estrelas e lembre-se que desta forma consigo saber consigo saber se o
conteúdo que estou fazendo está sendo relevante para vocês e se de
alguma forma ajudo vocês.
E não se esqueça, se você gosta do meu conteúdo e quer nos ajudar
atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos
pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem
pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX no
"vanessacarvalhoespecialista@gmail.com", acima de 5,00 e nos ajude a
ajudar ainda mais pessoas. E também me sigam no Instagram e Facebook
vanessacarvalhoespecialista.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#397 - Sexualidade e o Câncer de Mama

#397 - Sexualidade e o Câncer de Mama

Olá, aqui quem fala é a Bruna Maran, sou especialista da saúde e Bem Estar do Casal, e esta é a Dica do Especialista.
Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.
No episódio de hoje vou falar sobre a importância do diálogo para fortalecer o relacionamento após a chegada dos filhos.
Já imaginou receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos de forma gratuita?
Para ter acesso a tudo isso basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você terá acesso a centenas de conteúdos gratuitos além de concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana.
Acesse: comunidadeone.site e se inscreva.
Se você gosta do meu conteúdo e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX para o CPF 07864409962, e assim nos ajude ajudar ainda mais pessoas.
Bom, vamos a dica de hoje!
A importância do diálogo entre o casal após a chegada dos filhos.
Quando o bebe ainda está lá no ventre da mãe, é sem dúvidas um momento de muita expectativa, planos, os últimos ajustes no quartinho do bebê e uma imensidão de alegria, porém quando nasce um filho nasce também uma responsabilidade maior em fazer o relacionamento dar certo, afinal de contas quem decide formar uma família tem com certeza a intenção de viver juntinhos para sempre.
acontece que em muitos casos aquele relacionamento até então cheio de amor, carinho, abraços e beijinhos dá lugar a uma rotina cansativa, a divisão de tarefas, o puerpério da mulher e seus hormônios totalmente desregulados, a privação de sono, o aumento das dívidas, entre outras tantas mudanças faz o tempo parece ficar mais curto e isso pode sim levar inevitavelmente ao afastamento e esfriamento da relação do casal.
o medo de falhar nessa atividade de fazer dar certo junto com esses fatores (talvez)
E agora, o que fazer? Se isso está acontecendo com você, sinta-se abraçada, e fique calma, vai ficar tudo bem, e se você conhece alguém que está passando por isso compartilhe esse podcast com ela, ajude-nos a ajudar mais pessoas!
Primeiro gostaria de explicar que essas mudanças todas são perfeitamente comuns, a romantização do nascimento dos filhos e aquela família feliz de comercial de margarina que
  a sociedade prega faz a maioria dos casais que passam por esse problema tão comum após o nascimento dos filhos acharem que o relacionamento deles é realmente terrível, e que está fadado ao fracasso, mas tem como amenizar todo esse turbilhão de mudanças e sentimentos desconfortáveis que fazem os relacionamentos virarem de pernas pro ar, eu vou te dizer como, fica comigo!
O ponto principal que gostaria de colocar aqui é que: O diálogo entre o casal tem que ser assertivo.
Cada ser é individual e trás consigo suas manias, crenças e bagagem emocional, e é quase impossível conviver com o cônjuge sem ter reclamações sobre o outro, não é mesmo? todavia, na hora de expressar o descontentamento com algo que o outro faz, alguns comportamentos devem ser evitados.
PRIMEIRO PONTO: Não deixe de dizer o que lhe incomoda, não se esquive de ter conversas mais sérias e longas, não tente evitar conflitos a todo custo, eu imagino que o emocional do casal não esteja tão bom com tantas mudanças bruscas e repentinas depois da chegada do bebê, porém, esse comportamento de tentar evitar conversas necessárias acaba por afastar o casal emocionalmente, falar sobre emoções fortes como a tristeza e a raiva é necessário e fortalece o casal, é uma demonstração da confiança que sente no outro, e também de intimidade.
É necessário vez ou outra esclarecer alguns pontos do relacionamento, mas por medo de estragar o dia que já foi cansativo e estressante o casal decide por adiar o diálogo.
Uma dica é o casal marcar um dia da semana, um determinado horário, para que possam se sentar à mesa ou no sofá da sala e conversarem sobre os acontecidos da semana e tudo o que eles podem melhorar dentro de casa, mas lembre-se, é um compromisso do casal e não deve ser adiado, o compromisso de querer fazer dar certo também é um ingrediente necessário para mudanças. Alinhar tais pontos é importante para evitar que pequenos problemas se acumulem e como consequência, aí sim, e se transformem na temida DR do casal, aquela discussão chata que o casal tanto quer evitar. Quando se mantém esse estilo de relacionamento que aparentemente parece perfeito pois afinal não há discordância entre o casal, pode estremecer quando colocado frente a situações desafiadoras ou novas como o nascimento do filho, não deixe chegar ao ponto de discutir e no momento de estresse dizer palavras duras e até ofensivas à pessoa que você escolheu para compartilhar sua vida e jurou amor eterno.
SEGUNDO PONTO: A forma como são feitas as queixas ao cônjuge devem receber atenção especial, pois uma palavra dita de forma equivocada pode magoar profundamente o outro, muitas vezes a comunicacao nao verbal que nada mais é do que aquela cara feia, a revirada de olhos, gesticulações impróprias, tudo isso expressa sentimentos sem que precise de palavras propriamente ditas, então atenção com o sarcasmo e agressividade contidos na comunicacao nao verbal, essa é a receita certa para uma explosão de sentimentos negativos florescerem e gerar ressentimento entre as partes, fuja desse tipo de comunicação com caras e bocas.

 Aí você deve estar falando pra si mesma: “ Impossível, quando eu saio de mim não consigo me controlar, quando eu vejo ja foi”.
Pois bem, por isso a importância do primeiro ponto que eu citei agora, certificar-se que os ânimos estão calmos antes de começar uma conversa entre o casal é muito importante e evitar ofensas, o tom de voz deve manter-se calmo e deve se concentrar tão somente em dizer o que precisa ser dito, mas lembrando sempre: sem acusações, sem julgamentos e com espaço para perdoar e pedir perdão.
troque a frase: mas tu é bem mentiroso mesmo eim... por frases do tipo... gostaria q nossa relação se baseasse na confiança, você me entristece agindo assim.
TERCEIRO PONTO: Elogie, demonstra admiração pelo cônjuge.
do mesmo jeito que se diz com muita facilidade “nossa, como essa sua mania chata sua, me irrita”, diga “obrigada por estar presente em minha vida, obrigada por se esforçar para ser um bom pai ou uma boa mãe", diga o quanto o cônjuge é especial e o quanto você o admira, pratique esse exercício diariamente, a prática leva a perfeição, no começo pode parecer forçado e difícil, mas com o tempo vai ficando fácil e prazeroso, porque você vai vendo o brilho no olhar do outro em receber o elogio, e ver quem amamos feliz é gratificante não é mesmo?
já que a rotina da família mudou, aproveite para modificar e aperfeiçoar o que puder também, se fortaleçam como casal neste momento!
e se estiver com dificuldade em fazer isso sozinho não exite em procurar ajuda de um profissional.
Entre em contato com os diversos especialistas da saúde e bem estar do casal, nós teremos prazer em guiar o relacionamento de vocês até o sucesso!
E aí gostaram da dica de hoje?
Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.
E claro, se você gostou, assine nosso podcast na plataforma que você está ouvindo, deixe seu comentário, e se estiver ouvindo no spotify classifique com suas estrelas, desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante pra você, e se de alguma forma estou ajudando.
Bom, eu fico por aqui, não perca a próxima dica do Especialista.

#396 - A importância do diálogo para fortalecer o relacionamento após a chegada dos filhos.

#396 - A importância do diálogo para fortalecer o relacionamento após a chegada dos filhos.

“Olá, aqui é Ani Rose Frutuoso tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”
No episódio de hoje vou falar sobre
Por que quando os filhos nascem a grande maioria dos casamentos entram em crise.
Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamentos e cursos gratuitos e ainda concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana?
Pra ter acesso a tudo isso basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos além de concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.
E se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX nesta chave especialistaanirosefrutuoso@gmail.com acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.
Bom, vamos a dica de hoje.
E vamos falar sobre
POR QUE QUANDO OS FILHOS NASCEM A GRANDE MAIORIA DOS CASAMENTOS ENTRAM EM CRISE.
Como já sabemos a chegada dos filhos é a grande alegria da casa, onde tudo muda, virando a casa, os novos papais pelo avesso, e todos da família tendo que se adaptar com a nova rotina, novas responsabilidades, novas tarefas e obrigações.
E no primeiro ano nossa, nem se fala, parece até que estamos fazendo uma prova para ser testado todos os dias, ainda mais por que ninguém já nasce sabendo de tudo, ou vem acompanhado de um manual de instrução escrito de como é ser pai e
ser mãe. E olhe que por mais que alguns casais tenha feito curso de planejamento familiar já se preparando para receber o bebê, embora que colocando tudo isso na prática não é o que parece.
A verdade é, nenhum casal esta totalmente pronto e preparado para esta nova fase da vida, acontecem diversas coisas no meio do caminho. É conflitos, brigas, discussões, podendo claro abalar sim qualquer relacionamento, ainda mais para aqueles se não estiverem bem estruturados.
E uma criança exige muito mais da sua atenção e cuidados principalmente o papel da mãe que toma 100% de todo o seu tempo.
Uma delas que muitas questionam é várias e várias noites sem dormir, noites em claro, aí bate aquele medo de não ser forte o bastante para conseguir, vem as incertezas, inseguranças, ansiedade, bate o cansaço, fadiga, stress, vem trocas de fraldas, é dar banho e imagine para quem não tem tanta prática, também ter que amamentar e por aí vai. Podendo até muitas dessas mães ficarem com depressão pós-parto.
E tudo isso eu também passei, senti na pele e para mim não foi nada fácil eu mãe de primeira viagem, achava que estava preparada para receber uma criança, mais que na verdade eu não estava, e pude tirar minhas conclusões na hora da prática, foi tudo muito diferente, abalando bastante o meu casamento e olhe que eu e meu esposo tínhamos planejado e decidirmos ter a nossa filha.
Uma coisa eu te digo e posso te afirmar com toda certeza, que depois que os filhos nascem o relacionamento não é mais o mesmo e coisas que vocês faziam antes, sem até mesmo estar dentro da programação, não serão mais a mesma.
Mas e aí, por que quando os filhos nascem a grande maioria dos relacionamentos entram em crise. Vou citar alguns pontos aqui para vocês. E acredito que algum de vocês que estejam aqui escutando ou lendo este podcast, já tenha até passado por alguma dessas situações ou todas elas.
• 1o ponto
• A distribuição desigual das tarefas
É quando apenas um dos parceiros ficam sobrecarregados com os cuidados do bebê e tudo tende a ser muito mais complicado. As tarefas, deveres e obrigações precisam ser divididas por igual, e na maioria dos casos o pai precisa trabalhar pra manter a casa e aí onde acontece os conflitos ex: Esse é o mais comum e que se ouve falar. Há mais é você que é a mãe tem que cuidar mesmo, sim sou, mais você

também pai, você que fez eu não fiz só e tem mais que a sua obrigação de poder me ajudar. Sendo assim dando início as brigas.
• 2o ponto
• O afastamento
A proximidade da mãe com o bebê querendo a sua atenção o tempo todo. O afastamento do companheiro é comum e normal acontecer, porém o homem se sentem excluídos da relação chegando a se sentir enciumados parece uma coisa boba, mais é verdade, isso gerando problemas na comunicação sem conseguirem se entender.
• 3o ponto
• falta de sono
Uma das principais queixas dos novos pais é a falta de sono, poucas horas de sono por noites e como todo mundo sabe, para que a pessoa esteja bem precisam dormir no mínimo de 6 a 8 horas por dia. E uma noite mal dormida a pessoa tende a afetar o seu humor, e nesta fase é impossível dormir tanto. Tendo consequências dentro do relacionamento.
• 4o ponto
• Falta de tempo
O bebê fica a depender tanto da mãe que além de tirar o sono, tira também o tempo da mãe. Sendo esse tempo que ela poderia usar para fazer o que gosta, deseja, ou seria o tempo de se dedicar a si mesma ou dar atenção ao marido. Mas agora ela tem um novo perigo, sabe qual? Qualquer 5 min que ela tenha disponível ela corre logo para alguma fonte de distração, até para as coisas mais simples que seja. Tipo, tomar banho ou comer que isso é até uma necessidade. E muitas não conseguem alinhar esse tempo.
• 5o ponto
• A diminuição da frequência sexual
A rotina sexual do casal muda muito com achegada da criança, onde o sexo fica quase impossível e precisando se programar para acontecer, como dia e hora marcada, não podendo mais fazer como era antes.
Aí vem a famosa “rapidinha” aproveitando o horário que a criança está dormindo. È muito importante o casal se esforçar e encontrar uma brecha para namorar, nem que seja pelo menos uma vez por semana ou realize alguma atividade prazerosa para ambos, tipo um jantar romântico mesmo estando em casa.

• 6o Ponto
• Um dos pais se sentirem em desvantagem
Se apenas um dos parceiros consegue sair para se divertir com os amigos ou outros lugares e isso estar errado. Pois esses momentos além de serem uma distração, são importantes para o indivíduo se recompor, todo mundo precisa de lazer. Mas é considerável de que os dois tenham a oportunidade de viver esses momentos juntos como um casal.
• 7o ponto
• Planejamento financeiro
O dinheiro ou a falta dele pode abalar qualquer relação e a chegada de uma criança pode deixar tudo muito mais difícil. Pois os gastos só fazem aumentar de acordo com o tempo, são Fraldas, leite, introdução alimentar, remédios, plano de saúde, escola, são coisas que antes não fazia parte do orçamento e que agora faz.
• 8o ponto
• Interferência externa
Quando o bebê nasce, a maioria das pessoas da família vem querer ajudar, dar palpites, ou como muitos falam “querer se meter aonde não deve” fazendo com que atrapalhe a rotina do casal, que ainda estão se adaptando com a nova fase.
• 9o Ponto
• O dilema da cama compartilhada
Dividir a cama com as crianças compromete e atrapalha a intimidade do casal e a criança deve ter o seu lugar certo na hora de dormir, até já para ir se acostumando, por que depois para tirar não é tão fácil. E assim que o bebê chega em casa para ficar mais fácil e comodo para a nova mãe, muitas dividem o quarto, ficando receosa de deixar o bebê só, aí vai ficando, ficando que depois para tirar demora.
• 10o Ponto
• Mergulho no universo infantil
Se a mulher passa o dia inteiro em casa cuidando da criança sozinha, seja por licença maternidade ou por que parou de trabalhar fora para se dedicar integralmente a ela, a mãe fica mergulhada no universo infantil, onde só é visto, feito e falado coisas, assuntos relacionados a criança.

• 11o Ponto
• Intensificação dos equilíbrios anteriores
As vezes o bebê não é o responsável pelo desgaste da relação dos pais, que se intensifica, piora, desanda de vez, mas que podem surgir problemas que já existiam e não foram resolvidos anteriormente para a chegada dele.
• 12o Ponto • Traição
Muitas vezes após a chegada do bebê e com o desgaste do relacionamento, tanto o homem ou a mulher podem trair conhecendo outra pessoa levando até a separação.
Embora tudo seja fase, tudo depois passa a criança cresce, o casal amadurece com seus erros e acertos, afinal de contas ninguém é perfeito né verdade.
E aí gostaram da dica de hoje?
Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.
E claro, se você gostou, assine nosso podcast na plataforma que você esta ouvindo, deixe seu comentário, classifique com sua estrela, agora no spotfy você pode classificar com as estrelas, então se você gostou de suas estrelas e, no Lembre-se que desta forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante pra vocês e se de alguma forma ajudo vocês.
E não se esqueça, se você gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu relacionamento mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX nesta chave especialistaanirosefrutuoso@gmail.com acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.
Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#395 - Por que quando os filhos nascem a grande maioria dos casamentos entram em crise?

#395 - Por que quando os filhos nascem a grande maioria dos casamentos entram em crise?

Olá, aqui é Andréia Girelli tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do
Casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e
Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você
conquistar o relacionamento que você sempre quis.
No episódio de hoje vou falar, que você é a média das cinco pessoas com quem
mais convive!
Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros,
aconselhamentos e cursos gratuitos e ainda concorrer a 1 Livro de Romance
HOT da Amazon toda semana?
Para ter acesso a tudo isso basta participar da nossa comunidade, a Comunidade
ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos
além de concorrer a 1 Livro de Romance HOT da Amazon toda semana. Acesse
comunidadeone.site e se inscreva.
E se você gostou do meu conteúdo e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas,
APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que precisam melhorar seu
relacionamento, mas não podem pagar pelo nosso trabalho, faça um PIX no
número de celular (54-999589214) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda
mais pessoas.
Bom, vamos a dica de hoje.
Na dica de hoje vamos falar sobre a média das cinco pessoas com quem mais
convive! VOCÊ JÁ DEVE TER OUVIDO ESSA FRASE
No que se refere a relacionamentos, nós somos extremamente influenciados por
aqueles que estão em nossa esfera de contato. Eles afetam à nossa maneira de
pensar, as nossas decisões e a nossa autoestima.
Andréia isso é verdade? Verdade.
Vou explicar um pouco melhor.
Primeira coisa que você precisa fazer é: Trabalhar os três pontos com os casais.
Que são eles:
 Quais são as 5 pessoas ou casais com as quais passo a maior parte do
tempo?
 Essas pessoas ou casais se adequam ao que você quer para o futuro, para
seu relacionamento, sua família?
 Essas pessoas ou casais tem os mesmos valores pessoais e familiares que
você?
Exemplo
Muitas vezes os casais chegam no consultório dizendo que seu relacionamento
estava tudo bem e de repente entrou em crise, nós começamos a brigar do nada.
Não é do nada, alguma coisa aconteceu, de repente passou aquele momento da
paixão, lembra da dopamina, da testosterona ou caiu na fase do companheirismo.
Realmente aconteceu um problema, ou o casal (homem ou a mulher) está sendo
influenciado pelas pessoas que ele(a) convive.
Andréia isso acontece?
Sim isso acontece muito!
Primeiramente para descobrir isso, precisamos trabalhar quais são as pessoas ou
casais que você passa a maior parte do seu tempo?
Com isso podemos descobrir se está afetando o seu relacionamento ou não?
O segundo ponto a se trabalhar é se essas pessoas ou casais se adequam ao que
você quer para seu relacionamento e sua família.
Isso podemos aplicar em várias áreas da nossa vida, mas aqui estou falando de
relacionamento.
Vamos imaginar o seu relacionamento, estão bem e felizes, de repente seus
amigos(a) só reclamam dos seus parceiros(a), que ele(a) é ruim, só acham
defeitos e nada presta.
Isso vai contaminar você? Quando acontece isso, você acaba se influenciando.
O que acontece daí?
Você começa a achar defeitos no parceiro(a) onde não existiam antes.
Começam as discussões onde não há necessidade, por que acabamos nós
contaminando pelas pessoas que estão ao nosso redor.
Por isso a importância da SIMILARIDADE, não só com seu parceiro(a), mas
também com as pessoas que você convive.
Isto é, você é a média das 5 pessoas que você convive.
Se você convive com pessoas que estão com seu casamento ruim, vida sexual
ruim, só reclamam, automaticamente você vai ver chifres na cabeça de cavalos,
isso é fato.
Você já percebeu que quando você chega para um amigo(a) e diz que está
passando por problemas no seu relacionamento, o que esse amigo(a) diz, “então
separa e arruma
outra pessoa”.
Qual é o valor desse amigo(a), é esse valor que você quer pra você?
Existem casos que o casamento está muito bom, mas com a influência externa,
pelas amizades, convívio família e amigos, o relacionamento está sendo afetado
por conta disso, causando muitos problemas.
Terceiro ponto o que eles valorizam?
A família, a festa, eles(a) tem os mesmos valores pessoais e familiares que você?
Essas pessoas ou casais precisam ter os mesmos valores, se você convive com
pelo menos 5 pessoas, você precisa analisar esses três pontos.
Será que as pessoas que estão ao meu redor, tem os mesmos valores que eu
tenho?
Não estou dizendo que você deva abandonar familiares e amigos, entretanto, que
fiquem alerta e consciente. Gerencie seu tempo com essas pessoas. Deixe os
conselhos para quem está na mesma sintonia ou que estejam colhendo os frutos
que você tanto deseja.
Você realmente é a média das 5 pessoas que você mais convive, independente de
ser no seu lado profissional, pessoal, famílias e de relacionamento, então você
precisa estar cercado de pessoas assim, com os mesmos valores que você tem.
Por que muitos casais estão bem, acabam sendo influenciados por amigos(a) que
não tem o mesmo valor, que não são similares, só reclamam.
Exemplo
O marido está com esposa, tudo certo e perfeito, mas a esposa vai sair com as
amigas. A amiga X começa a reclamar do seu relacionamento, a amiga Y começa
a reclamar do seu parceiro.
Como está esposa vai chegar em casa? 
Com uma carga de pensamentos negativos gigantescos, daí ela começará a olhar
pequenos detalhes que o marido faz, que não incomodavam antes, mas que agora
passam a incomodar.
Você consegue entender que é uma coisa muito complicada, as pessoas ou casais
com os quais você se relaciona, podem estar de alguma forma falando de seus
parceiros(a) de seus pontos negativos e isso acaba influenciando o seu
relacionamento.
Muitas vezes o problema não está no relacionamento, pois o casal não briga, não
existe traição, vamos pensar diferente então, o problema está com as pessoas que
você se relaciona, seus amigos.
Por isso precisamos estar firmes com nossos valores, e não deixar que outros nos
contaminem com seus valores.

Quer saber mais me segue nas Rede sociais Facebook/Instagram
@especialistaandreiagirelli ou pelo WhatsApp 54-999589214.

E aí gostaram da dica de hoje?
Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em
compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que
faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.
E claro, se você gostou, assine nosso podcast na plataforma que você está
ouvindo, deixe seu comentário, classifique com sua estrela. Lembre-se que desta
forma consigo saber se o conteúdo que estou fazendo está sendo relevante pra
vocês e se de alguma forma ajudo vocês.
E não se esqueça, se você gosta do meu conteúdo e quer nos ajudar a atingir
ainda mais pessoas, APOIE o Espaço Novo Dia, nele atendemos pessoas que
precisam melhorar seu relacionamento, mas não podem pagar pelo nosso
trabalho, faça um PIX no número de celular (54-999589214) acima de R$ 5,00 e
nos ajude ajudar ainda mais pessoas.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#394 - Você é a média das cinco pessoas com quem mais convive

#394 - Você é a média das cinco pessoas com quem mais convive

Olá, aqui é Eliane tudo bem?Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a dica do Especialista.Aqui nós e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias para você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”

E se você gosta dos nossos conteúdos e se eles fazem a diferença
na sua vida, no seu relacionamento, então seja um apoiador do
Dica do Especialista. Apoie a partir de R $9,00 por mês e com
isso você nos ajuda a continuar a criar conteúdos para ajudar
casais em todo mundo. E ao se tornar apoiador, você tem acesso a
dicas exclusivas, livros e conselhos de especialistas.

Para apoiar, acesse o site especialista.site/dicadoespecialista ou
pelo instagram institutommacademy.

Bom, vamos a dica de hoje.

Na dica de hoje vamos falar sobre.

 DESCOBRIR MOTIVOS QUE LEVARAM O RELACIONAMENTO AO DESGASTE

Aproveitando antes que eu me esqueça, separei
Um (LIVRO Exclusivo ou Curso Exclusivo) pra você na minha página oficial e no meu Canal no Telegram. Acesse agora e baixe GRATUITAMENTE, especialista.site/especialista/  Eliane paiva )


Descobrir motivos que levaram o relacionamento ao desgaste, mas antes de falarmos sobre isso eu preciso fazer uma pergunta!

Você deseja continuar nesse relacionamento ?
Se sua resposta for sim, qual motivo real para você ficarem juntos? 

sabe porque estou te fazendo essas perguntas?  Porque é necessário saber se vocês estão decididos a resgatar o seu relacionamento, mas antes disso preciso te pontuar algo meu objetivo aqui não é resgatar o relacionamento de fato, mas sim te ensinar a criar um novo.

Pois para salvar um relacionamento que está afundando é entender se existe mesmo amor.
Todo relacionamento tem sua própria história, situações e passado. Ninguém além do casal pode decidir se estão apaixonados ou não. O amor é para sempre, e se não for para sempre, não é realmente amor. Os sentimentos que uma pessoa tem de amor verdadeiro, nunca morrem. Então se seu relacionamento é real, você ainda sentirá amor por seu parceiro, mesmo que a situação atual seja terrível. O primeiro passo, portanto, para tentar salvar um relacionamento, é descobrir e decidir se você ama ou não seu parceiro. Ambos devem decidir se vão ou não se dedicar à transformação.

se vocês estão decididos…. então vamos para o próximo passo que é descobrirmos os motivos que levaram o seu relacionamento ao desgaste.

1ª Parte –  Fale o que incomoda e o que entristece no relacionamento.

2ª Parte – O que mais gosta e se sente amado ou amada no relacionamento.

Sem brigas e sem discussões. O objetivo não é criticar e sim deixar claro o que incomoda e o que gosta no relacionamento.

2° passo:  Crie um Símbolo

OK, Eliane, mas o que significa isso? Nesta etapa deve-se criar algo que os lembre constantemente do objetivo final. Imaginar como será quando o objetivo for alcançado.

3º Passo: COMUNICAÇÃO

Nesta etapa  é necessário nós juntos descobrir qual é a sua linguagem do amor, tanto a sua e do seu parceiro ou parceira,  porque o meu objetivo é  melhorar a comunicação entre vocês.  por que depois descobrindo fica muito mais fácil trabalhar dinâmicas para melhorar a comunicação entre vocês.

  PORQUE MUITAS VEZES FALTA DE COMUNICAÇÃO É CONSEQUÊNCIA DA FALTA DE CONFIANÇA E DE INTIMIDADE.


4º Passo: RESOLUÇÃO DE DORES

Nesta etapa, depois de ouvir vocês de forma individual,  vamos focar na solução das dores pois depois de identificar,  o foco não é melhorar pontos ruins e sim eliminá-los. 

Aí você deve estar se perguntando Eliane, mas como vamos eliminá los ? é muito simples, vamos criar novos hábitos para vocês a partir de hoje ok!

  lembrando.. Pequenas atitudes vão gerar grandes mudanças, na maioria muitos deles serão chatos, maçantes ou até mesmo desagradáveis, porém no final farão uma diferença enorme na mudança, por isso preciso da sua total dedicação….

Também é necessário usar  a técnica do Sentimento de Gratidão: 1 vez por semana liste algumas coisas que o seu cônjuge tenha feito para fortalecer o relacionamento e você tenha feito o mesmo.

Também é necessário trabalhar a Técnica da 3ª Pessoa:  quando vocês estiverem brigando, a discordância deve ser pensada a partir de um ponto de vista de uma 3ª pessoa que deseja o bem de ambos.

 Agora vamos para a próxima, que é técnica das Conclusões Precipitadas: Quando o parceiro (a) agir mal com você nunca exagere na interpretação do fato ocorrido. Atribuir as mensagens não respondidas pelo whatsapp a defeitos permanentes e por aí vai..

Agora vamos para o 5° passo fechando com chave de ouro 
tudo que eu trouxe aqui para vocês…
5º Passo: CRIAR NOVOS HÁBITOS e NOVAS MEMÓRIAS

 Pois para a formação de um novo hábito importa mais QUANTAS VEZES VOCÊ PRATICA do que COMO você pratica.

1ª Dica: Uma caminhada de 100 km é feita com um passo de cada vez .
2ª Dica: Caminhe lentamente e não pare
3ª Dica: Concentre-se no objetivo final
4ª Dica: Não é sobre o que você quer, mas sim sobre quem você quer ser.

 E não esquecendo… use também a o seu favor Técnica do Toque: Ficar de mãos dadas, abraços e carinhos. Sempre que possível.
 Sabe por que ?algumas pessoas com baixa autoestima tem dificuldade em acreditar que são realmente amadas e consequentemente costumam deixar o afeto do parceiro de lado para evitar a mágoa vinda de uma rejeição que só existe em sua imaginação. Esse temor pode se tornar realidade caso tal comportamento defensivo gera o afastamento do outro. Para ajudar a resolver, busque lembrar qualquer elogio que receberam do seu parceiro (a).
Pense abstratamente nos elogios recebidos, explique os motivos pela admiração do seu parceiro(a) e que isto significava para o relacionamento de você.

E aí gostaram da dica de hoje? Pra você ouvir mais dicas
como esta, basta acessar e assinar
nosso Podcast pelas principais plataformas.

E se você gosta dos nossos conteúdos e se eles fazem a
diferença na sua vida, no seu relacionamento, então seja um apoiador do Dica do Especialista. Apoie a partir de R $9,00 por mês e com isso você nos ajuda a continuar a criar conteúdos para ajudar casais em todo mundo.
E ao se tornar apoiador, você tem acesso a dicas
exclusivas, livros e conselhos de especialistas.
Para apoiar, acesse site especialista.site/dicadoespecialista
ou pelo instagram instituto academy.

Bom, ficamos por aqui e a gente se vê na próxima dica do
Especialista.

#393 - MOTIVOS QUE LEVARAM O RELACIONAMENTO AO DESGASTE

#393 - MOTIVOS QUE LEVARAM O RELACIONAMENTO AO DESGASTE

#392 - Separei e agora, o que fazer?

#392 - Separei e agora, o que fazer?

Olá, aqui é Marlene Miranda tudo bem?
Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a dica do especialista.
Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos
dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”
Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamento e cursos
gratuitos?
Para isso participe da nossa comunidade, a Comunidade ONE, acesse: comunidadeone.site
ou pelo nosso Instagram dicadoespecialistaoficial.
E se gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, seja um um
APOIADOR do Espaço Novo Dia, faça um PIX no (especialistamarlenemiranda@gmail.com)
acima de R$5,00 e nos ajude a ajudar ainda mais pessoas.
Na dica de hoje vamos falar sobre stealthing .

Você já ouviu falar?
Você sabe o que é?
'Tirou a camisinha sem me falar': entenda o stealthing, violência sexual que pode ser alvo
de processo.
Em outubro deste ano, o governador da Califórnia Gavin Newsom sancionou uma lei que
proíbe remover a camisinha sem consentimento durante o sexo, e que torna este gesto um
delito civil de agressão sexual.

No Brasil, a discussão ainda engatinha, mas especialistas dizem que é possível punir os
agressores.
Por Bruna de Alencar, g1.
Retirar a camisinha durante a relação sexual sem consentimento da parceria é crime na
Califórnia, Estados Unidos.

Nem toda violência sexual é explícita.
Ao contrário do que se imagina, as formas mais comuns de violência se confundem nas
sutilezas.
São comportamentos que podem parecer um mero deslize ou esquecimento, como o ato
de tirar a camisinha sem avisar a parceria.
Esse é o caso de Bianca (nome fictício) e de uma infinidade de mulheres e homens que, em
relacionamentos hetero ou homoafetivos, foram expostos a uma relação sexual
desprotegida sem seu consentimento.
'Era como se meu sangue e sêmen fossem venenosos': o homem que descobriu 'sem
querer' que tinha HIV.
Em inglês a prática tem nome: stealthing, que poderia ser compreendido como ‘furtivo’, em
tradução livre para o português.
O termo foi criado para descrever o ato sexual em que uma das partes retira o preservativo
sem comunicar a parceria.
Em 2017 em uma revista acadêmica que discute questões legais associadas ao gênero da
Universidade de Columbia, nos Estados Unidos.

Violação da autonomia
A remoção não consensual do preservativo durante a relação sexual é considerada uma
violência porque expõe às vítimas a doenças sexualmente transmissíveis e gravidez
não-desejada.
Além disso, e principalmente, a prática do stealthing é uma grave violação da autonomia da
parceria sobre o seu próprio corpo.
Bianca conta que já passou pela mesma situação em duas ocasiões diferentes com homens
distintos.

Em ambas situações, os homens desconversaram e afirmaram que não haviam notado que
o preservativo havia saído.
“Eu fiquei nervosa, vi que eles estavam mentindo, tive que tomar remédios para me
proteger das possíveis consequências, mas não havia entendido que era uma forma de
estupro.
Só fui entender dois anos depois da segunda experiência, assistindo uma série”, diz
Bianca.
Uma situação assim é retratada na série britânica "I May Destroy You", da HBO.
A protagonista tem uma relação sexual em que o parceiro retira a camisinha sem que ela
perceba.
Ela só se dá conta de que foi vítima de uma violência dias depois, ao ouvir sobre isso em
um podcast, e, mais tarde, ao conversar com uma policial, descobre que essa prática é
considerada estupro no Reino Unido.
Agressor pode ser punido
Em outubro deste ano, o governador da Califórnia Gavin Newsom sancionou uma lei que
proíbe remover a camisinha sem consentimento durante o sexo, e que torna este gesto um
delito civil de agressão sexual.
É a primeira lei deste tipo nos Estados Unidos.
No Brasil, a discussão ainda engatinha.
De acordo com a defensora pública do Estado de São Paulo Mariana Bianco, não há no
Código Penal um crime que tipifique especificamente esse tipo de violência.
"Existe, sim, uma lacuna na legislação brasileira para esse fato.
Não existe um crime que trate especificamente dessa ação fática", afirma Bianco.
Na ausência de um dispositivo certeiro que enquadre a violência, alguns especialistas
afirmam que seria possível enquadrar o crime como fraude.
De acordo com o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios, o ato de retirar a
camisinha durante o sexo, sem o consentimento da outra pessoa, pode caracterizar o crime
de violação sexual.
Mediante fraude, o agressor pode ser preso sob pena de 2 a 6 anos, conforme descrito no
artigo 215 do Código Penal.
O ato pune a conduta de ter relação íntima com alguém, por meio de engano ou ato que
dificulte a manifestação de vontade da vítima.

Art. 215. Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com alguém, mediante fraude
ou outro meio que impeça ou dificulte a livre manifestação de vontade da vítima:
(Redação dada pela Lei no 12.015, de 2009)
Apesar de ser possível enquadrar o ato nesse dispositivo, não há garantias de que o
judiciário entendeu da mesma forma.
"O artigo 215 retrata uma fraude que ocorre desde o primeiro momento.
O stealthing não se encaixa perfeitamente nesse dispositivo porque a vítima concordou
com a relação sexual.
Ou seja, não é uma fraude que existe desde o início.
O que ela não consentiu foi com a retirada do preservativo, e isso também é muito mais
difícil de provar", diz Bianco.
Segundo Bianco, a ausência de um artigo penal que enquadre essa violência em sua
totalidade poderia levar à absolvição do agressor.
A falta de consentimento em qualquer momento da relação sexual, contudo, pode ser
caracterizada como crime de estupro.
“Cabe ressaltar que mesmo que a o início da relação tenha sido consentido, a partir do
momento em que há a falta de consentimento a conduta pode ser caracterizada como crime
de estupro”, explica o site oficial do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios.
Mas chances de conseguir, de fato, punir o agressor com base no crime de estupro são
igualmente baixas, ainda mais se ele for o marido ou namorado.
Na maioria dos casos, provar a violência perante o judiciário se torna um duelo entre a
palavra da mulher e do agressor.
Denunciar é importante.
Embora exista a chance do agressor sair impune, Bianco reforça que é importante que as
mulheres denunciem esse tipo de agressão.
"As denúncias levam o judiciário e a sociedade a entender que isso é uma prática violenta e
que merece ser coibida.
Eu acho que a longo prazo isso leva a uma mudança para entender que isso é errado,
precisa ser combatido e punido, consequentemente", afirma a defensora pública.
Outra ação indireta do aumento das denúncias é a dissipação da informação.

"Eu li registros de mulheres que se sentiram extremamente violentadas em decorrência
dessa situação [stealthing], mas existia uma dificuldade por parte delas de entender que
havia acontecido, de fato, uma violência sexual"
"Por isso, a denúncia fortalece a vítima, psicologicamente, porque ela entende que sofreu
uma violência e que ela merece justiça, o que acaba incentivando e alertando outras
pessoas", diz Bianco.

E aí gostaram da dica de hoje?
Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e
envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou
amigo ter aquela mudança.
Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#391 - Tirou a camisinha sem me falar: entenda o stealthing

#391 - Tirou a camisinha sem me falar: entenda o stealthing

Olá, aqui é Mel Viana, como vocês estão? Espero que bem, assim como eu estou. Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e este é o Podcast Dica do Especialista. Aqui, diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo, inclusive eu, damos dicas todos os dias para você conquistar o relacionamento que você sempre quis.

Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamento e cursos gratuitos?
 
Para isso participe da nossa comunidade, a Comunidade ONE, acesse: comunidadeone.site ou pelo nosso Instagram dicadoespecialistaoficial

E se gostar do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, seja um um APOIADOR do Espaço Novo Dia, faça um PIX no CPF 01286940680 no valor a partir de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.

Na dica de hoje, quero trazer uma reflexão de como o TDAH influencia no relacionamento amoroso.
O Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e frequentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. 
Ele ocorre em 3 a 5% das crianças considerando várias regiões diferentes do mundo em que já foi pesquisado. Em mais da metade dos casos o transtorno acompanha o indivíduo na vida adulta; embora os sintomas de inquietude sejam mais brandos, a agitação permanece na mente.
Não existe controvérsia quanto à existência do TDAH, ele é reconhecido oficialmente por vários países e pela Organização Mundial da Saúde (OMS).
 
Mesmo sendo reconhecido oficialmente, muitas pessoas não admitem a existência desse transtorno. Isso acontece tanto pela inocência e falta de formação científica quanto por má-fé. Alguns chegam a afirmar que “o TDAH não existe”, é uma “invenção” médica ou da indústria farmacêutica, para terem lucros com o tratamento.
Essa é uma das razões do indivíduo TDAH não se compreender, achar que é problemático, não entende porque não consegue se relacionar bem na escola, no trabalho e ter um relacionamento amoroso tranquilo. Ele se sente o pior dos seres por causar constrangimento, dor e cansaço excessivo aos que o cercam.
Quando crianças, eles mesmos percebem sua inquietação, incapacidade de ficar por muito tempo em apenas uma atividade, sofrem bulling, os colegas não entendem. Até mesmo os professores rotulam esses alunos. Isso já vai formando uma carga emocional que o acompanhará por toda a vida se não for bem tratado.
Os pais da criança TDAH não conseguem entender, é algo novo para todos. Como o filho pode ser tão diferente? Colocam em atividades físicas, psicólogos, tudo isso pensando no bem estar do (a) filho (a) e também da família.
Hoje vamos falar como é a convivência com um parceiro TDAH, os altos e baixos intensamente ocorridos. Mas ter um filho TDAH em casa é um assunto de muita relevância também, pois exige muito jogo de cintura do casal. Além de desestabilizá-los, ainda existe a interferência da família que se sente no direito de criticar toda e qualquer atitude da criança.
Bom, quais os principais sintomas do TDAH:
1.       Desatenção
É difícil para o indivíduo manter o foco por muito tempo em determinada atividade. Qualquer coisa que chegue ao seu campo de visão o distrai. Uma borboleta, um lápis com cor diferente, uma notificação de celular, entre outras.
Em adultos, ocorrem problemas de desatenção para coisas do cotidiano e do trabalho, bem como com a memória (são muito esquecidos).
 
2.       Hiperatividade-Impulsividade
O TDAH na infância normalmente se apresenta como dificuldades na escola e de relacionamento com as demais crianças, pais e professores. As crianças são tidas como “avoadas” e, geralmente, “estabanadas”. Não param quietas por um minuto sequer. Os meninos tendem a ter mais sintomas de hiperatividade e impulsividade que as meninas, mas todos são desatentos. Crianças e adolescentes com TDAH podem apresentar mais problemas de comportamento, como por exemplo, dificuldades com regras e limites.
São inquietos (parece que só relaxam dormindo), e olhe lá; a impressão que se tem é que acordam já cansados, a mente não para. Vivem mudando de uma coisa para outra e a impulsividade tem lugar de destaque em sua vida. Eles têm dificuldade em avaliar seu próprio comportamento e o quanto isto afeta os demais à sua volta. São frequentemente considerados “egoístas”. 
 
Eles têm uma grande freqüência de outros problemas associados, tais como o uso de drogas e álcool, ansiedade e depressão.
Adultos com TDAH hiperfocam em paixões, são muito intensos, são 8 ou 80. Esquecem compromissos, ficam ansiosas em filas, não aguentam ficar tranquilos fazendo uma só atividade. Enquanto faz uma coisa, a mente está viajando em diversas outras.
Nas conversas, costumam interromper as pessoas antes de elas terminarem o que estavam dizendo, quando são contrariadas, não tem absolutamente nenhuma paciência e, muitas vezes, se põem a chorar. Levam para o lado pessoal, mas esquecem fácil, não são ranzinzas. Tudo isso no nível máximo de intensidade.
Pessoas com TDAH sempre buscam o ponto de equilíbrio, mas para eles é difícil controlar essa tendência de ir da obsessão ao completo desinteresse.
Estudos científicos mostram que portadores de TDAH têm alterações na região frontal e as suas conexões com o resto do cérebro. A região frontal orbital é uma das mais desenvolvidas no ser humano em comparação com outras espécies animais e é responsável pela inibição do comportamento (isto é, controlar ou inibir comportamentos inadequados), pela capacidade de prestar atenção, memória, autocontrole, organização e planejamento.
O que parece estar alterado nesta região cerebral é o funcionamento de um sistema de substâncias químicas chamadas neurotransmissores (principalmente dopamina e noradrenalina), que passam informação entre as células nervosas (neurônios).
Essa habilidade de autocontrole não está perdida, pode ser treinada e desenvolvida. Seguem duas dicas:
1.       Treinar o seu diálogo interno. Trabalhe esse pensamento de “ou tudo, ou nada”, “preto ou branco”, existem muitas possibilidades nesses intervalos. Procure focar no que deu certo em sua vida e no que pode ser melhorado. Valide suas vitórias diárias, sejam elas grandes ou pequenas a seu ver.
2.       Treine se ouvir. Após aprender a falar consigo mesmo, esteja aberto a se ouvir. Essa voz servirá como regulação dos pensamentos sabotadores e auto depreciativos. Será a linha tênue entre o que te ajuda e o que te põe para baixo.
Existem causas que foram investigadas para estas alterações nos neurotransmissores da região frontal e suas conexões.
1. Hereditariedade:
Os genes parecem ser responsáveis não pelo transtorno em si, mas por uma predisposição ao TDAH. A participação de genes foi suspeitada, inicialmente, a partir de observações de que nas famílias de portadores de TDAH a presença de parentes também afetados com TDAH era mais freqüente do que nas famílias que não tinham crianças com TDAH. A prevalência da doença entre os parentes das crianças afetadas são cerca de 2 a 10 vezes maiores do que na população em geral (isto é chamado de recorrência familial).
 
 
É importante salientar que no TDAH, como na maioria dos transtornos de comportamentos multifatoriais, nunca devemos falar em determinação genética, mas sim em predisposição ou influência genética. O que acontece nestes transtornos é que a predisposição genética envolve vários genes, e não um único gene (como é a regra para várias de nossas características físicas, também). Provavelmente não existe, ou não se acredita que exista, um único “gene do TDAH”
2. Substâncias ingeridas na gravidez:
Tem-se observado que a nicotina e o álcool quando ingeridos durante a gravidez podem causar alterações em algumas partes do cérebro do bebê, incluindo-se aí a região frontal orbital. 
3. Sofrimento fetal:
Alguns estudos mostram que mulheres que tiveram problemas no parto que acabaram causando sofrimento fetal tinham mais chance de terem filhos com TDAH. A relação de causa não é clara. 
4. Exposição a chumbo:
Crianças pequenas que sofreram intoxicação por chumbo podem apresentar sintomas semelhantes aos do TDAH.
5. Problemas Familiares:
Algumas teorias sugeriam que problemas familiares (alto grau de discórdia conjugal, baixa instrução da mãe, famílias com apenas um dos pais, funcionamento familiar caótico e famílias com nível socioeconômico mais baixo) poderiam ser a causa do TDAH nas crianças. Estudos recentes têm refutado esta ideia. As dificuldades familiares podem ser mais consequência do que causa do TDAH (na criança e mesmo nos pais).
Problemas familiares podem agravar um quadro de TDAH, mas não causá-lo.
Estudos indicam que existe um perfil consistente e previsível de casamentos prejudicados pela presença do TDAH. Ao se identificar esses aspectos, se torna possível traçar estratégias de tratamento que permitam ao casal se relacionar melhor com as dificuldades impostas pela convivência com uma pessoa TDAH.
Só quem convive com uma pessoa TDAH sabe como é viver numa montanha russa por vezes intensamente desgastante. Essas relações, usualmente, vivem sucessivas crises que em muitos casos, podem levar ao divórcio.
Quero destacar aqui o ponto de vista do parceiro que convive com o TDAH:
- Ele se sente ignorado e solitário no relacionamento;
- Tem a sensação de estar lidando com uma criança em casa, sempre tendo que cobrar que o outro cumpra suas obrigações, o lembrando de compromissos, etc.
 - Lidar com o esquecimento de datas comemorativas como aniversários.
 
 
 
 
Dificuldades em ser o parceiro TDAH
- Tem sempre a sensação de nunca conseguir corresponder às expectativas do seu parceiro (a), de sempre estar abaixo das expectativas;
- Se sente constantemente cobrado, mas nunca satisfaz as demandas do outro. A sensação que ele experimenta é de estar vivendo continuamente um interminável ciclo de cobranças.
- Sente que é tratado diferente, como inferior.
A médio prazo, o efeito deste ciclo na relação é extremamente negativo uma vez que pode suscitar no cônjuge que tem TDAH a sensação de estar sendo controlado justamente pela pessoa (seu marido/esposa) que deveria ocupar um lugar de parceria. Ele não quer ser tratado como alguém incapaz, ele quer ser reconhecido como pessoa capaz e inteligente que é.
“Quando nos casamos, existia uma grande incompatibilidade em nosso jeito de ser. E uma das mudanças que eu fiz em meu relacionamento a tentativa de regular a hora de dormir do meu marido. Sempre brigávamos pois eu queria que ele viesse dormir junto comigo, aos poucos eu percebi que não conseguiria mudar isso, foi preciso uma adaptação. Entendi que o horário dele não é igual ao meu e minhas cobranças estavam adoecendo o relacionamento”. Diz, Camila.
Sim, existe uma grande dificuldade em colocar as informações em ordem dentro da mente, mas não se pode negar quão inteligentes os indivíduos são. 
Viver com um indivíduo com TDAH não é nada fácil, mas precisamos destacar os pontos positivos nesta questão:
- Criatividade;
- Mente aberta a novas experiências;
- Sensibilidade;
- Flexibilidade;
- Persistência;
- Energia (quando bem direcionada);
- Inteligência; 
É preciso estar atento no decorrer da convivência a dois, entender que os comportamentos do TDAH não são voluntários. Tentar se colocar no lugar do outro, ter inteligência emocional e, procurar apoio psicológico. Isso é muito importante a fim de se evitar o adoecimento da relação devido aos cônjuges serem vítimas dos sintomas do TDAH não compreendidos.
Para lidar com os desafios diários, é preciso entender que a responsabilidade é de ambos e não somente do parceiro com TDAH. Buscar ajuda profissional para que ciclos sejam quebrados, mudanças sejam feitas e o casal consiga viver de forma saudável juntos.
 
Você como parceiro de um indivíduo TDAH, tente entender o porquê do outro apresentar comportamentos específicos, sem pré-julgamentos. Identifique onde o padrão se repete e procure agir diferente, a fim de ter respostas diferentes. Mesmo que pareça que seu (sua) parceiro (a) com TDAH mereça ouvir as reclamações, responder agressivamente à distração dele é muito menos eficaz do que tentar apoiá-lo e motivá-lo a mudar o seu comportamento. Como relatado anteriormente, ajuda especializada para o casal é indispensável, pois anos de convívio dentro de um casamento com uma pessoa com TDAH podem desenvolver ou agravar outras condições psicológicas do cônjuge, como: depressão, ansiedade, desesperança e outras questões subjetivas.

Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes é isso que falta para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.

E não se esqueça, ative as notificações na sua plataforma de áudio favorita para não perder nenhum conteúdo que vai agregar valor à sua vida e ao seu relacionamento.

A Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos, como cursos, conselhos, livros, podcasts exclusivos e muito mais. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#390 - A dinâmica do TDAH no relacionamento amoroso

#390 - A dinâmica do TDAH no relacionamento amoroso

Olá, aqui é Joana Letícia tudo bem? Sou Especialista em Sexualidade e Saúde Íntima e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”

Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamento e cursos gratuitos?
 
Pra isso participe da nossa comunidade comunidadeone.site e se inscreva. Ou se você tem android baixe o aplicativo ONE na playstore ou pelo nosso Instagram dicadoespecialistaoficial

E se gosta do meu conteúdo você quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, seja um um APOIADOR do Espaço Novo Dia, faça um PIX no (98 981168313) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.


Na dica de hoje vamos falar sobre fetiche ou fetichismo.


Você sabia que os fetiches são os mais buscados nos sites pelos brasileiros em 2020.


Aproveitando antes que eu me esqueça, separei um (LIVRO Exclusivo) pra você no nosso Instagram. Acesse agora e baixe GRATUITAMENTE,
dicadoespecialistaoficial

O fetiche ou fetichismo é a atração por alguma parte do corpo humano, por exemplo, pelos pés, axilas ou mãos. 

Navegando pela internet vi alguns tipos de matérias e uma que me chamou atenção foi no site manual do homem moderno onde fala sobre nos mulheres.

É uma pesquisa feita recente pela Hibou com 2 mil mulheres sobre elas estarem disposta a melhorar o relacionamento sexual e fazer algo diferente com seus  parceiros.  

E essa seguinte matéria dizia, “Mulheres revelam seus principais fetiches e práticas no sexo.”

Essa matéria foi publicada pelo Leonardo Filomeno no site Manual do Homem Moderno então resolvi incluir na dica do especialista de hoje.

Faz tempo que a mulher deixou de lado a famosa posição papai e mamãe para buscar e exigir mais novidades na hora do sexo. 

Para isso, elas foram atrás dos apetrechos sexuais conhecidos como sex toys. 

Vale lembrar que somos nós mulheres que representamos 70% das vendas de produtos em sex shops brasileiros.

Segundo dados da pesquisa realizada pela Hibou (empresa especializada em pesquisas de mercado), com 2 mil mulheres, apontou que 4 de cada 5 mulheres estão dispostas a tentar algo diferente pelo parceiro e de dizer “na cara” o que elas realmente desejam.

Cerca de 2/3 das entrevistadas concordam que sex toys na cama podem ser úteis, mesmo quando acompanhadas.

Quase 90% das mulheres assumiram abertamente que consumem produtos eróticos como livros, filmes , revistas, óleos, sex toys e fantasias para apimentar a relação.

Listei as principais coisas que elas recorrem na cama segundo a pesquisa feita.

– 75% das mulheres já usou ou usariam venda nos olhos;

– 65% já levou ou deu palmadas;

– 41% das mais velhas não fariam e 46% das mais jovens gostariam de fazer ou praticar bondage ou seja ( o ato de amarrar ou imobilizar o parceiro);

– 46% já usou gelo durante as preliminares;

– 44% gostaria de fazer, 26% já fez Roleplay ( é assumir personagens diferentes durante o sexo);

– 42% já fez troca de poder ( ato de dominar ou ser dominada);

– 72% já fez Sexting( já mandou ou recebeu mensagens eróticas);

– 48% Já tiraram fotos eróticas ;

– 42% Sentem vontade de ir pra cama com um desconhecido ;

– 20% disseram que fariam Swing;

– Quase todo mundo (98%) faria ou já fez algo fora do próprio quarto no (motel);

– 94% gostam de ouvir obscenidades ao pé do ouvido;

– 79% já falaram obscenidades no ouvido dele. Entre as mais jovens apenas 7% não falariam, contra 17% das mais maduras;

– 64% já viu filmes ou imagens eróticas junto do parceiro;

– 50% acha que jamais faria Ménage, e 23% gostaria de fazer. Entre quem já fez (14%), 70% gostou da experiência.


Insatisfação = traição

Questionadas sobre o quesito traição x fantasias não realizadas, 52% delas afirmaram que uma fantasia sexual frustrada ou uma série delas pode levar a uma traição.

Contrariando o senso comum, 33% das entrevistadas afirmaram que gostariam de fazer mais sexo. Para 50% desse grupo, a principal justificativa para o número reduzido de transas ficaria por conta da rotina do casal.

Orgasmo

Diferente dos homens, o quesito orgasmo é um ponto que merece reflexão no universo feminino. Somente 36% das mulheres abaixo de 35 anos tiveram o primeiro orgasmo no ano em que iniciaram sua vida sexual. Para as que estão acima de 35 anos, a porcentagem é de 42%.

Uma em cada cinco mulheres de até 35 anos ainda levaram até 4 anos de vida sexual para, enfim, atingir o primeiro orgasmo.


Os fetiches mais buscados nos sites pelos brasileiros em 2020.

Usando os dados do Google de 2020, o site descobriu os fetiches que mais tiveram buscas online em diversas cidades pelo país por meio de uma pesquisa do site adulto Viva local, foram catalogados os fetiches mais buscados pelos interessados no tema. De forma geral, o BDSM dominou as buscas no Brasil inteiro. 


Inclusive  em João Pessoa, Florianópolis e outros.

De acordo com o Vivalocal, entre quatro paredes, o ranking de fetiches ficou assim:
No topo da lista,  ficou sexo anal em segundo o BDSM que significa bondage – prender ou amarrar para fins eróticos , disciplina, submissão, sadismo e masoquismo. 

Durante a pesquisa, foi possível observar particularidades de várias cidades brasileiras. 

Porto Alegre, por exemplo, mostrou grande tendência a experimentar ou conhecer o cross dressing – transformismo. Já Goiânia viu uma crescente na busca pelo famoso ménage à trois. 

João Pessoa, por sua vez, teve a chuva dourada (ou o golden shower), que é o fetiche de urinar na frente do parceiro – ou sobre ele – entre suas principais buscas.

Para entender ainda mais o que excita o público, analisando dados do Google, os fetiches abaixo são foco do maior número de pesquisas no Brasil, com incríveis 585.835 pesquisas mensais combinadas. 

Sexo anal liderou a lista com impressionantes 246.000 pesquisas mensais, empatado com BDSM. Em seguida, Fantasias tiveram 165.000 buscas e Cuckold ficou em quarto lugar, buscado 110.000 vezes. Swing teve 90.500 pesquisas e, completando os top 5 da lista, o fetiche por látex e couro teve 55.300 pesquisas em 2021.


De acordo com os resultados, o brasileiro realmente gosta de experimentar coisas novas e de se exibir ou observar, uma vez que sexo anal, BDSM, Cuckold, Swing e uso de fantasias e roupas de látex e couro estão no topo da lista dos principais fetiches do Brasil. 

Mas quais são os fetiches sexuais mais buscados no país?


Principais fetiches por cidade 

Além de revelar as principais fantasias da população, a pesquisa também indica quais cidades são os maiores locais de busca sobre os fetiches favoritos do país. 

Para a maioria das cidades, as pesquisas por BDSM superaram de longe todos os outros fetiches – mostrando que o filme Cinquenta Tons de Cinza ainda continua influenciando muita gente.

Para capitais como São Paulo e Rio de Janeiro, que lideram a lista de volume de buscas, BDSM, uso de fantasias e o Swing têm presença forte no topo da lista.  

Aliás, o BDSM é o principal fetiche de todas as capitais brasileiras, com exceção de Manaus. A capital amazonense foi a única cidade da pesquisa a ter o Cuckold como o principal fetiche mais buscado no ano passado, mostrando que os amazonenses gostam de experimentar algo novo. 


Analisando as tendências mensais de pesquisa sobre fetiches, não é surpresa que fetiches sexuais ousados e mais aventureiros atingiram o pico de pesquisas online nos meses de férias no país, no meio e no final do ano. 

Pode-se dizer que muitos de nós podemos fantasiar e ter mais tempo para experimentar coisas novas.

Para o BDSM por exemplo, podemos ver que o meio do ano viu um pico de pesquisas. Se o inverno pode ter sido frio do lado de fora para muitas cidades, entre quatro paredes as coisas têm esquentado e muito. 

Curiosamente, fetiches como ter experiência com uma dominatrix, usar e abusar de roupas de látex, couro e fantasias.
Se você tem interesse em algum fetiche, pode ver mais detalhes sobre essa pesquisa na edição de junho da revista e saúde e bem estar dos casais.

Mas é preciso entender melhor quais são os fetiches que você ou a outra pessoa têm, como querem experimentar e saber quanto eles podem ser bons ou ruins para você e seu relacionamento. 

Lembrem-se quê ao participar de um fetiche, é importante garantir que todas as partes estejam seguras.

Com a popularidade dos fetiches crescendo continuamente, a pesquisa também analisou a tendência crescente de pesquisas online para cada fetiche, dando uma ideia de quão populares esses fetiches estão se tornando. 

O aumento dos fetiches pode ser em parte, devido à internet e à mídia popular, além de outras questões de comportamento e personalidade de cada um de nós. Os fetiches tem se popularizado através de filmes, livros Hot e músicas também. 

Atualmente, com o aumento do conteúdo online de categoria adulta, os fetiches também podem ser encontrados e alimentados em sites especializados em contos eróticos – mais uma mídia que contribui para o crescimento dos fetiches no país e no mundo.


Devemos salientar que é muito importante estabelecer limites dentro da relação. Conhecer também o lado da parceira ou parceiro que não tem o fetiche, mas que gostaria de corresponder. Entender quais são as limitações dessa pessoa, entender a necessidade de cada um.





Definições de alguns fetiches, os mais buscados pelos brasileiros..

BDSM é uma forma de relacionamento adulto entre dois ou mais parceiros e seu acrônimo é definido da seguinte forma: “Bondage e Disciplina”, “Dominação e Submissão”, “Sadismo e Masoquismo”.

Cuckold – O cuckold é o fetiche no qual o homem tem prazer em ver sua parceira saindo e se relacionando com outras pessoas.

Cross Dressing (transformismo) – É o ato de usar roupas e acessórios que pertencem ao sexo oposto. Imensamente popular para muitos, o cross dressing permite às pessoas se vestirem sem julgamento por parte da sociedade.

Swing – O mais interessante fetiche para muitos casais, o swing envolve troca de parceiros com total consentimento dos dois lados. Seja um relacionamento com outros indivíduos ou com casais, é também conhecido como troca de esposa.

Latex / Couro – Seja ficar excitado com a sensação do látex, couro ou borracha, ou pelo cheiro, esse tipo de material gera muita excitação sexual naqueles que tem esse fetiche. 


Mas Atenção !

Se o fetiche é a única maneira de alcançar a satisfação sexual, você pode estar enfrentando um problema que requer ajuda profissional.

Em outras palavras, o fetiche pode se tornar algo preocupante quando alguém concentra toda a sua sexualidade em objetos em vez de pessoas. A partir daí a prática pode se tornar parafilia.

A palavra Fetiche é derivada da palavra Facticius, que em Latim quer dizer “artificial”, “não-natural”. 

O termo fétiche vem do francês que, por sua vez, é oriundo do português “feitiço”. Na verdade essa designação é bem assertiva pois, de fato, o fetichista fica envolvido e enfeitiçado com o objeto ou situação que lhe proporciona o prazer.

De acordo com o dicionário Priberam, fetiche pode ser: 

Objeto a que é prestada adoração ou que é considerado como tendo poderes sobrenaturais. 

Objeto, parte do corpo ou tipo de comportamento que provoca excitação sexual. Essa palavra foi usada pela primeira vez por volta de 1700, e o responsável por essa utilização foi o escritor francês Charles de Brasses.


A partir de sua utilização, a visão sobre o fetichismo passou por muitas mudanças. Alguns (muitos) anos depois, essa palavra foi reutilizada por Kaurl Marx,sigmund Freud e Immanuel Kant, entre tantos outros estudiosos e, mais uma vez, a palavra começou a ganhar outros sentidos, mais próximos daquele que conhecemos hoje.


É importante lembrarmos que não temos o intuito de criticar, julgar, muito menos impor verdades absolutas. Meu objetivo é único e exclusivo de informar. Por isso, o conteúdo aqui se destina a aqueles que se interessam ou se identificam pelo assunto. 

Com base em estudos psicológicos, o fetichismo é considerado como um comportamento sexual característico de pessoas que atingem a excitação através da manipulação ou observação de determinados objetos ou partes do corpo.


O termo “fetichismo sexual” foi cunhado por Sigmund Freud.  

Na Psicologia e psicanálise é uma manifestação ou desvio sexual considerada uma parafilia que consiste em ter qualquer parte do corpo humano, como estímulo sexual que provoca desejo e excitação para alguma função fisiológica, para cenários ou locais inusitados, para fantasias de simulação (empregada doméstica, mecânico, secretária) ou para peças de vestuário, adornos etc.



Então o fetichismo sexual é uma parafilia baseada na intensa excitação sexual através de um objeto inanimado (o fetiche) de forma recorrente.  Não é um transtorno, mas uma simples manifestação da sexualidade da pessoa, é mais um estímulo na relação sexual.


“Pesquisas e especialistas definem fetiche como todo objeto que desperta o interesse sexual por algo, ou alguém. O fetiche ocorre quando ocorre a excitação sexual a partir de uma situação ou objeto, não relacionados ao sexo/ato sexual, mas que, de forma estranha ou não proporcionam prazer à alguém.” 


Existem muitas teorias sobre sua causa, mas dentre todas podemos destacar principalmente uma: a teoria do condicionamento.  

Para o condicionamento, o fetichismo é explicado como uma reação a um evento que se desenvolveu durante a infância.


Assim, uma experiência durante os primeiros anos faria com que o fetichista desenvolvesse uma associação entre desejo sexual e excitação e um determinado objeto. Assim, essa associação perduraria até a idade adulta.

Para que o fetichismo seja considerado um problema, ele acarretará uma deterioração funcional do indivíduo ou se tornará algo compulsivo e obrigatório em seus relacionamentos.


No fetichismo, o meio preferido ou único de atingir satisfação sexual é manipulando e/ou observando objetos, não animados, intimamente associados ao corpo humano (como por exemplo. Roupa íntima) ou peças de vestuário feitas de borracha ou seda, estou mencionando apenas os mais comuns. 



A atividade sexual pode dirigir-se ao fetiche (masturbação enquanto beija, esfrega, cheira o objecto do fetiche) ou o fetiche pode ser incorporado na relação sexual, pedindo ao parceiro, por exemplo, que use sapatos de salto alto ou botas de cabedal. 



Há também a satisfação sexual buscada nas interpretações sexuais, onde a parceira comporta-se como secretária, adolescente, e o homem como um policial, um bombeiro, um mecânico de oficina, etc.



O fetichismo (ou fetiches eróticos), consiste na dependência de algum objeto, talismã ou parte sexual do corpo como estímulo para a excitação sexual e prazer. Apesar do nome ser um pouco intimidante, o fetiche é considerado uma prática inofensiva. Há inúmeros tipos de fetiches, os mais comuns são os fetiches por sapatos, couro, pés, pernas e muito mais...



O FETICHE É CONSIDERADO UMA DOENÇA?



O fetichismo NÃO é considerado uma doença, exceto nos casos em que esse comportamento se torna constante, envolve um distúrbio sexual ou afeta as atividades sociais e de trabalho do indivíduo.



Objetos destinados à estimulação física por exemplo:

Ortopédia íntima (vibradores) geralmente NÃO são considerados um fetiche sexual.



É comum ouvir o termo e associar a um pervertido. Mas as coisas não são bem assim. Diferente de muitas parafilias, o fetiche é usado como algo complementar ao relacionamento e pode ter um papel muito importante e enriquecer a relação D/s ou não. 



“Fetiche é simplesmente tudo aquilo que não é parte de um ato específico, mas que é praticado simultaneamente com ele para uma experiência aprimorada e mais ao gosto do praticante.


Fetiche ruim é chamado de parafilia. É aquele que faz mal para a outra pessoa e/ou para si próprio. Que atrapalha a sua relação, seu trabalho, ou que coloca em risco a sua vida ou a vida do outro”. 

Agora que você conhece mais o que os brasileiros mais procuram, que tal contar para gente qual é o seu fetiche favorito?

E aí gostaram da dica de hoje? 

Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.

Eu vou sortear 1 Livro de Romance HOT por semana. Pra participar do sorteio é bem simples basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos, como cursos, conselhos, livros, podcasts exclusivos e muito mais. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#389 - O que é fetiche ou fetichismo?

#389 - O que é fetiche ou fetichismo?

Olá, aqui é a Tânia Mel tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal, e esta é a Dica do Especialista.
Aqui, diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo compartilha dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”
Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamento e cursos gratuitos?
 
Pra isso participe da nossa comunidade comunidadeone.site e se inscreva. Ou se você tem android baixe o aplicativo ONE na playstore ou pelo nosso Instagram dicadoespecialistaoficial e se voce quer falar comigo entre em contato no instagram especialistataniamel

E se gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar a alcançar mais pessoas, pegue papel e caneta que vou te falar como você pode ser o apoiador desta boa causa, seja um APOIADOR do Espaço Novo Dia, é simples, faça um PIX na chave 94981161681 acima de R$ 5,00 e nos ajude a ajudar ainda mais pessoas.

Na dica de hoje vamos falar sobre quando o relacionamento entrou em crise, qual melhor escolha a fazer?
Pôr um ponto final em um relacionamento?
Ou resgatar esse relacionamento?

Eu não acredito em resgate de relacionamento e vou te explicar o porquê.
Imagina que seu relacionamento no início, quando vocês se conhecem, seja uma taça e essa taça está perfeita.

De repente essa taça começa a ter alguns trincos, algumas rachaduras, porque começa a aparecer os primeiros conflitos no relacionamento.

Então a taça, que era perfeita, começa a perder alguns pedaços.

E como a maioria dos casais não sabem como resolver os conflitos desde o início, a maioria não sabe que isso é possível o relacionamento se quebra em vários pedaços. 

Se eu pegar os cacos dessa taça, pegar cola juntar tudo, eu posso até restaurar essa taça, mas será se eu posso tomar água nessa taça?

Será se quando tomar água nesta taça, que foi restaurada com cola e pedaços de vidro quebrado, será que eu não vou machucar minha boca? e será que toda vez que olhar para essa taça, para as marcas da cola, eu não vou lembrar tudo que aconteceu?

E se eu transformar essa taça em uma taça nova de novo? perfeita para vocês?

Então é restaurar entre aspas. 

Eu como especialista orientaria vocês na reconstrução de um novo relacionamento, e vocês usariam tudo o que aconteceu, no relacionamento até agora como um treinamento.

Para não repetir os mesmos comportamentos, que levou o relacionamento até essa fase, vamos terminar e recomeçar um relacionamento novinho.

Quem nunca sonhou com o relacionamento perfeito?

Um relacionamento onde o casal tem os valores do relacionamento bem definidos, uma comunicação inteligente, uma profunda intimidade, com uma rotina perfeita para ambos, onde os dois se divirtam se entendem e se amam, e claro, que não pode faltar, uma sexualidade como eu costumo falar, majestosa.

A maioria dos casais não sabem como construir um relacionamento e uma sexualidade feliz, e quando chega à fase da crise no relacionamento, e você percebe que seu relacionamento não é mais o que costumava ser, também não sabe o que fazer.
Se põe um ponto final no relacionamento ou se reconstrói esse relacionamento

O relacionamento não acaba do nada, vai acontecendo aos poucos de forma lenta e sutil.

Eu também, como especialista da saúde bem-estar do casal, não tenho uma pílula mágica para fazer o seu relacionamento se transformar em um relacionamento perfeito, sem você ter que fazer nada.
Eu não sei se com você é assim, mas 90% das pessoas busca uma solução rápida e fácil, dicas na internet, dicas de amiga, ou seguem as próprias ideias, ao invés de procurar um especialista da saúde bem-estar do casal e seguiram um método que já foi testado e validado.

E para piorar um pouco mais, procuram dicas que não vai funcionar porque não sabe nem onde está o problema.

A crise no relacionamento se dá por vários pequenos motivos como?
1. Objetivos de vida diferentes
2. Falta de desejo sexual
3. Divergências de ideias na educação dos filhos
4. Problemas financeiros
5. Falta de admiração de uma das partes ou das duas
6. Infidelidade
7. Falta de comunicação inteligente
8. Falta de intimidade
9. Falta de maturidade 
10. Falta de autoconhecimento íntimo. 

Mas antes quero que entenda algo muito importante majestosa, qualquer relacionamento pode entrar em crise, por que o relacionamento não vem pronto, não vem com manual de instrução.

Mas o relacionamento não é só isso.

Crise é só uma fase no relacionamento, e por que algumas pessoas conseguem tirar o relacionamento da crise e outras não?

É por que elas têm mais sorte?
Claro que não, é por que algumas pessoas tem informações que você ainda não tem.

Algumas pessoas identificam as crises antes, outros entram e conseguem sair da crise porque sabem manejar a crise, tem informações que você ainda não tem.

A crise é o resultado de como o casal está conduzindo o relacionamento.
Significa que algo está fora do lugar, que é uma questão de tempo para o divórcio se você não buscar uma solução.

Eu sempre mostro no meu próprio exemplo, como é possível.
Mas eu digo também que, com toda certeza fazer tudo isso sozinha é bem mais difícil.

Eu lembro que eu acordava com aquela sensação de não saber o que fazer, de estar perdida, sem saber como me posicionar diante de várias situações.

Mas quando temos ajuda é bem diferente, alguém que te diz, olha, pega essa peça aqui, e encaixa nessa, e parece até magica, tudo começa a se reorganizar.

Imagina como é ver seu relacionamento chegando ao fim por conta de ter as peças nas mãos, mas não saber como encaixar.
Assistir várias aulas, e dicas na internet e não saber como encaixar as peças? Imagina que frustrante.
Quando isso acontecia comigo eu me sentia uma tola.
Ouve essa aula até o final por que se você ainda não entendeu como é que a gente “restaura” relacionamento, é impossível sair desse podcast hoje sem entender.

Quando o relacionamento, entra em crise, a primeira coisa que vocês precisam entender é:
Quais são os motivos para continuar o relacionamento?

Medo de traumatizar os filhos?
Co dependência?
Baixa autoestima?
Dependência financeira?
vergonha em ter falhado?
Medo de ficar sozinha?
Dependência emocional?
É pela família?

Nenhum relacionamento é 100% perfeito. Sempre vai existir situações conflitantes, sempre alguém vai falar ou fazer coisas que te incomodam, que você não concorda.

Os momentos de crise sempre vão existir

Quando o casal busca construir o relacionamento juntos tem uma grande vantagem com relação aos outros casais, até mesmo nas fases da crise, a relação tem mais chance de ser resgatada, pois os problemas podem ser conversados e ajustados para que tudo volte a ser como antes.
E como saber se vale a pena continuar nesse relacionamento?
Essa orientação vai te ajudar a identificar os pontos que vale a pena para você.

1- O investimento já feito na relação.
A pessoa começa a ver tudo o que fez pela outra, sendo financeiro, o tempo que disponibilizou para o parceiro ou a parceira.

2- Responsabilidade com a família.
Quando se tem medo ou receio do que a família, amigos ou qualquer pessoa iria pensar, falar ou criticar. Ou seja, a pessoa fica com receio do que outras pessoas iram dizer e taus.

3- Medo da incerteza sobre o que virá depois.
A pessoa passa a ter medo de acordar e ver que a rotina da vida dela mudou. Que ela terá que dormir sem aquela pessoa,
fazer as coisas longe daquela pessoa, e tudo mais será diferente.

4- Problemas de logística
A pessoa fica preocupada, (onde morar, como dividir bens etc.).

5- Aspectos positivos da personalidade do parceiro.
Por mais que a pessoa não seja aquela pessoa boa pra você, o seu cérebro faz pensar que é bom, e faz você enxergar só as qualidades.

6- Intimidade emocional alcançada.
Quando a pessoa tem muita intimidade com o parceiro ou parceira, e acaba ficando com medo de não conseguir encontrar nenhuma pessoa ou que tenha
que conquistar tudo de novo e isso dá trabalho.

7- Momentos de prazer vividos com o companheiro.
Quando ela fica presa ao passado e não aceita se separar devido a terem passados juntos por momentos prazerosos.

8- Os filhos.
Quando falam que não se separam por causa dos filhos, ou pelo menos dão essa desculpa.

9- Dependências financeiras
Quando se depende financeiramente do parceiro ou parceira.

10- Comodismo
Quando se pensa que arrumar outra
pessoa vai dar trabalho tudo de novo.

11- Esperança de mudança
Quando se tem esperança de que a outra pessoa vai mudar e vai dar tudo certo.

12- Culpa
Quando a pessoa se culpa pelo
relacionamento estar ruim. A pessoa se culpa por algum motivo, como se estivesse fazendo algo de errado.

13- Medo de ficar sozinho (a)
Quando a pessoa depende sempre de alguém para fazer qualquer coisa, quando ela não se vê fazendo nada sem o parceiro ou parceira, como se seu mundo fosse
vazio.

14- Baixa autoestima
Quando a pessoa fica pra baixo e fica falando
Qual a chance de eu encontrar
outra pessoa? 

Majestosa “existem mais de seis bilhões de pessoas no mundo”
Quando a pessoa acha que não vai encontrar uma pessoa igual a que ela tem do lado, ou que vai dar trabalho de mais conquistar outra pessoa, que não quer perder tempo, ela prefere manter o relacionamento.

Então vamos lá.
Por que você deseja restaurar o relacionamento?

Porquê devem continuar juntos?

Isso precisa estar claro por que se vocês quiserem ficar juntos pelo motivo errado, pode não ser agora, mais a separação vai acontecer.

Antes de irmos para o primeiro ponto é de extrema importância que o você saiba disso.

O que eu posso fazer para que o relacionamento não se acabe?

Focar melhor nas suas atitudes e comportamento.
Você precisa entender que seu esforço não pode ser de 80% e sim de 100%, ou até mais.
Se sua atitude não for 100% ou mais, seu relacionamento está comprometido a continuar do jeito que está, ou vai acabar

Quanto menos dedicação você der menos chance de dar certo você tem, e quanto mais dedicação você der mais chance de obter o resultado que você espera.

Vamos começar do zero:

Demonstrar interesse em tentar fazer dar certo.

Muitas vezes o relacionamento está desgastado, pois uma das partes sente que a outra já não tem o mesmo interesse em tentar fazer dar certo. Por isso, tente demonstrar que você se importa, e que a relação significa muito para você. 
Quando um percebe que o outro está tentando, geralmente isso o motiva a tentar também. 
Você precisa rever alguns conceitos sobre si mesma, sobre relacionamento e sexualidade.

Vou pedir pra que vocês escolham um símbolo que represente o motivo pelo qual vocês estão juntos.
Pode ser uma foto, uma roupa ou até mesmo uma aliança nova e simbólica.

Este símbolo vai servir para lembrar o casal que o objetivo final é a felicidade do relacionamento, e toda vez, antes de fazer ou falar algo que vá ofender, machucar ou humilhar seu cônjuge, peço que você olhe para este símbolo e lembre-se do motivo pelo qual está se dedicando.

Não faça nada que possa se arrepender, a cada ato desnecessário você fica mais longe do seu objetivo.

Vou te dar uma orientação que vai transformar todo seu relacionamento, é óbvia, mas o óbvio precisa ser dito.

Uma boa comunicação no relacionamento:

Não há nada mais agradável no ambiente familiar do que ser ouvido e compreendido quando passamos por momentos difíceis. Um casal que sabe se comunicar é um casal que está disposto à reconquista. Afinal de contas, nenhum assunto será complicado demais para quem já conversou sobre tudo! 

Pesquisas mostram que o problema número um, nos relacionamentos, está na comunicação.

Uma vez que você já descobriu os motivos pelo qual o relacionamento levou para chegar ao ponto do desgaste, fica mais fácil de trabalhar.
A partir disso, aplicar a dinâmica do espelho das responsabilidades:
Os dois juntos devem aplicar a técnica do espelho.

Como funciona a dinâmica do espelho das responsabilidades?

Para fazer esta dinâmica, vocês irão precisar de:
Um bloco de post it, e caneta.

Você deverá escrever cada um dos motivos que levaram o eu relacionamento ao desgaste, um motivo por post it, depois se deve destacar esse post it e colar em um espelho. Cada vez que você olhar o post it e ver a atitude que você não poderá mais ter para não chegar ao término do relacionamento.

A cada vez que você conseguir vencer seus antigos hábitos, você irá retirando os post it do espelho conforme for evoluindo.

Os post it serve para você ver o que terá que fazer de diferente no seu
relacionamento ou tarefas a serem cumpridas, tipo: falta de atenção com seu parceiro ou parceira, e toda vez que você ver aquele post it você vai lembrar que terá que dar mais atenção, e assim por diante.

Como estamos criando um novo relacionamento seria muito importante colocar nesses post it coisas que vocês deixaram de fazer um pelo outro, e na medida em que forem fazendo, também vão eliminando os post it.

Quando vocês acabarem de tirar os post it, significa que está tendo uma evolução.

Recomendo que faça isso pelo ao menos de três a quatro vezes na semana, até que se torne um habito e não precise mais dos post it.
Vou dar um exemplo:
O que eu fiz para que o relacionamento chegasse ao desgaste?
Descreva seus motivos...
As repostas dever ser escritas no post it
Quero que você escreva 10 pontos negativos que você precisa melhorar, e trabalhar neles.

Da segunda vez em diante comece a colocar 10 motivos positivos, podendo ser um dia do elogio, outro dia pode ser, 10 coisas que deixaram de fazer, que agrade o parceiro ou parceira, e colocar em prática.

Mas, a pergunta que não quer calar é:
É possível ‘resgatar’ um relacionamento onde só uma pessoa se esforça?

Majestosa, vou ser sincera com você, quando você começa o processo de “restauração” entramos em áreas, conceitos e valores que pode fazer com que durante o processo você acorde e descubra que o seu relacionamento não é mais aquilo que você queria.

Todo relacionamento é feito de trocas. Deve haver respeito, comunicação e consideração ao próximo, devemos agir com o outro da forma que gostaríamos que agissem conosco, devemos ouvir e também ser ouvidos.

Porém, ao falar parece muito fácil, né?! A verdade não é bem assim, nem sempre todas as trocas são justas e por isso existem os conflitos

Quando você decide “resgatar”, carregando o outro, fica mais pesado, mas isso não quer dizer impossível.

O ideal seria haver uma entrega das duas partes, uma dedicação do casal, quando só uma pessoa decide “lutar” ela se cansa mais rápido.

Neste caso você tem que estar ciente que o resultado pode não ser o esperado no início.

Você precisa decidir o que vale e o que não vale a pena pra você.

De início vamos trabalhar com a sua evolução pessoal para que seu exemplo possa influenciar a outra pessoa, mais, isso não é uma promessa

Não prometemos que o outro vai voltar pra você correndo.
Não é sobre o outro, é sobre você.

Então, nesse caso eu vou cuidar de você primeiro.
Você pode aplicar a dinâmica do espelho sozinha, não tem problema algum.
Faça o teste.

Qualquer coisa me procure no instagram especialistataniamel, tudo junto.

Aproveitando, antes que eu me esqueça, separei um (LIVRO Exclusivo ou Curso Exclusivo) pra você no nosso Instagram. Acesse agora e baixe GRATUITAMENTE, dicadoespecialistaoficial

E aí gostaram da dica de hoje? 

Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. 
Pode ter certeza, que vai ajudar, talvez era só isso que faltava para sua amiga ou amigo alcançar aquela mudança.

Eu vou sortear 1 Livro de Romance HOT por semana. Pra participar do sorteio é bem simples basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos, como cursos, conselhos, livros, podcasts exclusivos e muito mais. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.

Xero majestosa, a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#388 - Relacionamento em crise, o que fazer?

#388 - Relacionamento em crise, o que fazer?

Universidade do Texas, buscou avaliar se homens e mulheres sentem o mesmo tipo
de ciúme.
Para isso, perguntou a 1.220 estudantes o que lhes incomodaria mais: imaginar seu
parceiro tendo uma relação emocional profunda com alguém, sem que haja sexo, ou
imaginá-lo fazendo sexo com alguém, sem que haja relação emocional.
Homens se mostraram mais incomodados com a traição sexual, enquanto mulheres,
mais com a traição emocional.

Olá, aqui é Marlene Miranda tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e
esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do
Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que
você sempre quis.”
Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamento e cursos
gratuitos?
Para isso participe da nossa comunidade, a Comunidade ONE, acesse: comunidadeone.site
ou pelo nosso Instagram dicadoespecialistaoficial
E se gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, seja um um
APOIADOR do Espaço Novo Dia, faça um PIX no (especialistamarlenemiranda@gmail.com)
acima de R$5,00 e nos ajude a ajudar ainda mais pessoas.
Na dica de hoje vamos falar sobre ciúmes.

O QUE É CIÚMES

O ciúme é uma variação da ansiedade. E , tal como a ansiedade, ele faz com que nos
antecipemos a possíveis situações de perdas e danos – reais ou imaginárias.
É uma estratégia preventiva, mas que causa sofrimento e traz o risco de que nossa mente
nos leve a reagir de forma desnecessária.
O ciúme também é uma emoção parecida com a inveja: as duas dizem respeito a querer
ter alguma coisa.
A diferença é que você sente ciúmes de algo que é seu ou que está com você, enquanto
sente inveja de algo que você não tem, mas do qual gostaria.

Assim como a inveja, o ciúme tem tanto um lado destrutivo quanto outro construtivo.
Ao mesmo tempo em que motiva a agressividade e o controle (histórias amedrontadoras de
perseguição e de crime passional não faltam; o ciúme corrói casamentos, enfraquece a
autoestima e alimenta a violência doméstica), também incentiva a fortalecer os laços do
relacionamento.
A questão é, como sempre, de proporcionalidade.
A Universidade do Texas, buscou avaliar se homens e mulheres sentem o mesmo tipo de
ciúme.
Para isso, perguntou a 1.220 estudantes o que lhes incomodaria mais: imaginar seu
parceiro tendo uma relação emocional profunda com alguém, sem que haja sexo, ou
imaginá-lo fazendo sexo com alguém, sem que haja relação emocional.
Homens se mostraram mais incomodados com a traição sexual, enquanto mulheres, mais
com a traição emocional. Estudos feitos na Alemanha, na China, na Coreia do Sul, na
Holanda, no Japão e na Suécia chegaram às mesmas conclusões.

SEGUNDO CIENTISTA PORQUE EXISTE O CIÚMES?

POR QUE?
A resposta está no nosso ancestral da savana africana.
Quando ele tinha um relacionamento, podia fazer duas coisas: ou acreditar que seu
parceiro era 100% fiel quando na verdade ele o traía, ou acreditar que seu parceiro o traía
quando na verdade ele era fiel.
É verdade que o custo de procurar pelo em ovo era considerável – estresse, brigas e
possivelmente um fim de relacionamento.
Mas o de se deixar trair era muito maior.
Só que as consequências mudavam dependendo de ser homem ou mulher.
Analisando as relações entre homens e mulheres do ponto de vista evolutivo, temos
explicações diferentes para o ciúme.
No caso das mulheres, o ciúme foi moldado pela busca de um apoio contínuo e
incondicional para se reproduzir e criar os filhos até que as crianças se tornassem
autossuficientes.
No caso do homem, o ciúme foi moldado pelo medo de que investisse recursos na criação
de filhos de um outro homem.

Vamos ao caso feminino.
A mulher tem um gasto de energia e tempo na reprodução e criação muito maior do que o
homem.
Gesta por nove meses um serzinho que sequestra sua energia e nutrientes, sofre um parto
extremamente traumático por conta da cabeça superdesenvolvida dos humanos, nutre a
criança meses a fio com o leite produzido pelo seu próprio corpo.
E, em sociedades nômades, precisava cuidar dos filhos até pelo menos o sétimo ano de
idade, quando a criança começava a se socializar e a se virar de forma minimamente
autônoma na savana.
Dá um trabalho e custa uma energia danada – e, por isso, é quase essencial que o trabalho
seja feito por duas (ou mais) pessoas.
Idealmente, o pai – que, afinal, também tem interesses evolutivos naquela criança.
Ela é o legado genético dele.
Se a segunda pessoa mais “geneticamente programada” para cuidar daquela criança pula
a cerca, e vai focar sua energia nos filhos com outras mulheres, a coisa complica para
aquela mulher – que assumiu, bem mais que ele até aqui, os custos energéticos de gestar,
amamentar e cuidar daquela criança.
Era importante que a fonte de dedicação afetiva e material não se desviasse para outra
mulher.
Por isso, há cientistas que defendem que foi a partir de uma adaptação a essa situação,
que surge o ciúme diante do risco de seu parceiro começar a sentir afeto por outra mulher.

Agora, o homem. Ele também tem grandes motivos para sentir ciúme.
É que, ao longo da evolução, a mulher teve dois motivos bem complexos para trair –
ambos diferentes das razões masculinas.
O primeiro motivo é a diferença entre o melhor reprodutor e o melhor provedor.
O interesse da nossa mulher ancestral, diferentemente do que ocorre com o homem
ancestral, não é buscar o maior número de parceiros sexuais.
Afinal, ela tem apenas um óvulo fecundado por vez.

Qual a melhor estratégia, então, para os seus genes?

Estabelecer-se com um bom provedor – mas, se ele não for igualmente bom
geneticamente, buscar um parceiro sexual mais forte e mais saudável do que seu parceiro.
Ou seja, casar-se com o Mauricinho e ter um caso com o Ricardão.
Se ela engravidar do mais forte e ter esse filho criado pelo mais afetuoso, terá o melhor dos
mundos.
Por outro lado, criar o filho do sr. Ricardo seria uma tragédia evolutiva para o homem – ele
gastaria recursos para propagar os genes de outro, sem saber.
Por isso o ciúme masculino está mais ligado à atração física que a traição e emocional.
A segunda razão evolutiva para a mulher da savana querer trair seria adquirir um
“seguro-homem” para o caso de seu titular morrer numa caça ou luta, ou a abandonar.
Isso pode não ser importante em sociedades com expectativa de vida masculina alta, mas
era uma grande vantagem num ambiente em que a sobrevivência era precária.
Ou seja, tanto o homem quanto a mulher têm incentivos para trair, embora por motivos
diferentes, e os dois têm motivos claros para não quererem ser traídos.
Enquanto o amor incentiva a pessoa a se manter num relacionamento estável, ele não
impede totalmente a traição.
E o papel positivo do ciúme é exatamente o de tentar impedir essa traição.
Ele pode não ser o melhor mecanismo anti-chifre do mundo. Mas é o que temos.

SEGUNDO ESPECIALISTAS POR QUE SENTIMOS CIÚMES?
POR QUE SENTIMOS CIÚMES?
Todos nós já sentimos ciúmes em algum momento de nossas vidas.
Quando o sentimento se instala em nossas mentes, somos tomados por uma rede de
inseguranças:
Nos comparamos com outras pessoas, nos menosprezamos e sentimos que vamos perder
o que é "nosso".
Sentir que temos posse sobre alguém pode significar que não encontramos prazer em
nossa própria companhia.
Este raciocínio nos faz dar atenção excessiva para pessoas específicas, o que nos dá a
sensação de que precisamos proteger o que temos a qualquer custo.

Isto não significa que amamos, tais comportamentos representam uma dependência no
outro para termos bem-estar.

TIPOS DE CIÚMES CIÚME NORMAL

Geralmente surge em breves momentos quando uma pessoa sente-se insegura da
possibilidade de perder seu companheiro.
Este ciúme costuma ser proporcional ao motivo, e a pessoa consegue guardar para si se
for necessário ou sabe falar com o companheiro de forma apropriada.
Assim como ele surgiu, desaparece e não causa desconforto significativo ao companheiro.

CIÚME EXAGERADO- Acontece em pessoas que são inseguras, que têm medo de perder
e têm baixa autoestima.
Para desencadear o ciúme exagerado pode haver ou não um motivo, pois a pessoa pode
fantasiar algo e acaba agindo de uma forma que causa sofrimento no companheiro.
Por exemplo: quando a pessoa tem interesse em saber sobre todos os relacionamentos
anteriores; verifica onde o companheiro está, com quem está e quer saber o máximo sobre
essas pessoas; confere o smartphone, redes sociais, carteira e roupas íntimas; pode até
chegar a mentir para testar se a resposta do companheiro é igual a uma outra resposta
dada anteriormente.
A intensidade desse ciúme é moderada, a pessoa tem dificuldade em se perceber como
ciumenta e ainda pode ter doenças mentais.

CIÚME OBSESSIVO- Corresponde à pessoa que tem pensamentos indesejáveis,
involuntários, repetitivos e até absurdos sobre a infidelidade.
Muitas vezes, mesmo sabendo do pensamento infundado, pode ficar: -refletindo sobre
provas infundadas e angustiantes quanto a possibilidade de traição;- perde um tempo
significativo pensando;- o sentimento do amor é uma imposição, uma força avassaladora
que domina e manda na pessoa.
Existe uma briga interna na pessoa ciumenta e frequentemente ela está comprometida com
outras doenças mentais.
CIÚME PATOLÓGICO- Quando a pessoa tem suspeitas fantasiosas, imaginárias e
infundadas, geralmente sem corresponder com a realidade sobre seu companheiro.

Este ciúme patológico pode gerar atitudes como: - inspeção obsessiva, repetitiva e contínua
de coisas para conferir se o companheiro pode estar traindo;
- evitar encontros sociais;
- acredita que qualquer pessoa pode estar facilitando a traição do companheiro;
- perde o controle com muita facilidade e tem atitudes violentas;
- sente um desejo incontido de controlar o companheiro que seria visto como sua posse;
quer atenção exclusiva;
- finge compreensão para interrogar o companheiro e “dá o bote” (tem constante e frenética
busca de evidências e confissões que confirmem suas suspeitas, mas, a confissão não o
satisfaz, ai volta a torturante busca da confissão.

CIÚMES

O ciúme tem um tempo de duração indefinido, a pessoa geralmente não se aceita como
ciumento, é dissimulada, mente muito, engana e pode chegar ao homicídio e ter patologias
emocionais sérias.
Uma pessoa com ciúme prejudicial, primeiramente precisa procurar avaliação e tratamento.
Note que o ciúme normal sujeita o companheiro a se sentir valorizado, faz bem ter o insight,
reconhecer que está sendo ciumenta de forma intensa e lesiva.
Mas, o ciúme exagerado, obsessivo ou patológico leva ao sofrimento do companheiro, e
ele pode ser considerado codependente, ou seja:
- o companheiro pode ter incapacidade de manter relacionamento saudável;
- nega a realidade, tendo enorme dificuldade em se afastar do ciumento;
- desenvolve perspectivas fantasiosas de dias melhores;
- esquece-se de si mesmo e vive a vida do outro, vive em função da pessoa problema
(ciumenta).
Então esse codependente não vivencia de forma saudável, apresenta dificuldades em lidar
com questões emocionais e também precisa de avaliação e tratamento psicológico.

O ciúme danoso prejudica muitas vidas, então a autoavaliação do ciúme não pode ser
deixada de lado.

CAUSAS DO CIÚMES

1- A baixa autoestima pode provocar inúmeras crises de ciúmes em diferentes estágios da
relação.
Quando não conseguimos nos valorizar, acreditamos que possuímos pouco valor, e por
isso seremos trocados com facilidade.
Ser traído também pode potencializar a falta de autoconfiança. "Sentimos que o parceiro
sempre estará em busca de algo melhor, e nos sentimos desvalorizados perante o outro.
Entretanto, é importante lembrar que o ciúmes, muitas vezes, está ligado à imagem que
cada um tem de si.
2- A ansiedade pode aumentar nossos níveis de ciúmes, pois sofremos com possibilidades
e fatos incertos.
"O indivíduo ansioso cria histórias em sua cabeça, e acredita nelas.
Nesses casos, é necessário investigar a origem de ideias que provocam insegurança".
Compreender o que é real ou imaginário possibilita que nos entendamos melhor e
controlemos as crises.
A ajuda do Especialista pode fornecer mais caminhos para entender por que acreditamos
que seremos constantemente trocados.
3- Mudanças nas dinâmicas do relacionamento.
Fatores externos podem ser um gatilho para ciúmes.
"Quando uma terceira pessoa começa a receber mais atenção do que a participante da
relação, podemos ficar desconfiados e cogitar a possibilidade de uma traição".
Troca de mensagens, fotos e convites podem causar um grande desconforto,
principalmente quando o parceiro não estabelece um diálogo sincero sobre suas intenções.
Quem está sendo prejudicado pelos ciúmes pode sentir-se não pertencente ao próprio
relacionamento.

Sintomas do ciúmes

-PENSAMENTOS DE TRAIÇÃO E ABANDONO;
- BUSCA CONSTANTE POR PISTAS OU EVIDÊNCIAS QUE INDIQUEM UMA TRAIÇÃO;
-MEDO EXCESSIVO DE PERDER A PESSOA, CAUSANDO ATÉ MALESTAR FÍSICO
ANÁLISE CONSTANTE DOS PENSAMENTOS, GESTOS E ATITUDES do ou VIOLAÇÃO
DA PRIVACIDADE;
-CONTROLE EXCESSIVO DO DIA A DIA DO OUTRO;
- INTERFERÊNCIA NAS RELAÇÕES PESSOAIS E PROFISSIONAIS DO OUTRO;
-CRIAÇÃO DE SITUAÇÕES IMAGINÁRIAS QUE LEVAM A CONCLUSÕES SEM
SENTIDO;
-INSÔNIA, AGITAÇÃO, ANSIEDADE E ATÉ DEPRESSÃO SENTIMENTO DE SOLIDÃO E
TRISTEZA PROFUNDA QUANDO NÃO ESTÁ JUNTO AO OUTRO.

PARA VÍTIMAS DE CIÚMES OBSESSIVO

Uma vítima de uma outra pessoa ciumenta obsessiva, é bom não se intimidar e tentar lutar
pelos seus direitos de existir e viver com liberdade e cercada de amor.
É muito importante que saiba avaliar o grau de obsessão do seu parceiro ou parceira, para
que não haja um perigo iminente que possa colocar você e sua integridade moral e física
em perigo.
Quando você é permissivo e deixa que haja o controle por parte do obsessor, você não
ajuda a resolver a situação, ao contrário, só o torna ainda mais agressivo e fora da
realidade.

CIÚMES OU AMOR?

Existe uma diferença entre zelar por alguém e sentir ciúmes.
Cuidar do próximo é nutrir os bons sentimentos na relação, para que ela seja uma fonte de
felicidade.
Entretanto, quando sentimos medo de perder o outro, e tomamos atitudes possessivas
para que isso não aconteça, o amor não é uma justificativa plausível.
Por trás dos ciúmes existe insegurança, desconfiança e expectativa irreais que são
impostas ao próximo.

EXISTE UM LADO BOM NO CIÚMES?

Segundo psicólogos, o ciúme não tem um aspecto positivo, ou uma dosagem recomendada,
visto que é um sentimento negativo.
Entretanto, é possível utilizar essa emoção para se conhecer melhor.
As crises de ciúmes são oportunidades de olhar para dentro de si, compreendendo o que o
próximo significa para nós.
Além disso, a forma como o sentimento ecoa em nossas mentes depende de nossa
personalidade.
Portanto, pensar nas próprias qualidades e limitações pode ser uma forma de entender o
que nos motiva a ter ciúmes, e se este é provocado por fatos ou fantasias.
Este exercício nos fortalece, e possibilita que tenhamos menos desconforto em situações
futuras.

NASCEMOS CIUMENTOS OU APRENDEMOS A SER?

Nossos níveis de ciúmes são influenciados pelas relações familiares que tivemos.
Crianças que demandam atenção constante dos pais, ou sentiam-se excluídas em casa
podem ser adultos mais ciumentos.
Contudo, os ciúmes em si fazem parte dos estados emocionais inerentes ao ser humano.

"Está dentro da normalidade, e a informação deste sentimento está impressa em nosso
DNA".

NÃO DEVEMOS NOS SENTIR INFERIORES AO SENTIR CIÚMES

Quando sentimos medo de perder alguém, nos questionamos se somos bons o suficiente
para manter a relação.
Todas nossas características tornam-se um fardo, e iniciamos um processo de comparação
com outras pessoas, que pode nos fazer sentir superiores ou inferiores.
Independente do que iremos sentir, comparar-se com outros sempre a resultados adversos.
"Para você se sentir melhor, terá que rebaixar o outro.
E caso você se sinta pior, e porque rebaixou a si mesmo.

COMO NÃO SER TÃO CIUMENTO

-Trabalhe a autoestima: quando estamos felizes conosco, estamos felizes com o mundo.
Pessoas com autoestima elevada são mais seguras e cultivam boas relações.
-Tenha inteligência emocional: a inteligência emocional irá lhe conectar com as suas mais
profundas relações com os seus próprios sentimentos, fazendo que não seja uma surpresa
constante as suas reações, decepções e sucessos.

-Tenha pensamentos positivos: não deixe-se levar por pensamentos negativos e que só
atrapalham a sua vida, podem refletir também nas pessoas com quem você se relaciona.
- Ter empatia e resiliência para tratar os acontecimentos na vida podem te tornar mais
positivo converse para abrir o diálogo e deixar clara as suas incertezas e inseguranças, ou a
tal famosa D.R. (discutir a relação) pode ser extremamente útil, pois já expõe toda a sua
imaginação e realidade para ser conversada abertamente.
-Pratique atividades físicas e hobbies: nada melhor do que ocupar o tempo com atividades
que estimulam nosso corpo e mente.
Essa prática, além de ocupar a cabeça, traz benefícios para o corpo e consequentemente
para a auto estima.

-Saiba dizer não e sim também:limite é a palavra-chave, tanto para você ter para as outras
pessoas, como para si.
Não se deve fazer tudo que todos pedem, é preciso se conectar com as suas verdadeiras
vontades e desejos para ser feliz.

E aí gostaram da dica de hoje?
Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e
envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou
amigo ter aquela mudança.
Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#387 - O que é Ciúme

#387 - O que é Ciúme

Olá, aqui é Renata Gaion tudo bem com vocês? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.

Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamento e cursos gratuitos?
 
Pra isso participe da nossa comunidade comunidadeone.site e se inscreva. Ou se você tem android baixe o aplicativo ONE na playstore ou pelo nosso Instagram dicadoespecialistaoficial

E se gostar do meu conteúdo você e quiser nos ajudar atingir ainda mais pessoas, seja um um APOIADOR do Espaço Novo Dia, faça um PIX  (especialistarenatagaion@gmail.com) acima de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.

Na dica de hoje vamos falar sobre “como o inverno pode te ajudar a aquecer o seu relacionamento” 

É isso aí. Se você quiser driblar esse inverno no seu relacionamento fica comigo até o final.
Aproveitando antes que eu me esqueça, separei um (LIVRO) pra você no nosso Instagram. Acesse agora e baixe GRATUITAMENTE, dicadoespecialistaoficial

Bom, sem mais delongas vamos ao que interessa.
Como está a temperatura do seu relacionamento? Me diga aí. Está morna? Está fria? Congelou?  Não se preocupe, você não está sozinho(a), pois vou deixar aqui algumas dicas para te ajudar a aquecer o seu relacionamento. 

É muito comum que com o tempo alguns casais “caírem numa rotina ruim”, se desconectando, falhando na comunicação e perdendo a intimidade com o parceiro (a). E quando falo de intimidade, não é aquela de fazer xixi de porta aberta, dormir junto. Falo daquela que permite saber o que o outro está pensando e como está sentindo intimamente.
 
O Corre-corre no trabalho e em casa, as preocupações, a ansiedade, tudo isso afeta a libido. 
Se estamos estressados, ficamos menos disponíveis para o sexo e, se o fazemos, tendemos a nos envolver cada vez menos. 

Quando o relacionamento cai nessa rotina é muito comum diminuírem aqueles beijos intensos e as carícias, quando o casal faz sexo, “pulam” a etapa das preliminares tão importante para entrar no clima da excitação.  Assim, a relação não é tão prazerosa, e, quando a recompensa não é boa, a vontade de fazer diminui.
 O que é um grande erro na minha opinião, pois essa rotina detona com a felicidade de qualquer um.
 
Já os casais que criam uma “rotina boa”, onde se acostumam a valorizar momentos juntos, investindo em algo novo, propondo coisas diferentes, buscando diversão, romantismo e manter a vida sexual mais excitante, são muito mais felizes e satisfeitos sexualmente.
Com uma rotina bem estabelecida de forma ideal, é possível sempre criar novas memórias, novos sentimentos e novas experiências. E é isso que eu vou propor aqui hoje.


VAMOS AMPLIAR O CONCEITO SOBRE O SEXO

Primeiramente quero deixar bem claro que sexo é tudo o que um casal faz para se excitar sexualmente. O sexo não é apenas a penetração, é muito mais que isso. 

O sexo tanto ao vivo quanto virtual fica muito mais interessante quando sai da quele formato tradicional que o casal está acostumado. Então aproveite esses dias frios, peguem uma bebida quentinha e se preparem para uma boa conversar a dois, onde vocês possam falar abertamente mais sobre seus gostos, sentimentos e fantasias. 

Combinem as coisas que gostariam de experimentar juntos e nunca fizeram. Estejam atentos um ao outro, ouçam sem julgamentos e sem críticas, permitem-se mostrar seus mais profundos sentimentos e desejos, desvende os sentimentos e desejos do seu parceiro(a), decidam quais desejos e fantasias poderão ser realizados. Falem de todas, mas não necessariamente precisam realizá-las, o mais importante aqui é essa comunicação isso é intimidade.

5 MANEIRAS DE ESQUENTAR SEXO NO INVERNO

 HORA RESERVADA PARA CULTIVAR O AMOR 
Reserve um horário na agenda semanal para vocês dois. Arranjamos tempo para tudo. Por que não para namorar. O seu relacionamento deve ser prioridade na sua agenda, garanta uma vez por semana ou alguns dias no mês o dia para cultivar o amor de vocês.
O livro Uma Sedução por Semana, da britânica Betty Herbert, pode inspirar.
Uma sedução por semana mostra as experiências que possibilitaram a retomada do desejo sexual do casal. O pacto entre Betty e Herbert demonstra que pode parecer difícil reacender o desejo num casamento longo, mas que o desafio também pode se revelar uma experiência surpreendente, divertida e prazerosa.

 MANTENHA A CABEÇA “NAQUILO” 

Você já deve ter ouvido que o principal órgão sexual é o cérebro. Pois a lógica é simples e vale até para outras áreas. Compare: quanto mais aprendemos sobre vinhos, mais tentadora parece a próxima taça de um bom rótulo e mais prazer teremos ao degustá-la. 
A vontade de transar não vem do nada. Parece vulgar, mas devemos pensar muito em sexo para despertar o desejo.  Quanto mais estímulos, melhor.
Indico falar sobre o assunto com as amigas, gente grupo de amigas (os) é uma verdadeira terapia, impressionante como a troca de experiências ajudam a gente desmistificar o sexo, quanto mais se fala, mais se aprende, sem contar que é muito divertido. 
Aproveitar esse friozinho para ver filmes e ler livros eróticos com o parceiro conversar, descobrir fetiches, imaginar do que você poderia ou não gostar é essencial para estreitar a intimidade, sair da rotina e acender a paixão

QUEBRE OS TABUS
 
Parte do que torna o sexo chato em uma relação é que as coisas deixam de ser tabus. Você começa a esperar que as coisas sejam de um certo modo e sabe o que vai acontecer em seguida. ´

É de se esperar que em dias frios, principalmente nessa época do ano, o sexo fique para depois, o frio pode sim inibir atividades mais íntimas. Ainda que a libido esteja em dia, o clima gelado pede cobertas e muita roupa. 
Mas, o que eu vou propor aqui é quebrar esse tabu de que sexo no frio não rola. Rola sim!! E pode ser muito bom! Porque existem outras maneiras de satisfazer o desejo sexual sem que seja preciso passar frio. Para isso, te convido a desconstruir a ideia de que sexo é sinônimo de penetração. Prepare para abrir a mente e experimentar um sexo diferente do habitual.
A ideia é esquentar o relacionamento fazendo com seu parceiro algo que seja tabu ou levemente fora do comum. Ao invés de fazer o que faz normalmente no quarto, leve para o sofá, para a cozinha ou até para o carro .A propósito, o sexo no carro pode ser bem interessante. 
Leve um novo brinquedo sexual, um cosmético beijável ou tente algo um pouco ousado pela primeira vez. E nada de ficar com vergonha. Experimente!
Não esqueçam de explorar os 5 sentidos: visão, audição, olfato, paladar e tato. Soltem a imaginação! 
Como dicas, capriche nas trocas de beijos, nas carícias, nas frases picantes acompanhadas de uma masturbação mútua. Vocês podem provar os cosméticos beijáveis com sabores que esquentam e esfriam ou os acessórios que vibram, como massageadores e vibradores. Esses acessórios são muito bem-vindos e podem ser colocados por dentro da roupa íntima, alguns deles possuem um pequeno controle remoto por bluetooth, o que torna a brincadeira pra lá de excitante. Legal né? Não deixem de conversar sobre essas coisas e escolham o melhor para vocês.
 
4. SEDUÇÃO NO DIA A DIA 
Esquentar a relação depende mais do empenho do casal para construir um convívio saudável e sedutor do que da pegada forte na hora da transa.  Seduzir seu parceiro(a) pode ajudar a manter o encanto e fortalecer o relacionamento. 
A sedução pode ser um processo tão divertido quanto você desejar e pode ajudar a viver experiências “mágicas” e muito agradáveis e não apenas na cama. 

A sedução também pode fazer parte da dinâmica do casal. Nesse sentido, há quem considere que é “a centelha” que ajuda a manter viva a paixão e o interesse. Uma vez que vincula e gera proximidade. Eu concordo!  Segue aqui algumas dicas:

-Nada de fazer o comentário usual, recorrer à mesma técnica de sempre. Atreva-se a inovar, mesmo que um pouco.
Você não precisa esquecer o sucesso de certas práticas do passado, do que você já fez e deu certo,  mas tente combiná-las com algumas novidades para não só seduzir, mas surpreender.

-Segurar as mãos, alisar os dedos, descansar a cabeça no corpo do outro, manter contato visual e depois fechar os olhos, apreciar o calor do corpo e o cheiro do outro, falar uma palavra, fazer um gesto, que demonstre o quanto é bom esse aconchego, são gestos que podem ser tão românticos quanto sedutores.

-É muito bom recordar-se das datas especiais e ser detalhista nessas ocasiões, mas a verdade é que, para seduzir seu parceiro não precisa ser somente nessas datas. Aliás elas são óbvias. Cultive a sedução no dia a dia, aposte naqueles dias mais improváveis e faça uma surpresa. Eu adoro o desfecho disso!
 
-A espontaneidade recompensa muito um relacionamento. Portanto, incentive-se a ser mais romântico quando lhe apetecer e quando o seu amor menos esperar.
Às vezes, muitas pessoas não seduzem o parceiro porque temem a rejeição. Temem que a outra pessoa não entre no jogo, ou que tire sarro, ou simplesmente não valoriza, ignora e diga algo como “agora não”. 
 
Embora seja normal ter esses receios, se você deseja seduzir seu parceiro, deve se arriscar. Saia da sua zona de conforto! Afinal, não há nada melhor do que viver novas experiências juntos.
 
- Para seduzir o outro, você também deve manter uma boa comunicação. 
Abraçar, beijar, acariciar, fazer um elogio ao outro pode ser muito gratificante, mas trocar palavras sedutoras, emocionantes e interessantes pode gerar confiança e aproximar ainda mais o casal. Enviar mensagens durante o expediente recheadas de elogios e frases picantes podem ser boas aliadas quando se quer manter a tensão sexual à flor da pele.
Atreva-se a seduzir seu parceiro e se entregue à experiência!
 




SAÚDE SEMPRE EM DIA 
.
Não busque justificativas para si mesmo(a) se anda sem vontade. Cada um tem o próprio apetite sexual e não há padrões de normalidade a seguir. Querer se comparar com outras pessoas só prejudica sua autoestima. É natural não ter dias sem disposição para o sexo, mas se a falta de libido for persistente você precisa identificar o que está acontecendo.
A falta ou diminuição da libido e outras disfunções sexuais bem como os problemas que você enfrenta seu relacionamento são sinais que algo não está certo e precisa ser ajustado.  Esses problemas devem ser encarados como prioridade na sua vida, algo que precisa ser resolvido e que não podem ir para debaixo do tapete.
Pessoas que negligenciam esses cuidados e demoram para buscar a ajuda, ficam muito tempo insatisfeitas com seus relacionamentos e vida sexual e tendem a ter muitos problemas em outras áreas da vida. 
O profissional mais indicado para fazer essa avaliação é o Especialista da Saúde e Bem-Estar do Casal, e você conhece alguém que precise desse profissional, ou se você estiver passando por algum problema de ordem sexual o no seu relacionamento não demore para buscar ajuda, o tempo de ser feliz é agora!

E aí gostaram das dicas de hoje? 

Se tudo que eu falei faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast para ajudar essas pessoas. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.

Eu vou sortear 1 Livro de Romance HOT por semana. Pra participar do sorteio é bem simples basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos, como cursos, conselhos, livros, podcasts exclusivos e muito mais. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.

Mês que vem estarei falando sobre Como Fazer um Relacionamento a Distância da Certo, inclusive estou escrevendo um livro com várias dicas para comemorar o Dia dos Namorados a Distância, sexo virtual e muito mais. 
Convido vocês a visitarem meu Instagram @renatagaion e entrar no meu canal do telegram o link está na bio. Lá tem sempre conteúdos exclusivos para vocês, e assim que o livro estiver pronto vocês receberão em primeira mão gratuitamente. Então entra lá e me seguem!

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista. Bye bye

#386 - Como o Inverno pode te Ajudar a Aquecer seu Relacionamento

#386 - Como o Inverno pode te Ajudar a Aquecer seu Relacionamento

“Olá, aqui é Marlene Miranda tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do
Casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e
Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o
relacionamento que você sempre quis.”
Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamento e
cursos gratuitos?
Para isso participe da nossa comunidade, a Comunidade ONE, acesse:
comunidadeone.site ou pelo nosso Instagram dicadoespecialistaoficial.
E se gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, seja
um um APOIADOR do Espaço Novo Dia, faça um PIX no
(especialistamarlenemiranda@gmail.com) acima de R$5,00 e nos ajude a ajudar ainda
mais pessoas.
Na dica de hoje vamos falar sobre micro traição.

O QUE É A MICRO TRAIÇÃO E QUANDO ELA SE TRANSFORMA EM TRAIÇÃO DE
VERDADE?

Antes dos smartphones, a micro traição poderia ser aquela de tirar a aliança de casamento
quando se sai para uma festa.
Mas, na era digital, é mais fácil do que nunca dar sinais a alguém de que você está
disponível.
"Mesmo no século 18, as pessoas flertavam com cartas inadequadas ou revelavam
pensamentos indevidos em seus diários.
O que mudou é que agora temos ferramentas que facilitam a micro traição mais do que
nunca.

Embora a micro traição nem sempre signifique que você esteja traindo seu parceiro, ela é
um comportamento que pode levar à infidelidade.
É como preparar o terreno.

O QUE PODEMOS CONSIDERAR MICRO TRAIÇÃO?

Você está em um show com seu parceiro.
E acontece que os shows de abertura são a banda favorita do seu ex.
Você tira uma foto e envia para ele. 24 horas depois, ele responde com um beijo no final da
mensagem. Se você continuar a conversa, você está sendo infiel? Não há nada de errado
em estar em contato com o seu ex.
A situação é aceitável desde que você não esteja procurando uma reconciliação, esteja
entediado ou procurando atenção.
Muitas pessoas escrevem para o seu/sua ex para dar uma enaltecida em seu ego, se elas
sabem que essa pessoa ainda tem algum sentimento em relação a eles/elas.
Enviar uma mensagem para o seu ex.
Curtir as postagens de alguém nas redes sociais

Você está na cama.
Você apaga as luzes, mas não consegue dormir.
Você começa a mexer o polegar no Instagram e a curtir fotos de alguém com quem, se
você não estivesse em um relacionamento, gostaria de estar.
Você faz o mesmo durante o almoço e no ônibus a caminho de casa você deixa alguns
emojis em suas últimas publicações, incluindo um coração.
Pessoas que se sentem inseguras podem ficar mais chateadas que as outras e talvez seja
um sinal de que há um problema maior no relacionamento delas.
Curtir os posts de alguém não é necessariamente uma coisa para você se sentir mal, mas
se você fizer isso com frequência nos posts da mesma pessoa, pode ser preocupante. '

Construir uma amizade "platônica" na internet

Você saiu de férias com um grupo de amigos da universidade e teve um grande momento
com alguém da sua turma.
Tornar-se amigo do Facebook parecia um passo lógico.
De lá, vocês começaram a se seguir no Instagram.
De repente, um dia você recebe uma mensagem pedindo o número: ele quer falar com você
sobre o trabalho do curso.
Muitas vezes encontramos pessoas com as quais temos coisas em comum, acho que não
há nada de errado com isso, mas você precisa ser muito claro com a outra pessoa para
elaentender que é apenas amizade.
Se você começar a trocar mensagens diretas, que são formas privadas de comunicação,
você está escondendo alguma coisa.

Não excluir seu perfil em aplicativos de namoro

Depois de vários meses usando aplicativos de namoro, você passou algum tempo no que
parece se tornar um relacionamento real.
É ótimo, mas você ainda não decidiu excluir seu perfil nos aplicativos.
Você até os usa quando está entediado.
Não apagar o seu perfil de aplicativos de namoro é completamente indesculpável, é
também um movimento de poder para fazer a outra pessoa se sentir ansiosa sobre o fato
de que você não a eliminou.

E aí gostaram da dica de hoje?
Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique
agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas
vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela
mudança.
Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#384 - O QUE É A MICRO TRAIÇÃO E QUANDO ELA SE TRANSFORMA EM TRAIÇÃO DE VERDADE?

#384 - O QUE É A MICRO TRAIÇÃO E QUANDO ELA SE TRANSFORMA EM TRAIÇÃO DE VERDADE?

“Olá, aqui é Marlene Miranda tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e
esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal
de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você
sempre quis.”
Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamento e cursos
gratuitos?
Para isso participe da nossa comunidade, a Comunidade ONE, acesse: comunidadeone.site
ou pelo nosso Instagram dicadoespecialistaoficial
E se gosta do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, seja um um
APOIADOR do Espaço Novo Dia, faça um PIX no (especialistamarlenemiranda@gmail.com)
acima de R$5,00 e nos ajude a ajudar ainda mais pessoas.
Na dica de hoje vamos falar sobre vaginismo .
Vaginismo é a dificuldade persistente e recorrente que a mulher tem de permitir a
penetração vaginal, seja de um dedo, um absorvente interno, ou mesmo de um pênis.
Essa dificuldade existe apesar da mulher realmente querer e desejar essa penetração, seja
dentro do contexto sexual como nas tentativas de relação à dois, ou fora como na própria
tentativa de introduzir um simples absorvente interno e não conseguir.
Essa dificuldade é resultado do medo que essa mulher tem de sentir dor, mesmo estando
fisicamente saudável e não tendo absolutamente nada de errado com a sua vagina.

E então, quando a mulher com vaginismo vai tentar a penetração, o medo faz com que a
mente dispare um comando para se defender da dor, e é nessa hora que a mulher se
contrai toda, contrai o corpo inteiro, inclusive a sua musculatura pélvica (conjunto de
músculos ao redor da vagina).
E aí, quando a penetração começa a acontecer, com a mulher assim toda contraída, ela de
fato sente dor...
É nesse momento que a mente reforça que a penetração é dolorosa e a partir daí a
mulher entra num ciclo vicioso que dificilmente consegue sair sozinha... o que torna o
vaginismo um problema além de comum, causador de muito sofrimento ao longo da vida
de muitas mulheres que sofrem com este tormento.

Vaginismo no Brasil e no mundo

Você não está sozinha! A dor na relação é mais comum do que imagina!
Devido a escassez de estudos, é difícil determinar com precisão o número de pessoas que
sofrem desta disfunção.
• 15% das mulheres relataram a presença de dor recorrente durante a relação sexual, com
base em um estudo com as norte-americanas.
(DSM-5, 2013)
• 18% das mulheres relataram dor durante a relação sexual em um estudo sobre
sexualidade feminina realizado no Brasil.
(ABDO, 2004)
O interesse acerca do tema tem aumentado!
A dor na relação vem sendo pauta cada vez mais recorrente na mídia.
Dados do Google indicam crescimento de 40% no número de pesquisas sobre o tema nos
últimos cinco anos, o que reflete no aumento de mulheres que buscam tratamento nas
clínicas de atendimento público e privado, embora isso não necessariamente signifique
que haja aumento no número de casos da disfunção.
Acreditamos que o acesso à informação tem encorajado cada vez mais as mulheres a
procurar ajuda!

Diagnóstico

Não existe um exame específico para diagnosticar o vaginismo. A recomendação é que
seja realizada uma avaliação por Ginecologista ou Fisioterapeuta Pélvico com experiência
em disfunções sexuais.
Na Clínica Débora Pádua o diagnóstico é realizado na consulta de avaliação com análise
dos sintomas da paciente, seu histórico e quando possível exame pélvico. Confirmada a
disfunção, será determinado o grau do Vaginismo como leve, moderado ou grave,
seguindo orientações do DSM.

Causas e sintomas

Causas e Sintomas:
Acho que deve ter ficado claro para você que o vaginismo é disparado pelo medo que a
mulher tem de sentir dor na hora que tenta a penetração vaginal, seja de um dedo, um
absorvente interno, ou mesmo de um pênis.
Mas o que será capaz de provocar um medo desse tamanho?
Existem determinadas características pessoais e histórias de vida que podem aumentar a
chance de sofrer com o vaginismo, mas ao longo desses mais de 19 anos tratando de
mulheres que sofrem com esse problema, eu percebi que todas ou quase todas tinham
um perfil bastante comum. Segundo a Dra.Mariana Maldonado especialista em
ginecologia e sexologia.

Algumas características comuns à elas são:
Extremamente ansiosas, estressadas e centralizadoras: querem resolver tudo, e de
preferência, pra ontem;

São mais tímidas e reservadas quando o assunto é intimidade, tem dificuldade de se
entregar ao outro;

Muitas tiveram uma educação mais repressora, por vezes religiosa, e com pouca conversa
em casa sobre seu corpo e sexualidade.
E, principalmente, falta de conhecimento prático sobre a sua vagina e suas sensações.

Tipos de vaginismo

1) Vaginismo Primário

O que dispara o gatilho para a mulher contrair sua musculatura pélvica é o pensamento
antecipatório: só de pensar na dor que pode sentir, a reação ao medo é disparada, o
coração acelera, a mão fica gelada e suada, o corpo treme e se contrai. E quando tenta a
penetração toda contraída, ela sente dor.
A mulher não tem absolutamente nada de errado com sua vagina do ponto de vista físico.
A dor na penetração a acompanha desde o início da sua vida sexual, ou seja, ela nunca na
vida conseguiu experimentar uma penetração vaginal sem dor.

2) Vaginismo Secundário
Como o próprio nome diz, a mulher tinha uma vida sexual normal sem dor na penetração,
mas a partir de um determinado momento passou a ter.
Esse tipo de vaginismo normalmente é causado por algum problema físico ou trauma
psicológico, que mesmo após tratado e curado, a mulher mantém a lembrança da dor que
sentia e o medo permanece fazendo com que se contraia ao tentar a penetração.
A mulher tinha uma vida sexual normal, sem dor na penetração vaginal, mas a partir de
um determinado momento, passou a ter.

Níveis do vaginismo
1) Leve

Sua dificuldade é pequena, você sente uma dor discreta para iniciar a penetração vaginal,
mas logo depois que entra a dor acaba e o sexo flui normalmente, sendo muitas vezes
prazeroso.
2) Moderado
Sua dificuldade é grande, a relação sexual já começa com um certo nível de dor que não
passa, e você muitas vezes precisa pedir pra parar pois não consegue terminar o ato.
3) Severo
Sua dificuldade com a penetração vaginal é tão grande que nem um cotonete é capaz de
passar pela sua vagina sem provocar dor.

Tratamentos do vaginismo

Segundo a Dra.Mariana Maldonado especialista em ginecologia e sexologia.
“Ao longo de todos esses anos de trabalho com mais de 300 mulheres, eu percebi que
todas ou quase todas as que atendi com vaginismo, principalmente as do tipo primário,
tinham uma grande característica em comum, que para mim é o maior motivo para se
temer a dor e ter essa dificuldade no ato da penetração:
A falta de conhecimento prático total ou parcial da própria vagina.
É isso mesmo que você leu!
E olha que não estou falando do nível erótico, porque muitas que sofrem com vaginismo
não tem problemas com isso. Sentem desejo, ficam excitadas, com boa lubrificação e
chegam ao orgasmo com sexo oral ou masturbação clitoriana.
Fazem tudo isso, mas não tem o hábito ou simplesmente não conseguem colocar 1 ou 2
dedos dentro da vagina (seja dentro ou fora do ato erótico) de forma natural e fazer os
movimentos internos com desenvoltura e de forma espontânea, neutra e confortável.
Sempre tem algum nível de dor, desconforto ou incômodo, seja físico ou psíquico. Como
se a vagina fosse uma entidade à parte e não uma parte do corpo!
Se tem algo que eu percebo hoje depois de todos esses anos, é que se essa falta de
conhecimento e domínio da vagina desta forma que proponho não for o motivo principal

a mulher sentir medo na hora da penetração, certamente contribui muito para
alimentá-lo.
É por isso que este autoconhecimento é fundamental, necessário, e precisa fazer parte de
qualquer tratamento para vaginismo!
Se você se identificou com o que eu estou falando, pare e pense comigo: Se você não
domina e nem conhece realmente o que tem aí embaixo como acabei de falar, como
permitir que algo ou alguém entre dentro de você?
É preciso conquistar o seu território e perder o medo de si mesma primeiro para depois
permitir que outra pessoa entre aí dentro! Mais literal, impossível!
Estou certa que sem passar por esse processo completo de ressignificação da sua vagina e
do seu feminino, será muito difícil você se entregar e perder o medo da dor na hora da
relação.
E aí gostaram da dica de hoje?
Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em
compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que
faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.
Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#383 - Conheça agora tudo sobre Vaginismo

#383 - Conheça agora tudo sobre Vaginismo

Olá, aqui é a Mel Viana, tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem estar do casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui, eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem Estar do Casal de todo o mundo damos dicas todos os dias para você conquistar o relacionamento que você sempre quis.

Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas gratuitas ou sugerir o próximo tema? Para isso, acesse nosso site comunidadeone.site ou o nosso instragram dicadoespecialistaoficial.

Na dica de hoje vamos falar sobre a Síndrome da Impostora.

Resolvi falar desse assunto pois tenho recebido muitos relatos de mulheres que tem em mente um projeto, estudam para determinada carreira, se casaram mas não se sentem dignas, pensam não merecer o sucesso que alcançaram.

Este é um sentimento que, se permitido, engessa o crescimento e desenvolvimento do indivíduo através da autossabotagem. O nivela por baixo, faz com que o mesmo não acredite em si. Esse nome, Síndrome da Impostora (ou do Impostor) é o nome atribuído ao Dsentimento de sucesso imerecido, a pessoa pensa que em algum momento ela será desmascarada, irão perceber que ela é uma fraude. Isso não afeta apenas a vida profissional, saúde e autoestima, afeta muitos relacionamentos amorosos, que não se desenvolvem de forma saudável por um dos parceiros não se sentir à altura do outro, dos carinhos e atenção recebidos.

Se você é mulher, as chances dessa síndrome já ter rondado sua vida são maiores, apesar de alguns homens também relatarem que já passaram por isso. Um estudo realizado pela Universidade da Geórgia nos Estados Unidos, em 1978, constatou que 70% das entrevistadas, executivas influentes, se sentem uma fraude, que não merecem a vida que conquistaram. Que terem conquistado a vida que tem é obra do acaso, ou sorte.

Embora não seja considerada uma patologia, o conjunto de sintomas psicológicos ligados ao sentimento de incapacidade, principalmente nos ambientes acadêmicos e na vida profissional, é diagnosticado há décadas. Há 44 anos esse fenômeno da mente foi detectado. 

As pesquisadoras Pauline Rose Clance e Suzanne Imes, da Universidade do Estado da Geórgia, publicaram, em 1978, o primeiro artigo com a nomenclatura  “impostor” usada para designar quem demonstrava sinais de autoboicote.
A dinâmica familiar e todo o machismo presente nos anos 70 faziam com que as mulheres não cressem em suas próprias capacidades.

“Contrariando realizações acadêmicas e profissionais, mulheres que apresentam o fenômeno do impostor insistem em acreditar que elas não são boas o suficiente e que apenas enganam quem pensa o contrário”, diz o artigo.

Em outras palavras, a síndrome da Impostora ou impostor refere-se a sensação de incompetência, de que a pessoa não consegue fazer nada direito por sua própria conta, e isso é influenciado muitas vezes pelas vidas perfeitas exibidas na internet. O sentimento de não ser capacitada e estar se escondendo por trás de uma máscara é percebido independentemente da profissão e classe social.
Isso envolve altos e baixos na autoestima, sofrimento e dúvidas no decorrer da vida. 

Atualmente o número de homens afetados por esse fenômeno cresceu muito, mas ainda existem aqueles que tendem a superestimar suas conquistas.
 
Como Identificar os sinais?

Quanto antes a pessoa o identificar, melhor, pois esses sentimentos podem contribuir para o surgimento de outros dilemas como transtorno de ansiedade e depressão.
1.    Não se sentir merecedora
2.    Se ver incapaz de realizar o que deseja, o que planejou
3.    Nunca se sentir boa o suficiente
4.    Pensar que, para você, nunca dará certo
5.    Sensação de não pertencimento ao meio onde está
6.    Medo de ser descoberta ou culpa por estar “enganando” as pessoas ao seu redor
7.    Ansiedade pós sucesso
8.    Perfeccionismo e baixa autoestima
9.    Insegurança ao ser avaliada e medo de comparação
10. Dificuldade de receber elogios
11. Receio de não conseguir repetir os resultados anteriormente conquistados
 
Celebridades de todo o mundo relataram já ter passado por essa questão. Vou citar algumas delas e seus depoimentos:

Bruna Marquezine "Nunca me vi em um pedestal, mas, as pessoas acham isso, às vezes. Minha dificuldade de fazer novas amizades é a síndrome da impostora, que diz que eu não sou uma pessoa legal o suficiente", pontuou a atriz. 



Jeniffer Lopes
A maior insegurança que eu tinha era sobre minha voz. Mesmo que eu tivesse vendido 70 milhões de discos, havia um sentido do tipo 'Não sou boa nisso'
Você é a única que pode reter o seu potencial. 

Michele obama
"Eu tive de trabalhar duro para superar aquela pergunta que (ainda) faço a mim mesma: 'eu sou boa o suficiente?'. É uma pergunta que me persegue por grande parte da minha vida. Estou à altura disso tudo? Estou à altura de ser a primeira-dama dos Estados Unidos?".
É preciso tirar esses demônios da cabeça e não superestimar as outras pessoas. Todo somos capazes.

A síndrome da Impostora tem afetado também muitos relacionamentos. Mesmo quando tudo está indo bem, o fantasma desta síndrome ronda os pensamentos. A mulher não se sente a altura da parceria, se sente não merecedora daquela atenção, carinho, do relacionamento em si. É como pisar em ovos, aquela insegurança a todo momento, pensa que pode ser trocada por outra que seja muito melhor do que ela é.
Isso desencadeia um relacionamento adoecido, regado a ciúmes intensos, controle exagerado sob a parceria. A mente inquieta não pára.

A pessoa precisa se superar diante da sua parceria, criar momentos e performances acima da média para impressionar cada vez mais. Procura sempre agradar.

No sexo ela não relaxa, fica com receio que seus defeitos sejam mal vistos, é muito autocrítica. Se a mulher não se entrega, não há uma cumplicidade no momento a dois, uma entrega, o sexo não é o mesmo. A tensão gera desconforto, falta de lubrificação natural, acaba não sendo bom para ambos.

Há relatos de mulheres que sequer tiram a maquiagem para dormir com a parceria, escolhem posições muitas vezes desconfortáveis para não marcar o rosto, não criar rugas. 

É grande o medo de serem comparadas a outras, de serem rejeitadas ou trocadas a qualquer momento.

Essa síndrome causa, além de insegurança e baixa autoestima, um sentimento profundo de culpa. E, pasmem, mulheres relatam se sentirem mal por serem mais bem sucedidas que seus parceiros. Por terem uma vida acadêmica e trabalho mais bem sucedidos. Quando em uma roda de conversa alguém pergunta como vai a empresa, como estão os negócios, ela responde que "bem, tranquilo", não quer demonstrar superioridade, se sente mal com isso. 

Difícil, tenso e doloroso manter esse papel. Ela não está sendo transparente e honesta consigo mesma. No que se refere ao relacionamento amoroso, o indicado é que ambos entreguem suas vulnerabilidades, seus receios e medos, sejam íntimos tanto na comunicação quanto na vida sexual, assim os dois se sentirão mais leves e poderão viver juntos de forma saudável.


Para superar essa armadilha mental, deve-se começar reconhecendo as sensações provocadas pelo fenômeno.
Quais os gatilhos fazem com que você sinta medo, insegurança, ansiedade, raiva ou tristeza? Reflita nos seguintes pontos:
Esse sentimento de não merecimento e incapacidade pode ser comprovado?
Pense como você era ao começar determinado projeto, veja o quanto evoluiu nessa caminhada, os esforços que foram necessários de sua parte, se elogie acima da proporção das de suas cobranças internas. Avalie seu trabalho por um olhar externo, aceite os elogios por suas conquistas.
Só conseguiu porque teve ajuda
Atualmente está claro como as parcerias contribuem positivamente para o crescimento de todos. Da mesma forma que alguém contribui para o seu trabalho, existe a reciprocidade de sua parte. Ambos se desenvolvem. Isso não quer dizer que você não chegaria onde está sozinha, mas isso demandaria mais tempo.
Peça Feedbacks aos parceiros e clientes
Através de pesquisas pós-vendas, você pode perceber como está o seu trabalho e melhorar cada dia mais. Aceite as críticas construtivas e aplique o que achar pertinente e válido. Da mesma forma peça feedbacks aos seus parceiros de negócios, às pessoas que convivem com você.
Corra o risco de ser você, natural
Relaxe, converse com sua parceria, a balança do esforço precisa ser na medida. Não queira compensar com agrados em exagero uma falta que, na verdade, só existe na sua mente. 
Peça ajuda profissional
Como comentado anteriormente, esse fenômeno mental, se não bem tratado, pode fazer com que sua autoestima seja abalada. E, consequentemente, tristeza, raiva e depressão. Caso esteja num estágio assim, procure ajuda do profissional capacitado, que fará uma avaliação e conduzirá seu caso.

O especialista em relacionamento e sexualidade está capacitado a te ouvir e avaliar de forma profissional a sua situação. 

Caso seja necessário um tratamento mais profundo, existem Terapias Comportamentais Cognitivas voltadas para essa questão em especial.





E aí, gostaram na dica de hoje? Para ouvir essa e mais dicas, basta acessar e assinar nosso podcast pelas principais plataformas.

Acesse nosso site, participe do nosso Grupo Dica do Especialista no Whatsapp. Pelo nosso site comunidadeone.site/dicadoespecialista ou pelo nosso Instagram Dicadoespecialistaoficial. Você vai poder discutir sobre um episódio, tirar dúvidas e muito mais.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do especialista.

#382 - Como a Síndrome da Impostora afeta o Casal

#382 - Como a Síndrome da Impostora afeta o Casal

Olá, aqui é Mel Viana, como vocês estão? Espero que bem, assim como eu estou. Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e este é o Podcast Dica do Especialista. Aqui, diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo, inclusive eu, damos dicas todos os dias para você conquistar o relacionamento que você sempre quis.

Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamento e cursos gratuitos?
 
Para isso participe da nossa comunidade, a Comunidade ONE, acesse: comunidadeone.site ou pelo nosso Instagram dicadoespecialistaoficial

E se gostar do meu conteúdo você e quer nos ajudar atingir ainda mais pessoas, seja um um APOIADOR do Espaço Novo Dia, faça um PIX no CPF 01286940680 no valor a partir de R$ 5,00 e nos ajude ajudar ainda mais pessoas.

Na dica de hoje vamos falar como o beijo influencia no relacionamento do casal.

Assim como geneticamente trazemos informações comportamentais e sexuais de nossos antepassados, quando falamos do beijo não poderia ser diferente. O beijo é considerado um dos maiores gestos de carinho e amor entre um casal, sendo peça fundamental na construção de uma relação. 

Os mais antigos relatos sobre o beijo foram em 2500 a.C., nas paredes dos templos de Khajuraho, na Índia. Diz-se que na Suméria, antiga Mesopotâmia, as pessoas costumavam enviar beijos aos deuses. Na Antiguidade também era comum, para gregos e romanos, o beijo entre guerreiros no retorno dos combates.

Mas para que serve o beijo na relação do casal? Quando encontramos aquele alguém que mexe com nosso ser, que nos faz sentir um frio na barriga, uma das primeiras atitudes é se entregar ao beijo. Sabemos que nem sempre o beijo envolve o romantismo, atualmente beijar na boca é tido também apenas como diversão momentânea. 

Podemos dizer que exista pelo menos três teorias principais sobre o papel do beijo na relação: 

Analisar a qualidade genética de potenciais companheiros:
Pesquisadores acreditam que, na antiguidade, o beijo fazia parte do processo seletivo dos parceiros, em especial por parte das mulheres, pois, assim como no reino animal, elas instintivamente precisam ser seletivas com seus parceiros já que ele contribuirá significativamente com os genes dos filhos que perpetuarão a espécie.

“Nos lábios se nota com muita precisão a temperatura corporal da outra pessoa, o tônus muscular e até mesmo o estado de seu sistema imunológico por meio de anticorpos e outras proteínas desse sistema. Além disso, durante o beijo, especialmente o de língua, há um importante intercâmbio de saliva, que faz com que o homem passe testosterona para a mulher e aja como uma espécie de afrodisíaco que ativa a receptividade sexual da mulher. Quando toda a informação chega ao cérebro, ele avalia se lhe agrada ou não, se o rejeita ou o aceita” explica David Bueno i Torrens, biólogo e pesquisador de genética na Universidade de Barcelona.

O beijo serve então como um primeiro exame, mesmo que inconscientemente. A pesquisa realizada por Rafael Wlodarski e Robin Dunbar, sugere que o beijo ajuda a analisar a adequação do casal.

Falando um pouco sobre feromônios, a cientista Sheril Kirshenbaum, da Universidade do Texas, uma das maiores especialistas no tema, diz que as mulheres se sentem atraídas pelo cheiro de homens com código genético diferente do seu pois, assim, asseguram melhor prole.

Aumentar a excitação:
Durante o beijo são liberados neurotransmissores excitatórios como a serotonina (excitação e otimismo), dopamina (prazer e bem estar), epinefrina (aumenta a frequência cardíaca, o tônus muscular e o suor) e a oxitocina (gera afeto e confiança).
Sendo assim, é um ótimo favorecimento às preliminares ajudando no aumento do desejo sexual e na atração pelo parceiro (a).


"Os lábios, assim como a ponta dos dedos, são locais de grande quantidade de terminações nervosas. Pequenos estímulos são suficientes para comunicar temperatura, tônus muscular e outras sensações. Sabe-se que o homem 'transfere' testosterona à mulher, através da saliva, o que faz aumentar o desejo sexual dela. Através do beijo, produz-se ocitocina, conhecido como o hormônio do amor, onde são despertados sentimentos de afeto pela outra pessoa".

Ajudar a manter as relações:
O beijo sincero é uma grande demonstração de amor, de afeto.

"O beijo é um termômetro para a saúde afetiva do casal. Através do beijo comunica-se sem palavras, estabelece-se ligação única, e manifesta-se o desejo. Estas sensações despertam segurança no relacionamento e trazem, por consequência, melhor qualidade de vida, porque a vida afetiva é um dos pilares da felicidade do ser humano".
Ao ser realizado com amor e cumplicidade, o ato de beijar pode desencadear reações no corpo todo, produzindo bem-estar, confiança e unindo ainda mais o casal.
É uma forma de dizer aquele “eu te amo”, “eu me preocupo com você”, diariamente. Demonstra confiança entre o casal.

Fique atento (a) pois através deste gesto você percebe como está o sentimento de sua parceria em relação a você e vice versa. Uma coisa é você dar um selinho como gesto de um carinho rápido, outra coisa é quando o casal não está bem e, através desse mesmo gesto, demonstra secura e indiferença, sendo realizado como uma obrigação para manter as aparências.

Se bem que ao observarmos o beijo, é possível perceber que todo o corpo também vai emitir uma mensagem. Quem está envolvido percebe tranquilamente que algo não está bem ou que está bem até demais. Inclusive quando as mãos deslizam por outras partes do corpo como a nuca, cintura e nádegas. É um carinho extra.

Nem tudo o que envolve o beijo é química, a memória afetiva do indivíduo conta muito nesse momento. “As interações de hormônios no cérebro dependem também da experiência prévia da pessoa em suas relações sociais, mesmo que não perceba. Já foi constatado através de estudos que, quando se beija uma pessoa conhecida, as reações químicas são diferentes de quando se beija um desconhecido” diz David Bueno.

Os lábios são, junto com as pontas dos dedos, a região do corpo com maior densidade de terminações nervosas. E por isso dizemos que eles são também grandes responsáveis por receber, explorar e transmitir informações ao cérebro.

Essa comunicação leva décimos de segundo e, a partir daí, os protagonistas do beijo começam a sentir seus efeitos. As reações químicas dependem do tipo do neurotransmissor, da porcentagem ou balanço entre eles e dos neurônios sobre os quais atuam, das reações químicas entre os neurotransmissores (substâncias químicas que fazem a comunicação entre os neurônios).

Vale ressaltar que a química do beijo parece mudar com o passar do tempo dentro de uma mesma relação. Com isso, aquele fogo, aquela energia e vitalidade dá lugar a uma etapa mais tranquila.

“Passa-se para uma outra etapa na qual não se sente a paixão inicial, mas se está bem com essa pessoa. Embora nem todos os casais façam essa passagem do primeiro estágio para o segundo”, afirma David Bueno.

O psiquiatra Jesús de la Gándara destaca inclusive que há uma mudança na química cerebral. Onde no início da relação havia grande estimulação hormonal com predomínio dos andrógenos (testosterona) e da dopamina, como passar do tempo muda, há mais estímulo à vasopressina e à oxitocina; beijam-se com menos frequência e intensidade, mas de maneira mais carinhosa e estável”.

Quero citar para vocês alguns dos vários benefícios do beijo na boca:

Melhora toda a circulação sanguínea
A excitação que acontece durante um beijo provoca uma vasodilatação no corpo todo. A abertura dos vasos, juntamente com a aceleração da frequência cardíaca, contribui para o aumento da quantidade de sangue oferecida aos tecidos. Assim, melhora toda a circulação sanguínea.

Aumenta a imunização
Ao beijar na boca os indivíduos trocam cerca de 250 bactérias do bem, isso pode proteger o corpo de várias doenças.
"Os microrganismos trocados vivem em uma relação amigável com o corpo de forma a aumentar a imunidade, já que não são do tipo que provoca doenças", explica Amaury Mendes.

Libera hormônios do prazer
O beijo libera os hormônios dopamina, epinefrina e ocitocina. "Respectivamente, esses hormônios atuam estimulando, gerando sensação de prazer e estabelecendo o vínculo entre o casal", explica o sexólogo Amaury. É um momento de plena intimidade que está ligado a uma série sensações, como calor, frio na barriga, ansiedade, arrepios e excitação.

Estimula os sentidos
A ação de beijar inclui tato (do toque dos lábios e do encontro corporal); olfato (estimulado ao sentir o cheiro do parceiro); paladar (representado pelo gosto do parceiro); a audição (que permite ouvir a respiração e os ruídos que fazem parte de um bom beijo) e por fim, a visão (a observação do outro).

Promove o bem-estar
A liberação dos neurotransmissores chamados de endorfinas, que acontece durante o beijo, promove uma prazerosa sensação de bem-estar. Quando estão em níveis muito baixos no organismo, causam irritabilidade, sono, tristeza, impulsividade e uma série de dificuldades emocionais.

Melhora a autoestima
Quando estamos em um relacionamento mais longo o beijo remete-se a sensação de ser amado, cuidado. Numa nova relação leva-nos ao prazer da conquista. Ou seja, é como um ciclo: com mais autoconfiança, você se sente mais à vontade para beijar e expressar emoções e sensações, tanto de maneira verbal quanto não verbal.

Queima calorias
Esse simples ato é capaz de exercitar dezenas de músculos, ajudando a queimar 26 calorias, em média, em um beijo de língua de um minuto.
Apesar de todos esses maravilhosos benefícios físicos e mentais, é preciso saber que que pelo beijo também adquirimos doenças como por exemplo a mononucleose (doença do beijo), muito comum entre adolescentes, pois a cada 10 segundos de beijo intercambiamos uma grande quantidade de bactérias.

Mas a balança pesa muito mais para o lado positivo, onde desfrutamos de boa companhia, apoio emocional, prazer e excitação. Há estudos que comprovam que quem beija mais, vive mais, então bora beijar minha gente.

O que fazer quando o casal não tem mais o hábito do beijo

Como falamos anteriormente, é normal que com o passar do tempo a frequência e intensidade dos beijos diminuam e mesmo assim o casal continue se amando. Porém, é preciso ficar atento pois cessar o beijo é o primeiro sinal de declínio e adoecimento do relacionamento, sendo que o sexo ainda permanece por mais tempo. 

O beijo tende a funcionar como um termômetro, medindo a intensidade do desejo em uma relação.
Seja você a tomar a iniciativa do beijo, do carinho, da demonstração de amor. Caso seja preciso, conversem e acertem os ponteiros. Com a correria do dia a dia, é possível que detalhes se percam e precisamos manter a chama acesa. A chama do amor, da paixão, do companheirismo e da inovação.

Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes é isso que falta para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.

E não se esqueça, ative as notificações na sua plataforma de áudio favorita para não perder nenhum conteúdo que vai agregar valor à sua vida e ao seu relacionamento.

A Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos, como cursos, conselhos, livros, podcasts exclusivos e muito mais. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#381 - Beijo, o termômetro do relacionamento a dois

#381 - Beijo, o termômetro do relacionamento a dois 😱😱

#380 - A raiz dos conflitos nos relacionamentos

#380 - A raiz dos conflitos nos relacionamentos


Olá, aqui é a Mel Viana, tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem estar do casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui, eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem Estar do Casal de todo o mundo damos dicas todos os dias para você conquistar o relacionamento que você sempre quis.
Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas gratuitas ou sugerir o próximo tema? Para isso, acesse nosso site especialista.site/dicadoespecialista ou o nosso instragram dicadoespecialistaoficial.


Na dica de hoje vamos falar sobre Agressão Verbal: uma destruição silenciosa no relacionamento.

A agressão verbal e a violência psicológica são as formas mais sutis de abuso. Isso porque as marcas não são físicas, não são visíveis. É preciso ter um olhar mais profundo para identificar que uma mulher (ou homem) esteja passando por isso.
A violência verbal é um comportamento agressivo, quando palavras danosas com a intenção de ridicularizar, humilhar, manipular ou ameaçar são constantes. A violência psicológica está ligada à agressão verbal, já que a primeira é uma consequência da segunda.
No início do relacionamento não é tão fácil identificar, visto que a mulher está anestesiada pela paixão, o que não permite ver os pontos negativos da parceria. Além disso, o abusador está investindo na fase lua de mel, onde trabalha na conquista da vítima ganhando a confiança da mesma. À medida que a intimidade vai aumentando, ele vai mostrando sua verdadeira face.
A agressão verbal não se limita a apenas gritos e xingamentos extremos, nem sempre a brutalidade das palavras está tão explícita quanto imaginamos.
O abusador precisa de alguma forma se impor, é manipulador. Ele reage dessa maneira sempre que se sente ameaçado ou tem necessidade de se auto afirmar.
A vítima se sente confusa, ignora os sinais de abuso emocional. Quando chega a questionar a parceria, é acusada de ter causado aquela situação e, então, se sente culpada e chega a pedir desculpas por ter provocado o outro.
No dia a dia do relacionamento, é normal que haja discussões, alguns atritos, afinal somos diferentes uns dos outros. Quando as brigas começam a ser frequentes e o respeito se ausenta, é um forte indício de que a situação não está bem. Perceba que a tendência é o aumento gradual das agressões verbais, vai piorando até que um dia chega à agressão física.
Apesar de se configurar crime previsto na Lei Maria da Penha, a agressão psicológica caracterizada por ofensas, humilhações e abuso verbal, não são valorizadas. Quando chega a esse ponto, as feridas da alma já são profundas o suficiente para causar baixa autoestima, auto desvalorização como pessoa, vergonha, depressão, crises de ansiedade e crises de pânico.
“As cicatrizes da crueldade mental podem ser tão profundas e duradouras quanto as feridas de socos ou tapas, mas muitas vezes não são tão óbvias. De fato, mesmo entre as mulheres que sofreram violência física de um parceiro, metade ou mais relatam que o abuso emocional do homem é o que está causando maior dano a elas”. Lundy Bancroft

É doloroso quando aquele homem, com quem você gostaria de dividir seus dias, de repente se torna irreconhecível. Você se contenta em receber as migalhas que restaram daquele amor.
A realidade é que, a cada humilhação e agressão verbal sofrida, deflagrada por quem amamos, vai doendo absurdamente mais. A mente começa a ficar em alerta, sem saber quando será o próximo ataque. Você vive pisando em ovos, pensa mil vezes antes de dizer algo que possa ativar o gatilho de sua parceria.
Às vezes, em uma conversa, para tentarem se entender, a parceria não assume o que disse e te convence de que foi uma armadilha mental, que isso não aconteceu. É, parece que você está ficando doida. Pois tenho uma explicação coerente para essa atitude: O gaslighting: Manipulação.
Este termo se refere a casos em que o abusador reverte toda a situação para que a vítima assuma a culpa por ter sido agredida verbal ou fisicamente. Ela se sente confusa e acaba até mesmo pedindo desculpas ao seu abusador. Pensa ter sido a culpada por tudo o que aconteceu. Essa é mais uma característica do relacionamento abusivo.
Discussões e conversas são normais no relacionamento. O sinal de alerta vem quando o outro se exalta e o respeito não se faz mais presente. Veja alguns dos sinais de abuso emocional.
1.     Críticas à aparência.
O abusador deprecia a parceira por seu peso, cor de pele, cabelo, unhas, estilo, jeito de rir, jeito de falar. A vítima se sente envergonhada de suas características e procura se adequar ao gosto da parceria para se sentir digna de seu amor, seu carinho e ser bem tratada.
2.     Desprezo pelas realizações
As suas conquistas não chegam nem perto do que a sua parceria é capaz de realizar, e ela faz questão de deixar isso bem claro. Ou, diz que se não fosse pela ajuda que você recebeu nunca alcançaria tal conquista, você não tem mérito pelo que realiza. Diz que foi sorte ou alguma situação alheia ao seu talento.
3.     Xingamentos
Neste momento a agressão verbal já é clara, direta, com palavras que lhe ferem propositalmente. Expressões como: “Burra”, “Lerda”, “idiota”, “retardada igual fulana”, “lixo”, “fresca”, “fracassada”, “não serve pra fazer nada”, e outras humilhações piores.
            “Paus e pedras podem quebrar meus ossos, mas suas palavras... elas destruirão minha alma.” Cassandra Giovanni
4.     Os argumentos são irrelevantes
O abusador acusa sua vítima de ter causado aquela situação, mas não diz claramente o que provocou aquilo. Ele nunca tem argumentos convincentes e, quando questionado sobre isso, fica mais nervoso e se esquiva.
5.     A conversa nunca é tranquila
Sua fala é interrompida a todo instante, o abusador é agressivo com as palavras, normalmente tem o tom de voz mais alto. Ele sempre tenta se impor, não aceitando outros pontos de vista.


6.     Esgotamento Mental
Você sente um cansaço emocional enorme após interagir com essa pessoa, fica sem energia. Para baixo e chateado.
7.     Comentários depreciativos
Os comentários de uma pessoa agressiva costumam ser depreciativos, atacando a autoestima e auto confiança da pessoa agredida. Você percebe que o alvo dos ataques são os seus pontos que ele mais conhece. Ele tem a intenção clara de lhe ferir.
8.     Piadas e brincadeiras que magoam
Usa de fatos ocorridos com você para lhe constranger, para que seja piada diante dos amigos ou da família. Fala de seus defeitos para te ferir.
9.     Ameaças e Chantagens
Insinuações veladas ou intimidações violentas contra a vítima ou contra uma pessoa que ela ama. Muitas vezes o abusador usa os filhos como arma. Diz que “Não sabe o que é capaz de fazer se ela lhe deixar”, ou “Você nunca mais vai ver seus filhos”, “Você nunca vai arrumar uma pessoa que te aguente como eu te aguento”.
10.  Gaslighting
É uma prática abusiva que se refere a manipulação, negação e distorção de fatos ou informações. A vítima duvida de suas percepções quando o abusador afirma que ela “está exagerando” e é “fresca demais”, que ela está inventando coisas que “nunca aconteceram”. Ele é tão convincente que a vítima questiona sua própria sanidade mental e acaba pedindo desculpas por suas atitudes.
A vítima chega ao ponto de pedir a um terceiro de confiança que lhe diga que ela não é doida, que ele lhe lembre o que ela passou, para que ela não retroceda na decisão de seguir a vida.
Para quem está no “olho do furacão”, é extremamente difícil perceber que está vivendo um relacionamento abusivo. O abusador é mestre no uso de palavras sedutoras, sabe quando dar o amor e quando retrair-se, ele é altamente persuasivo e não é nada fácil identificar suas malícias. A vítima adoece e vai se debilitando aos poucos, perde a vontade e força para viver.
             “ As cicatrizes que você não pode ver são as mais difíceis de curar” Astrid Alauda
Gosto muito de citar uma história que envolve um filho muito irritado, que não conseguia controlar sua raiva, brigava e gritava com todos ao seu redor e seu pai tomou uma sábia decisão.
Deu ao garoto uma tábua, um martelo e muitos pregos. E disse a ele que, toda vez que ele se sentisse muito zangado e dissesse algo de ruim a outra pessoa, que ele batesse um prego na tábua. E assim ele fez. 
A tábua foi se enchendo de pregos. Ao final, o pai disse ao filho que retirasse os pregos daquela tábua, isso significaria as vezes que ele pedia desculpas por suas atitudes grosseiras. E assim o filho fez.
Ao retirar os pregos, o pai perguntou a ele: “Após retirar todos os pregos, a tábua continuou perfeita como antes? ”, a resposta foi “Não. ”

“Pois é, meu filho, assim são as palavras, depois de ditas, elas não voltam. E, por mais que peçamos desculpas pelo que falamos, as marcas ficam”.
            Isso significa que, mesmo após o fim de um relacionamento abusivo, os traumas são persistentes. É preciso buscar ajuda para passar pela fase de luto, superar a culpa e não retroceder em sua decisão. Ter paz consigo mesma.
A parceria, quando não usa de palavras agressivas, possui uma forma grosseira de reagir ao que não lhe agrada apenas pelo jeito de olhar ou de falar. O abusador não se reconhece nessa posição, ele entende que é natural agir dessa forma, está ligado à sua personalidade.
Tratamento do silêncio
Uma maneira muito comum de o abusador punir sua parceira por algo que ele não gostou, é através do tratamento do silêncio. Essa é uma das torturas mais dolorosas em um relacionamento. Conhecida como indiferença, o parceiro não conversa, não dialoga, se ausenta totalmente e trava uma verdadeira batalha psicológica com sua vítima.
Com a autoestima abalada, a vítima não sabe quando o abusador lhe terá como digna de suas atenções, carinhos e palavras novamente.
Formas de agressão
Como relatado anteriormente existem várias formas de agressão verbal:
•	Piadas depreciativas quanto ao peso, cor, estilo, jeito de ser;
•	Palavras grosseiras e danosas;
•	Olhar que condena as atitudes;
•	Tratamento de silêncio;
•	Manipulação visando confusão mental da vítima.
E como conseguir sair dessa situação?
Lidar com pessoas verbalmente agressivas, requer muita cautela e autocontrole para que essa agressão verbal não se transforme em agressão física. É preciso ter uma postura ativa, procurar ter um diálogo aberto e franco. Demonstrar o quanto a atitude daquela pessoa lhe machuca, é desagradável e prejudica a relação.
Não se deixe dominar pela raiva, pela agressão. Reagir da mesma maneira só aumentará a tensão do momento e fará com que o abusador se sinta desafiado.
Sempre indico começar com um diário. Isso fará com que sua mente grave os bons e maus momentos. Você terá uma idéia mais concreta da realidade e poderá tomar decisões mais centradas. Escreva exatamente as frases, palavras que você ouve, escreva no mesmo dia ou momento seguinte ao fato, pois depois você terá certeza de que escutou aquilo.
Se mesmo conversando abertamente com sua parceria, não for possível transformar seu relacionamento de forma a viver saudável e intensidade amorosa, procure ajuda profissional.
O Especialista da Saúde e Bem Estar do Casal está apto a lhe ouvir, prestando um atendimento profissional, sigiloso e lhe indicará o caminho mais rápido e eficaz para transformar seu relacionamento, a começar de você mesma.



E aí, gostaram na dica de hoje? Para ouvir essa e mais dicas, basta acessar e assinar nosso podcast pelas principais plataformas.

Acesse nosso site, participe do nosso Grupo Dica do Especialista no Whatsapp. Pelo nosso site especialista.site/dicadoespecialista ou pelo nosso Instagram Dicadoespecialistaoficial. Você vai poder discutir sobre um episódio, tirar dúvidas e muito mais.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do especialista.

#379 - Agressão Verbal: Uma destruição silenciosa no relacionamento

#379 - Agressão Verbal: Uma destruição silenciosa no relacionamento

Olá, aqui é a Amanda tudo bem? Sou Especialista em Sexualidade e Saúde Íntima e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas, damos dicas pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”
Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamento e cursos gratuitos?
Pra isso participe da nossa comunidade, a Comunidade ONE, acesse: comunidadeone.site ou pelo nosso Instagram dicadoespecialistaoficial

Antes de iniciar ,quero ressaltar que o transtorno do orgasmo é uma disfunção sexual que antige,homens e mulheres,todavia,nosso foco hoje será nos homens.
Muitas pessoas pensam que disfunções sexuais praticamente não afetam os homens,porém, a realidade é totalmente diferente, veremos a seguir os tipos de transtornos do orgasmo masculino.

Anorgasmia
Iremos começar falando sobre a anorgasmia,que nada mais é, a dificuldade ou impossibilidade de chegar ao orgasmo,ou seja,o homem passa pela fase de desejo,excitação sexual,prazer durante as relações sexuais, mais tem um atraso ou simplesmente não chega ao ápice do prazer,que no caso é o orgasmo.

Ejaculação Retardada 
 A Ejaculação retardada,ocorre quando o homem demora para ejacular,porém o mesmo sente desejo sexual e tem ereção,mais demora para EJACULAR.

Anejaculação
A anejaculação,é a ausência ou dificuldade em ejacular durante o ato sexual,nessa disfunção estão presentes o prazer e a ereção.

Ejaculação Retrógrada
Pouco conhecida,essa disfunção é a redução ou ausência de esperma,os homens com essa disfunção conseguem ter ereção, chegar e sentir o orgasmo,porém, eles tem pouco ou não tem esperma para expelir,pois o mesmo em vez de sair pela uretra ,vai para a bexiga,e depois é expelido pela urina.

Ejaculação Precoce
Muito conhecida,a ejaculação precoce é bastante comum,afeta mais ou menos 30% da população brasileira, e consiste na dificuldade em CONTROLAR o momento da ejaculação.

Ejaculação Rápida
Bem familiar e parecida com a anterior, a ejaculação Rápida, é quando o homem tem um orgasmo mais cedo e NÃO satisfaz a sua parceira ou parceiro.

Conclusão:

Nós hoje conhecemos os tipos de transtornos do orgasmo masculino, claro que tem muitas outras questões que precisam ser faladas,porém se eu fosse falar tudo mesmo,ficaria muito cansativo para você que está ouvindo,lembrando que se você notar qualquer alteração na sua ejaculação,você deve procurar um especialista ou um urologista dependendo do seu caso.

E aí gostaram da dica de hoje?
Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.
       
 Eu vou sortear 1 Livro de Romance HOT por semana. Pra participar do sorteio é bem simples basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos, como cursos, conselhos, livros, podcasts exclusivos e muito mais. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.
Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#378 - 06 Tipos de Transtorno do Orgasmo Masculino

#378 - 06 Tipos de Transtorno do Orgasmo Masculino

Olá, aqui é Rose tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”

Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamento e cursos gratuitos?
 
Pra isso participe da nossa comunidade, a Comunidade ONE, acesse: comunidadeone.site ou pelo nosso Instagram dicadoespecialistaoficial

Na dica de hoje vamos falar sobre: “Como se livrar da dependência emocional”

A Associação de Saúde Mental da América define a dependência emocional como “uma condição emocional e comportamental que afeta a capacidade de um indivíduo de ter um relacionamento mutualmente saudável e satisfatório”.
Portanto, a dependência emocional é o apego excessivo a outra pessoa, que pode ser o seu cônjuge, parente ou amigo. A pessoa acredita que sua formação depende da opinião e reconhecimento de terceiros. Quando não tratada pode evoluir para sintomas graves, como: depressão, transtornos alimentares, transtornos de ansiedade, insônia e até auto destruição. Ela interfere diretamente na vida conjugal, e nos relacionamentos em geral, e pode levar o relacionamento ladeira abaixo.

É importante entender que amor não é dependência emocional. Existe uma grande diferença, e eu quero te ajudar a entender isso. Muitas pessoas tendem a deturpar essa visão e vendem a ideia de que dependência é amor. Por isso, é bem comum confundirem esses sentimentos.

O amor se concentra na outra pessoa, nas suas qualidades e em tudo aquilo que a torna “perfeita” pra você. Ao contrário do amor a dependência emocional é um sentimento vazio que precisa ser preenchido por alguém e faz com que a pessoa que sofre disso se sinta totalmente carente da presença, opiniões, direções, decisões e atenção da outra pessoa. Ela não consegue desenvolver a sua individualidade de forma saudável e como consequência tem a autoestima afetada. Ela se sente incompleta e necessita da outra pessoa para se sentir viva.  Além do próprio sofrimento, ela coloca um fardo na vida da outra pessoa por expectativas criadas e que nem sempre serão correspondidas, gerando uma pressão na vida da outra pessoa e consequentemente desenvolvendo um relacionamento tóxico.  O dependente quer ser o centro do mundo do outro. E quase sempre ele vai recorrer a manipulações e chantagens emocionais. Essa pressão e desgaste pode deixar a relação instável e totalmente comprometida. A pessoa dependente tenta isolar seu companheiro, amigo ou familiar para que a atenção seja só para si. O dependente é totalmente sem noção e nem sempre está consciente do seu comportamento. Ele alimenta a ideia de um relacionamento perfeito. O fato é que esse tipo de relacionamento não é saudável para ambas as partes.

A causa da dependência emocional envolve vários fatores, o que torna complexo esse incômodo emocional sem a ajuda de um profissional.

Eu vou detalhar 3 tipos principais de dependência emocional:

- Dependência emocional dos pais (ou materna): é o estado de dependência acima da média do filho em relação a sua mãe ou pai. Geralmente o mais comum é a dependência da mãe. O filho se sente subordinado a mãe e não consegue se desenvolver emocionalmente de forma madura e independente.  Mais tarde, ao se envolver com uma pessoa essa condição poderá fatalmente arruinar seu relacionamento.

- Dependência emocional no relacionamento (a dois ou amizade): a parte dependente tem tanto medo de perder o parceiro ou parceira que pode desenvolver um comportamento tão prejudicial a ponto de ser submissa ao extremo ou desenvolver um ciúme excessivo. Você é, ou conhece alguém assim?

- Dependência emocional do ambiente social: nesse caso há uma necessidade excessiva de ser reconhecido e aprovado em qualquer ambiente. Caso isso não aconteça a pessoa entra em pânico. Ela quer aprovação e não suporta a ideia de se tornar servil ou invisível. Você já se percebeu assim em algum ambiente e isso aconteceu várias vezes? 

Se você identificar esses sinais nos seus relacionamentos, fique alerta! Você pode ter dependência emocional. São eles:

- Cuidado excessivo com o parceiro ou parceira.
- Foco da felicidade se concentra apenas em uma pessoa.
- Autoestima está comprometida.
- O que o seu companheiro ou companheira pensa de você é o que mais importa.
- Suas emoções são reprimidas.
- Não defende a própria opinião.
- Tem excesso de ciúmes.
- Para se sentir bem é necessário a presença do outro.
- Não toma decisões sozinho ou sozinha, sem a interferência dos pais.
- Quer aprovação o tempo todo nos ambientes que frequenta.

A dependência emocional traz diversas consequências desagradáveis nos relacionamentos. Algumas delas são:

- Insegurança;
- Insatisfação;
- Ciúme excessivo;
- Brigas e discussões;
- Falta de diálogo;
- Falta de sexo;
- Comunicação violenta;
- Infidelidade;
- Agressões;
- Divórcio; entre outras.

Agora, eu vou te dar as dicas de como se livrar da dependência emocional de outras pessoas ou do ambiente social. Preste muita atenção! 

- Reconheça os sinais da dependência;  
- Valorize ou recupere o seu espaço individual;
- Valorize as outras pessoas sem as idolatrar; 
- Tenha autonomia para tomar as suas decisões;
- Liste coisas que te prejudicavam e que você só fez para agradar a outra pessoa (isso vai te ajudar no autoconhecimento);
- Trabalhe a sua autoestima;
- Aprenda a estar só;
- Seja capaz de dizer "não";
- Não viva do passado;
- Não tenha medo das incertezas;
- Questione a você mesmo(a);
- Assuma a responsabilidade das suas emoções.

Para superar a dependência emocional você precisa aprender a viver bem com você mesmo(a). Saiba que isso é possível!

Você ainda pode estar se perguntando: Depois de ter todas essas atitudes ficarei livre  da dependência emocional?

O que existe é um trabalho em conjunto com o dependente para encontrar o caminho que está dentro do próprio dependente de saber lidar com as adversidades da vida e com o relacionamento com os outros.

O tratamento mais comum é a psicoterapia. É muito importante procurar um profissional especializado para amenizar o sofrimento, buscar soluções e até mesmo economizar tempo e dinheiro.

A dependência emocional é patológica. Ao identificar os sinais procure ajuda de um Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal.

Você também terá acesso a mais conteúdos como esse no meu perfil do Instagram @especialistarosefranca

E aí gostaram da dica de hoje? 

Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.

Eu vou sortear 1 Livro de Romance HOT por semana. Pra participar do sorteio é bem simples basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos, como cursos, conselhos, livros, podcasts exclusivos e muito mais. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#377 - Como se livrar da dependência emocional

#377 - Como se livrar da dependência emocional

Olá, aqui é Vanessa Tassoni, tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.”	
Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas, livros, aconselhamento e cursos gratuitos?
 
Pra isso participe da nossa comunidade, a Comunidade ONE, acesse: comunidadeone.site ou pelo nosso Instagram dicadoespecialistaoficial

Na dica de hoje vamos falar sobre A Rotina e o sentimento de solidão dentro do relacionamento.


Quando falamos em solidão, pensamos em pessoas que estão solteiras. Porém, pessoas que estão em um relacionamento também podem se sentir solitárias e isso é muito mais comum do que se imagina.
Muitas vezes, temos um (a) parceiro (a) que é uma excelente pessoa, é trabalhadora, uma pessoa do bem, e mesmo assim ainda sentimos aquele vazio, parece que falta algo dentro de nós.
Por diversas vezes, pensamos: 
- O que será que está acontecendo comigo? Por que tenho tudo que uma pessoa deseja e mesmo assim me sinto sozinha? Sinto um vazio enorme dentro de mim!
A resposta está bem na nossa frente, algo chamado rotina.
Isso ocorre por conta de uma série de fatores e um dos mais comuns é que o casal entra em uma zona de conforto e acaba se distanciando um do outro.
Quando o casal entra em uma rotina, onde sempre fazem as mesmas coisas e nunca mudam a dinâmica do relacionamento, correm o risco de esfriar o convívio e acabam se sentindo sozinhos, mesmo permanecendo juntos. 
O problema pode afetar casais que não investem no aprendizado, na troca e no desenvolvimento da relação conjugal.
No início do relacionamento, na maioria das vezes, sentimos felicidade em nos arrumar para o parceiro (a), ficamos motivados em fazer algo diferente, em ir em restaurante, em passear, viajar, somos muito motivados a fazer pequenas surpresas: como enviar um simples buque de flores, ou um presentinho, ou até mesmo uma mensagem durante o dia.
Buscamos sempre fazer algo diferente, até o diálogo é diferente, todos os dias perguntamos como foi o dia da pessoa, como ela está, etc.
Com o passar do tempo, isso tudo vai esfriando, vamos deixando de lado algumas coisas, que na realidade nunca poderiam ser deixadas de lado, que são essas pequenas atitudes, que fortalece a relação, e a partir desse momento a solidão chega.
A solidão não precisa estar relacionada diretamente com o estado civil. Trata-se de um sentimento muito comum que pode estar relacionado a projeções ou vazios emocionais internos. É preciso investir em autoconhecimento e procurar os gatilhos que geram a solidão.
Vamos falar agora de alguns fatores que podem desencadear a solidão dentro do relacionamento. São eles:
Dificuldade de diálogo entre o casal
Problemas financeiros
Ciúmes
Insegurança
Sexualidade
Falta de Intimidade
Dependência Emocional
Rotina
Falta de atenção e cuidado
Nascimento de filho.
 
Mas hoje iremos falar exclusivamente da rotina.
Com o passar do tempo, deixamos a rotina tomar conta do nosso relacionamento, muitas vezes chegamos cansado, estressado, exausto de um dia intenso de trabalho. Chegamos em casa mal olhamos para o rosto do nosso parceiro e só conseguimos pensar:
 - Quero tomar um banho e ir descansar.
 Infelizmente esquecemos que o amor ele tem que ser cuidado, regado, construído, senão infelizmente ele acaba. Devido a correria do dia não temos mais tempo para as pequenas surpresas, para os pequenos gestos, priorizamos tantas outras coisas, que esquecemos do mais importante, o cuidar do outro. E nesse processo vamos nos distanciando e quando percebemos já caímos na rotina; e o que nos restou foi uma solidão dentro de um relacionamento.
Mas como podemos fazer para sair da rotina?
Primeiro temos que entender que o cuidado dentro de um relacionamento é de extrema importância, quando falamos em cuidado, falamos de:
Pequenos gestos, de um bom dia, como foi seu dia, no decorrer do dia mandar uma mensagem.
Ter tempo, tempo para passear, jantar, fazer coisas que agrada o casal.
Ter comunicação. É muito importante o casal se comunicar, quando falamos em comunicação estamos falando do casal conversar sobre tudo, seus medos, inseguranças, desejos, vontades, etc.
Ter intimidade. Intimidade não quer dizer apenas a parte sexual, a intimidade é dividida em 07 partes: física, emocional, intelectual, financeira, espiritual, digital e sexual.
 
Esses são alguns dos cuidados que temos que ter para não cair na rotina. Lembrando que existem outros cuidados.
Temos que priorizar o relacionamento, precisamos compreender que se não cuidarmos ele morrerá. 
Infelizmente muitas vezes priorizamos mil coisas, acreditamos que porque estamos estáveis em uma relação, nada de ruim acontecerá. Até o momento que nos deparamos com a solidão. Aí compreendemos o quão ruim essa relação está sendo. 
Muitas vezes sentimos culpas por estarmos com esse sentimento, não conseguimos compreender e tão pouco mudar.
Muitas vezes não encontramos a solução e acreditamos que a melhor coisa a se fazer é a separação. Precisamos entender que na maioria das vezes a separação não é a solução, pois senão soubermos cuidar, esse ciclo permanecerá em outros relacionamentos.
A solução está em buscar ajuda e aprender a ter um relacionamento feliz e saudável. Você deve estar se perguntando:
-Mas como?
- Buscando ajuda com o Especialista da Saúde e Bem-estar do casal, onde o mesmo irá fazer com que você tenha um relacionamento feliz, através da educação do relacionamento. 
Procure não prolongar ou empurrar o problema com a barriga. Enfrentar e tomar as medidas necessárias é fundamental para não agravar o problema. 
Se você se identificou em algum momento e também não sabe como resolver, se você quer melhorar seu relacionamento. Estou à sua disposição, e juntas podemos transformar o seu relacionamento. 

E aí gostaram da dica de hoje? 
Se este Podcast faz sentido para alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, muitas vezes era isso que faltava para sua amiga ou amigo ter aquela mudança.

Eu vou sortear 1 Livro de Romance HOT por semana. Pra participar do sorteio é bem simples basta participar da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos, como cursos, conselhos, livros, podcasts exclusivos e muito mais. Acesse comunidadeone.site e se inscreva.
Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#376 - A Rotina e o sentimento de solidão dentro do relacionamento

#376 - A Rotina e o sentimento de solidão dentro do relacionamento

Na dica de hoje vamos falar sobre relacionamento polo norte ou relacionamento frio, e se você ainda não passou por isso na sua relação sinto muito  falar mais ela vai chegar e eu vou já te falar o porquê.
Eu vou te mostrar duas situações distintas mas que nas duas o relacionamento vai se encontrar frio, onde quase não se tem ou não tem prazer na cama e prazer fora da cama também.

Quando você chegar ao final desse podcast vai conseguir entender melhor cada uma dessas situações e identificar se você já passou ou está passando por uma delas. São essas, Relacionamento na rotina e relacionamento acomodado nesses casos o relacionamento pode ficar estremecido podendo até chegar ao fim, ou não, como é no caso do relacionamento acomodado. então vamos lá que você vai entender melhor sobre esse assunto. 

É importante entender o porquê o relacionamento muda com o passar do tempo e que isso vai acontecer em todo relacionamento e é algo totalmente normal.

 Então isso acontece por conta de um fenômeno bioquímico, e isso é tudo bem explicado, isso tudo passa a fazer sentido quando a gente entende isso, porquê? Porque nos primeiros anos a gente tá muito apaixonado, mas acontece que essa paixão não é duradoura, ela tem prazo de validade. Nesse período o nosso corpo produz algumas substâncias por um determinado tempo (o que ocorre em média de 1 a 2 anos) que faz com que ficamos extasiados com a outra pessoa querendo muito e sempre está com o outro e toda aquela coisa gostosa que acontece no início da relação. Vamos combinar que faz total sentido pois quando estamos apaixonados tudo fica bem mais gostoso e prazeroso, sentimos falta dessas sensações e sentimentos quando o relacionamento entra na rotina fria.

Sabendo disso, não precisa mais ficar frustrada pensando que o amor acabou, lembre que a rotina chega porquê os níveis de hormônios que alimentam a paixão cai e aí entra a monotonia. E muitas pessoas se queixam por achar que o relacionamento está frio, que o amor está acabando, mas calma, podemos reverter essa situação. A partir do momento que você descobre o porquê isso acontece é totalmente possível reverter esse quadro, desde que o casal esteja disposto, e claro, se comprometa.

Outra coisa bem interessante acontece com o passar de um tempo e é totalmente natural, é que nós nos acostumamos com cheiros, sabores e isso também acontece com os estímulos e com todos os nossos sentidos. Na academia por exemplo no primeiro dia de exercícios o corpo dói do dedo do pé ao fio de cabelo, mas com o passar dos dias o seu corpo passa a não sentir mais nada, tudo porque nosso corpo consegue se acostumar as situações, por mais ruins ou até mesmo boas que sejam e com o passar do tempo essas coisas podem se tornar algo natural, ou seja…

Quando o relacionamento está sem graça, sem prazer e monótono, logo o casal chega à conclusão que o relacionamento caiu na rotina, mas isso não é verdade, a rotina não é a vilã da relação a culpa não é dela se o relacionamento ficou monótono e sem prazer, e pega essa sacada agora, isso porque existe a rotina ruim e a rotina boa.

Na rotina ruim tudo é feito de forma mecânica é como se o casal sempre seguisse um roteiro pronto para tudo aquilo que vai fazer, por exemplo na cama sempre previsível sem nada de novo ou surpreendente, se o casal sai para comer juntos é sempre no mesmo lugar e sempre pedem o mesmo prato. No relacionamento quase não existe ou não existe interação entre o casal, o prazer pela companhia e na cama não existe, ou seja é tudo sem graça, sem emoção e previsível.

Algumas coisas fazem com que o relacionamento caia nessa rotina ruim, dentre elas estão a falta de desejo, baixa autoestima, ciúmes em excesso, ações repetitivas, falta de criatividade, falta de intimidade e falta de atenção na relação. 
A rotina ruim trás frustração para o casal, esfria o relacionamento e com isso o casal vai se distanciando.

Agora eu vou te mostrar como identificar se você tem uma rotina boa na sua relação. O casal tem uma rotina boa quando tem momentos de qualidade, prazer e diversão, quando o casal valoriza esses momentos juntos que fortalece o amor, o companheirismo e a intimidade. Um ótimo exemplo de uma rotina boa é o casal que tira um dia da semana só para o casal e nesse tempo eles se divertem fazem alguma atividade diferente que vai criar uma nova experiência, pode ser comendo algo feito pelos dois, assistindo um filme com uma pegada que não tem o hábito de ver ou fazendo sexo em um local novo e é sempre bom enfatizar que a rotina boa e prazerosa não está ligada só ao que o casal faz no sexo.
Agora que você já viu sobre a rotina no relacionamento agora veja o que acontece no relacionamento acomodado. Nesse caso o casal está totalmente insatisfeito porém permanecem juntos mesmo com brigas, lamentações, e assim vão levando do jeito que está sem o mínimo esforço de nenhuma parte, existe um hábito de não olhar, não notar a outra pessoa. Alguns sinais fortes de que o relacionamento está acomodado é a pessoa achar que tanto faz para tudo, tanto faz se tem sexo, tanto faz se ele sai e volta no outro dia. 

Outro sinal são as brigas que acontecem, mas tudo acaba como se nada tivesse acontecido e a briga não levou a solução alguma do problema em questão, às vezes o casal nem lembra o porquê da briga. pode até ser que queiram se separar mas sempre vai existir um empecilho. 

É muito importante saber se ainda existe amor nessa relação, digamos que a mulher responde que só está com o seu parceiro porque ele é um bom pai, esse é um forte indicador de que não existe amor e que está mulher só está habituada com a outra pessoa. Outro indicador forte é a pessoa preferir estar com outras pessoas e seja para fins sexuais ou não, por exemplo o homem que não dispensa uma saída com os amigos e isso é colocado à frente da relação.

Mas agora que vimos isso tudo, será que é possível mudar isso? E a resposta é sim, desde de que o casal queira e se comprometa pois é um processo que requer dedicação e esforços, mas claro que agora eu vou te mostrar o que é importante coisas que o casal pode fazer e que vai ajudar principalmente se o relacionamento está na rotina.

A primeira coisa é criar novas atividades para o casal, sugira novas atividades e pergunte o que o outro gostaria de fazer também. Em segundo lugar, o casal precisa colocar o relacionamento como prioridade, se ficar combinado de saírem juntos não deixe que fique para depois ou substitua essa atividade, quando estiverem juntos é importante manter o foco no momento, esqueçam as preocupações e não deixem os pensamentos aleatórios roubem o momento.

Em terceiro lugar dê sempre o seu melhor e faça a outra pessoa se sentir especial, demonstre o quanto ele é importante.

Em quarto lugar demonstre atitudes exclusivas a outra pessoa, eu sei que você não distribui beijo na boca de outras pessoas só do seu parceiro, inclua outras atitudes e momentos que é único do casal.

E em último lugar surpreenda e coloque pequenas atitudes como um recado por escrito no bolso da calça de uniforme para ele lê no trabalho ou pode ser algo mais elaborado com decoração e comida especial. Surpresas devem ser feitas sempre e de diversas formas.

A questão é que se o relacionamento está acomodado ou na rotina ruim é possível transformar isso desde que haja esforço e comprometimento, afinal mudar algo que pode está te deixando frustrada por anos não pode ser mudado em um estalar de dedos demanda esforço é importante também ajuda de um profissional que possa te guiar nesse processo, estamos aqui para isso.
E aí gostaram da dica de hoje? 

Se este Podcast faz sentido pra alguém que você conheça, clique agora em compartilhar e envie este podcast. Pode ter certeza, que isso é o que falta para alguém mudar algo que pode está trazendo frustração para a vida dela.

Me siga no @natyfeizza que lá você vai encontrar muito mais. E

Por aqui tem sempre Por aqui tem sempre sorteio tem sempre alguma coisa muito especial por exemplo sorteio de Livro de Romance HOT. E para participar e não perder nada participe da nossa comunidade, a Comunidade ONE, é de graça e nela você vai ter acesso a centenas de conteúdos gratuitos, como cursos, conselhos, livros, podcasts exclusivos e muito mais. Acesse comunidadeone.site aproveita  e se inscreva, afinal conhecimento nunca é demais.

Amores eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#375 - Relacionamento Polo Norte

#375 - Relacionamento Polo Norte

Olá, aqui é Andréia tudo bem? Sou Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias pra você conquistar o relacionamento que você sempre quis.

Que tal receber dicas todos os dias, ter acesso a consultas gratuitas ou sugerir o próximo tema?

Pra isso acesse nosso site comunidadeone.site ou pelo nosso Instagram dicadoespecialistaoficial

Na dica de hoje vamos falar sobre os seis sinais que você está apaixonada(o).

Primero sinal: EXCITAÇÃO, você pensa mais em sexo do que de costume, porque a testosterona está a mil.

Segundo sinal: FELICIDADE, você nunca esteve tão feliz. Afinal seu cérebro é pura dopamina.

Terceiro sinal: COMPULSÃO, você fica obsessiva em relação à pessoa amada, porque a serotonina despenca.

Quarto sinal: TAQUICARDIA, você sente o coração bater mais rápido, já que o corpo está cheio de adrenalina.

Quinto sinal: INSÔNIA, você não dorme nem come direito e nem liga para isso. Culpa da adrenalina também.

Sexto sinal: FOFURA, você começa a ver filmes Franceses.

E aí gostaram da dica de hoje? Pra você ouvir mais dicas como está, basta acessar e assinar nosso Podcast pelas Principais plataformas. 

Vou liberar um Livro Exclusivo Gratuito pra você, basta acessar nosso Instagram. Acesse agora e baixe GRATUITAMENTE, dicadoespecialistaoficial

Acesse nosso site Participe do nosso Grupo Dica do Especialista no WhatsApp. Pelo nosso site comunidadeone.sire ou pelo nosso Instagram dicadoespecialistaoficial Você vai poder discutir sobre um episódio, tirar dúvidas e muito mais.

Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#374 - 06 Sinais que você está Apaixonada(o)

#374 - 06 Sinais que você está Apaixonada(o) 😱😱

Olá, aqui é Acassia Nascimento. Tudo bem? Sou Especialista em Sexualidade e Saúde Íntima e
está é a Dica do Especialista.
Na dica de hoje vamos falar sobre 6 Benefícios do BDSM pra vida
1 • Comunicação
A prática do BDSM melhora a comunicação, uma pesquisa feita pela Medical Daily com várias
pessoas dentre a maioria sendo casais que passaram por diversos tipos de terapias e os
profissionais indicaram a introdução não só do BDSM como de práticas fetichista. Pois trás
uma melhora na comunicação
2 • Intimidade
Intimidade é a comunicação emocional, franca e auto reveladora. No ato de contar para o
outro a pessoa ouve sobre si mesmo
3 • Fidelidade
Fidelidade é ser fiel a um acordo, acordo esse que deve ser claro, conversado e resolvido.
Ainda seguindo a essa pesquisa do Medical Daily, as pessoas que conversam mais tendem a ter
uma menor possibilidade de trair, mesmo que estejamos falando de um relacionamento
aberto, monogâmico ou até poligâmico.
4 • Saúde Mental
Ao contrário do que muitos ainda pensam, o BDSM não tem nada haver com nenhum tipo de
doença mental. As centenas de pessoas que passaram por essa pesquisa tiveram indicadores
altos de boa saúde mental.
5 • Estresse
Reduz o estresse, pois aumenta o nível de confiança, a tensão no outro e em si mesmo, sendo
assim é evidente que o estresse será diminuído. Você passa a se sentir mais seguro dentro do
relacionamento, pois tudo vai estar sendo posto às claras.
6 • Ansiedade
Reduz a ansiedade, não só pelo aumento na confiança e tensão, mas também porque aumenta
o fluxo cerebral, diminui a dor de cabeça e elevam os níveis de dopamina enquanto diminui os
níveis de cortisol.
Bom, eu fico por aqui e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#373 - 6 Benefícios do BDSM pra vida

#373 - 6 Benefícios do BDSM pra vida

Homem tem medo de mulher segura?

Na dica de hoje você vai descobrir se realmente o Homem tem medo de mulher segura”

Primeiro de tudo, a pergunta que você deve responder a você mesma é: 
Que tipo de mulher você é?
Que tipo de homem você tá buscando pra se relacionar:
Um homem de valor?
Alguém pra preencher seu vazio emocional?
Ou alguém pra ser um companheiro na sua vida?

Homens valorosos não se assustam com a segurança de uma mulher, eles até preferem essa mulher.

A mulher que busca sua autonomia, busca inteligência emocional, financeira, autoconhecimento, auto estima, desenvolvimento pessoal.
O que assusta o homem, e faz ele fugir é quando a mulher age sem inteligência emocional, de forma desequilibrada.
A mulher que age com grosseria, aquela mulher instável, possessiva, crítica, reclamona e mimada, que acha que tem razão o tempo todo, e força a barra, exigindo condições estranhas para manter o relacionamento que acaba causando mais prejuízo do que bem-estar para os dois.

Ninguém gosta de se sentir sufocado.
Homens gostam de ter seu espaço individual, e não é só os homens, eu sou mulher e amo ter meu espaço.
 
É insuportável quando alguém quer controlar cada minuto da nossa vida, que não consegue entender que existe o momento do casal e o momento individual.  

Pode ter certeza que um homem valoroso vai preferir uma mulher, feminina, generosa, aquela mulher que busca sua autonomia, que busca inteligência emocional, financeira, autoconhecimento, auto estima, desenvolvimento pessoal. 
Ou seja, a mulher que cuida da sua própria vida.
Foque em você, foque em se tornar a mulher dos seus sonhos, foque em se tornar uma mulher majestosa e as coisas vão acontecer. 
Os semelhantes se atraem.
Essa história de que os opostos se atraem é conversa fiada

Quer saber mais sobre como se tornar uma mulher majestosa?
me chama no meu instagram especialista.taniamel

um xero da Tânia Mel pra você.
tchau.

#372 - Homem tem medo de mulher segura

372 - Homem tem medo de mulher segura

Olá meus amores , tudo bem com vocês?

Estamos aqui mais uma vez na dica do especialista.

E na dica de hoje vamos falar sobre o fim do relacionamento.

Como anda seu relacionamento?

Será que realmente seu relacionamento chegou ao fim ou será que ainda pode resgatar?

Não estou falando aqui de amor, estou falando de relacionamento, às vezes você ama o
seu parceiro, mas o relacionamento acabou, você não sente mais vontade de estar com o
outro, de fazer parte da vida do outro , do cotidiano , das conquistar.

Às vezes é difícil enxergar o fim do relacionamento então na dica de hoje vou te mostrar 5
sinais que o relacionamento acabou.

01-Pouca sintonia :
Com o passar do tempo e da convivência,percebemos que já não caminhamos lado a lado,
falta sintonia com o parceiro e a sensação é de caminhar em direção oposta. Esse é o
primeiro sinal que o relacionamento acabou, não o amor , às vezes continua amando mas o
relacionamento acaba.
Às vezes você quer fazer uma coisa e o parceiro ou parceira quer fazer outra, não combina
mais, não conseguem chegar a um acordo.

02-Falta de planos em comum:
Já faz tudo individual .
Ter objetivos e metas em comum é um ponto forte para união do casal. Quando os pontos
não se encaixam mas e cada um começa a pensar de forma individual, vale a pena rever a
relação. Ou seja, o parceiro ou a parceira toma decisões sem consultar, sem comentar com
o outro, quando percebe a decisão já foi tomada e seu parceiro nem sabia.

03- Dificuldades de diálogo:
Quando a relação chegou ao final, não existe mais a vontade de tentar e nem o interesse
de querer escutar o outro.As vezes um dos parceiros tentar comentar algo ou contar alguma
coisa que aconteceu durante o dia no trabalho, na rua e o outro simplesmente não liga ,
não dá atenção, não faz questão nenhuma de escutar o que o parceiro ou parceira quer
falar.
Às vezes passa o dia com a pessoa mas não tem diálogo.

04- Visão negativa do parceiro:
Quando uma relação acaba, fica difícil enxergar coisas positivas na outra pessoa ou
elogiá-las. Por isso, temos a tendência de criticar e nos irritamos com tudo que o outro
faz.Às vezes do nada um ou outro se irrita com besteira que um dos dois fez.Vê defeito em
tudo, critica tudo , se irrita com tudo até mesmo se alguém nos perguntar pelo parceiro ou
parceira. Nunca elogia só crítica e crítica, este é o sinal que mais pesa , afeta muito o
orgulho, o querer ficar com a pessoa .

05-Falta de admiração e de reconhecimento:
Esses são os pontos mais importantes que indicam o fim.

Queremos nos admirar e sermos admirados é essa reciprocidade que alimenta os relacionamentos.Tudo que a pessoa faz de bom já não serve pra você.Quando o relacionamento chega nesse ponto chegou ao fim.
Precisamos ser elogiados pelo parceiro ou parceira, precisamos da admiração um do outro,
sem essa conexão o relacionamento já está no fim.

Esses são os pontos mais importantes que indicam o fim: Pouca sintonia , falta de planos em comum, dificuldade de diálogo, visão negativa do parceiro e por último falta de
admiração e reconhecimento estes são os pontos principais que indicam que o
relacionamento chegou ao fim.Se você conseguir visualizar esses cinco sinais no seu relacionamento indica que realmente já tá muito complicado e aí já está no fim mesmo .
Depois dessas dicas com certeza clareou um pouco sua mente né? Agora você já vai
conseguir decidir o que fazer, se continua e tenta resgatar o relacionamento ou se o melhor
é separar.

E se você gostou dessa dica compartilhe com seus amigos, parentes, conhecidos,
simplesmente compartilhem tenho certeza que você conhece alguém que precisa ouvir esta
dica. E se mesmo depois dessa dica você ainda tem dúvidas procure um Especialista da
saúde e bem-estar do casal que tenho certeza que ele te ajudará , e se você não conhece
nenhum especialista pesquise na internet , se encontrou na sua vida entre em contato e
faça sua consulta online, mas não deixe de procurar o especialista .

Bom, nossa dica do Especialista fica por aqui espero que tenham gostado, até a próxima .

#371 - 05 Sinais que o seu Relacionamento Acabou 😱😱

#371 - 05 Sinais que o seu Relacionamento Acabou 😱😱

Olá pessoal, tudo bem com vocês ?

Eu sou Marlene Miranda Especialista da saúde e bem-estar do casal. Esta é a dica do Especialista.

E nossa dica de hoje é sobre um assunto que para algumas mulheres é muito
constrangedor, mas pode acontecer com qualquer uma.

É sobre Pum Vaginal ou Flato Vaginal e aí já aconteceu com você? Você já ouviu falar sobre Pum Vaginal ou Flato Vaginal ?

De repente, você está com o seu parceiro e quando tá terminado o ato sexual ou de repente você quer mudar de posição e com a movimentação do seu parceiro tira o pênis pra mudar a posição e aí pummmm! faz aquele barulhinho super incômodo e desconcertante que é horrível aí, que vergonha né mesmo, você perde o chão né mesmo ? Mas não se preocupem tanto.

São comuns os depoimentos de mulheres preocupadas com episódios em que o “pum
vaginal” aparece no meio da relação sexual. Apesar de algumas Mulheres se sentirem
constrangidas, os episódios são bem comuns e não há com o que se preocupar.
Comigo já aconteceu, poucas vezes mas, aconteceu.

E na dica de hoje vou falar pra vocês o que é, porque ocorre e como mudar isso , o PUM VAGINAL ou FLATO VAGINAL.

É uma situação comum, chamada queefing ou flato vaginal, em português. Essa condição ainda é considerada tabu e costuma causar constrangimento durante a hora H. Veja a seguir as causas e como lidar com isso, conforme orientação de especialistas.

Como acontece durante a penetração — com pênis ou sex toys — qualquer mulher está sujeita ao queefing.

Acontece porque o ar entra na vagina e, às vezes, pode ser expelido de uma única vez
repentinamente. Isso não significa que a região está larga ou relaxada. Apesar do barulho de “pum”, o flato vaginal não tem odor ou secreção, mas se apresentar uma dessas condições é preciso procurar um ginecologista.

“Quando faz sexo com penetração, um pouco de ar pode ficar preso na sua vagina e
simplesmente ficar lá. Mas no dia seguinte, quando você está levantando algo pesado, ele pode ser empurrado para fora conforme flexiona a barriga e a pressão é aplicada em sua vagina. Da mesma forma, se você estiver fazendo exercícios em que esticar um pouco a abertura vaginal, pequenas quantidades de ar podem ser empurradas para dentro, logo, quando estiver fazendo agachamentos, mais tarde, ele é empurrado para fora”, explica a ginecologista Sarah Yamaguchi.

Não se preocupe.
Queefing não tem consequências para a saúde e é uma condição comum, portanto, se não apresentar anormalidades (odor e secreção), não há motivos para se preocupar.

Seu parceiro(a) também não tem o direito de te criticar ou te desprezar por essa situação.

“Se ele(a) te faz se sentir constrangida com isso, precisar lembrar que isso é parcialmente o que ele(a) está fazendo também”, reforça a especialista

Como evitar?

Não há como evitar. Mas é possível tentar amenizar com a prática de exercícios para
fortalecer os músculos da região pélvica, o que pode diminuir a incidência de do pum
vaginal.

Algumas posições podem favorecer a entrada de ar na vagina e, consequentemente, o flato vaginal. “Em posições com as pernas das mulheres abertas, isso acontece mas. 

Além disso, se o que está te penetrando — pênis ou vibrador — for totalmente removido da vagina e empurrado para dentro, vai trazer mais ar para a região”, esclarece Yamaguchi.

Mude a posição.

Peça ao seu parceiro para que não faça movimentos rápidos ou bruscos durante a relação.

Como lidar?

Como dito anteriormente, é uma situação comum, por isso, não precisa ter vergonha ou se privar por medo. Curta seu momento e não fique pensando nisso.

“Apenas ria e vá aproveitar o momento. Não tente lutar contra isso. Se isso te incomoda muito, você deve apenas experimentar diferentes posições”, indica a ginecologista.

Existem posições sexuais que facilitam a saída de ar.

Ele pode ser mais comum em posições de penetração profunda. Isso porque a abertura do canal vaginal aumenta, facilitando a entrada do ar. A posição “de quatro”, por exemplo, pode levar a mais flatos vaginais.

Excesso de lubrificante também pode ser o responsável.

O ar pode ficar preso no gel do lubrificante e terá de ser liberado em algum momento,
geralmente após sexo. Ou seja, o mais provável é que o barulho aconteça logo que a
relação termine ou no momento de fazer xixi.
Não tem nenhuma relação com a saúde da mulher.

Como esta questão é algo completamente natural, é necessário que você comente com o seu par o porquê deste evento está acontecendo durante a transa. Isto vai fazer você se sentir mais confortável e melhorar a sua autoestima. Com isto, você aproveitará mais o momento sexual sem constrangimento.

Soltar o “pum vaginal” não significa que a mulher não está saudável. A liberação de ar
precisa ser vista sem tabus e não pode causar danos à autoestima. Muitas vezes, os
parceiros também não compreendem a origem do som, por isso vale um diálogo sobre, para que ambos possam normalizá-lo.

E aí pessoal vocês gostaram deste episódio?

É muito interessante né verdade ?

Se você gostou não esqueça de compartilhar com alguém que está passando por isso, ou alguém como eu que não sabia disso vai adorar saber, conhecimento é muito importante e devemos compartilhar.

E se você tem algum problema no relacionamento ou na sexualidade procure um
Especialista da saúde e bem estar do casal que com certeza ele irá te ajudar. Se você não conhece alguém, pesquise, se não for de sua cidade você pode fazer uma consulta online, hoje em dia as consultas online são muito comuns e evita você ficar sem fazer a sua consulta com um especialista.

Nossa dica do Especialista fica por aqui, espero que tenham gostado até a próxima.

#370 - Pum Vaginal ou Flato Vaginal e aí já aconteceu com você?

#370 - Pum Vaginal ou Flato Vaginal e aí já aconteceu com você?


Tipos de Orgasmo Femininos


Orgasmo clitoriano

Ele pode ser atingido pela estimulação do clitóris, por meio do toque ou do sexo oral. É o orgasmo mais fácil de alcançar.

Orgasmo vaginal

Esse tipo de orgasmo envolve o ponto “G” e outras áreas sensíveis dentro da vagina. Esse orgasmo é capaz de aumentar a energia da mulher.

Orgasmos múltiplos

Acontece quando a mulher permanece excitada por muito tempo. 
Os orgasmos acontecem um atrás do outro. O orgasmo múltiplo se caracteriza por uma sequência de orgasmos. Nem todas as mulheres conseguem ter orgasmos múltiplos, mesmo sendo bem estimuladas e nem por isso há algum tipo de problema.

Orgasmo intravaginal

É um dos orgasmos mais intensos, porém mais difícil de alcançar. É o orgasmo por estimulação de pontos específicos dentro da vagina.

Orgasmo do corpo inteiro

Esse tipo de orgasmo é o mais raro, não que seja difícil de ser atingido, 
mas é preciso praticar bastante. Até os homens podem ter um orgasmo de corpo inteiro.

Orgasmo contínuo

Poucas mulheres podem dizer que 
sentiram esse tipo e orgasmo. É mais intenso que o orgasmo múltiplo. Caracteriza-se por uma sensação de prazer continua, goza-se e depois a sensação volta a crescer e assim sucessivamente.

A dra Mônica Lopes  Fisioterapeuta especializada em Uroginecologia e a da Dra. Raquel Armond ginecologista e obstetra do Hospital Anchieta, tiram algumas dúvidas sobre orgasmo:

O que é o orgasmo?

O orgasmo faz parte da resposta sexual humana, sendo ele o ponto 
máximo do prazer sexual. Uma experiência psicofisiológica que envolve entrega, desejo e muita excitação. 

Toda mulher sente o orgasmo da mesma forma?

Não. Cada mulher é genuína na hora do prazer e seu orgasmo pode ser mais curto ou mais prolongado, mais intenso ou menos intenso dependendo de boas preliminares, de seu estado emocional e até da fase da vida em que se encontra.


O que acontece com o corpo no momento do orgasmo?

Os músculos dilatam-se e contraem-se, por causa da maior quantidade de sangue circulando (que aumentou no momento da relação); depois, recebem endorfinas, que acalmam, e ficam quase absolutamente relaxadas. Há um rubor facial e aumento da temperatura corporal devido à ação da adrenalina que aumentam a circulação periférica. 

Na mulher antes mesmo do inicio da relação há uma lubrificação e a excitação promove a ereção do clitóris e dos mamilos. No momento do orgasmo, a lubrificação aumenta, a vagina e a musculatura pélvica apresentam contrações rítmicas. Algumas mulheres sentem contrações muito fortes, outras mais suaves, quase imperceptíveis, 
mas todas são normais.

Em que fase da vida a mulher tem mais facilidade para atingir o orgasmo?

A plenitude sexual das mulheres 
acontece entre 30 e 45 anos e com o tempo, algumas mudanças estruturais, como a queda hormonal, podem interferir na lubrificação da vagina, na própria questão do desejo e consequentemente no orgasmo.

Existe ejaculação feminina?

A ejaculação feminina é mencionada em muitos textos Taoístas desde o século IV DC. Atualmente, um trabalho no The Journal of Sexual Medicine investigou se era urina o líquido que sai da uretra durante a referida ejaculação feminina e concluiu que além de não ser urina, também não era o líquido da lubrificação que permite uma penetração mais fácil. 

Ou seja, segundo essa pesquisa, a ejaculação feminina é um fenômeno incomum, porém fisiológico.

Existe algum remédio para ajudar a mulher a conseguir o orgasmo?

Existe muita especulação a respeito desse tema, pois há uma expectativa muito grande em se descobrir o “Viagra” feminino. Quando a mulher entra na menopausa, seu ginecologista, após avaliação de suas taxas hormonais, pode realizar a reposição hormonal que ajuda na estimulação do desejo e na melhora da lubrificação vaginal. Já em relação ao orgasmo, não existe ainda no mercado nenhum remédio que o facilite.

É normal não conseguir gozar?

Digo que não é normal, mas é comum. 

Algumas mulheres são reprimidas e não conseguem atingir o orgasmo nas relações. Às vezes só conseguem com masturbação por não terem liberdade de falar com o parceiro o que as agrada, as que não se masturbam podem passar a vida sem saber o que é orgasmo. Assim, o importante é procurar um sexólogo para guiar e diagnosticar os problemas, que na maior parte são psicológicos.

#369 - 06 Tipos de Orgasmos Femininos

#369 - 06 Tipos de Orgasmos Femininos

Olá pessoal tudo bem, como vocês estão? Espero que todos estejam bem! 
Eu sou a Edivânia Lima, Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal e esta é a Dica do Especialista. Aqui eu e diversos Especialistas da Saúde e Bem-estar do Casal de todo Mundo damos dicas todos os dias para vocês.
Estou aqui em mais um podcast abordando temas que fazem a diferença no seu relacionamento, levando você a melhorar e alcançar o relacionamento perfeito para você, do jeito que sempre quis!
Para isso, acesse nosso site comunidadeone.site/dicadoespecialista ou pelo nosso Instagram dicadoespecialistaoficial e também entre para a nossa Comunidade One, um aplicativo onde você irá encontrar todo o conteúdo e auxílio que precisa.
E hoje eu vou falar para vocês sobre: COMUNICAÇÃO
você sabe expor o que você quer? Você saber expor o que você não quer!

COMUNICAÇÃO É A BASE DO RELACIONAMENTO PERFEITO
Parece clichê mais é... sem uma comunicação ideal o casal vai sim ter problemas, e muitas vezes, desnecessários.
Pra vocês terem uma ideia, 70% dos problemas podem ser evitados com uma melhor comunicação, e uma comunicação assertiva e não efetiva.
Expressar as emoções pode não ser fácil, mas vale a pena o esforço
Quando você coloca para fora seus sentimentos, isto aumenta sua capacidade para fazer mudanças e fortalecer o vínculo entre você e seu parceiro.
Para algumas pessoas, expressar os sentimentos é como tentar se comunicar numa língua estrangeira. Apesar de a pessoa saber como se sente internamente, descrever este sentimento ou compartilhá-lo com outra pessoa importante em sua vida às vezes é terrível.
E qual é Edivania a comunicação perfeita: a comunicação perfeita, é a comunicação que é perfeita para você, e de repente você está usando a linguagem errada com o seu parceiro.
Então temos a forma errada de se comunicar, a linguagem errada e a falta de empatia.
Quando falamos de comunicação temos a verbal que é o falar diretamente olhando para a pessoa, tem pessoas que preferem escrever. isso mesmo escrever uma carta, um bilhete um cartão, outras preferem falar olhando olho no olho, outras se comunicam através de reações com o corpo, por exemplo, emburra a cara por algum motivo que não gostou, e é sim uma forma de comunicação de dizer que algo incomodou.
E a falta de empatia: que é a comunicação não violenta, o falar e ouvir as pessoas, é uma técnica que te ajuda a se comunicar melhor, diminui brigas, o casal consegue se comunicar melhor, é a forma com que você vai ouvir a outra pessoa, muitas vezes as pessoas não sabem falar, usam palavras violentas, e a comunicação não violenta ajuda muito. A comunicação não violenta ajuda a diminuir as brigas do casal, vai aumentar a intimidade, conhecimento, segurança e apoio, ajuda a ter mais empatia um com o outro, te ajuda a expor melhor as suas idéias.
Segue um exemplo para você entender melhor: a esposa começa a brigar por algo, neste momento eu reflito, (onde estamos, o que está acontecendo, o que eu vou falar vai ser positivo, é analisar a situação sem o pré-julgar.

O segredo aqui é ter inteligência emocional, para pensar antes de responder. (Como eu vou falar é como eu gostaria de ouvir? Não, é o que se fala, é como se fala).

A comunicação não violenta ela serve para diminuir os conflitos, a pessoa precisa ter inteligência emocional, como eu vou falar é como eu gostaria de ouvir, não é o que se fala, é como se fala, vamos analisar outro exemplo:

A esposa grita com o marido na frente da família, utilizando a linguagem do amor não violenta, o parceiro chama ela no canto e diz:

Fernanda, quando você grita comigo na frente da sua família, eu me sinto diminuído e irritado, porque preciso sentir que sou respeitado por você e que sua família veja isso. Você pode me chamar para conversar em particular quando se sentir irritada comigo?

NESTE EXEMPLO AQUI ELE PODERIA REVIDAR, BATER DE FRENTE, MAIS ELE TEVE INTELIGÊNCIA EMOCIONAL PARA RESPONDER DA FORMA QUE ELE GOSTARIA DE OUVIR.
4.FALTA DE INTIMIDADE: vocês sabem o que é intimidade? Já adianto que não é usar o banheiro com a porta aberta rs. tem pessoas que tem medo de falar com o marido, e assim gente, Intimidade é Segurança, é conhecimento, é apoio, e se você não tem segurança você não tem apoio e ai você tem ai a falta de intimidade, que atrapalha e muito na comunicação do casal.
5.DIFERENÇA DE VALORES: porque os valores de um podem ser diferentes dos valores do outro, e com isso ocorrer atritos na comunicação, exemplo: a esposa acha normal a interferência da família na criação dos filhos, o marido já não aceita opinião de ninguém.
6.FALTA DE CONHECIMENTO: sobre relacionamento, comunicação, falta de conhecimento sobre o assunto, e se você tem conhecimento você tem condições de controlar com mais facilidade o seu relacionamento.
Então gente, a primeira coisa que vocês devem olhar, quais barreiras que o casal esta tendo na relação, será que é a forma de empatia, será que é a forma de intimidade, será que é a forma errada de comunicação?
E aí vocês devem estar se perguntando: o que é UMA COMUNICAÇÃO PERFEITA, é quando o casal consegue dominar todas as partes da comunicação,
Muitas vezes você não sabe como o seu parceiro gosta de receber melhor as informações, se ele recebe melhor através de carta, a forma mais confortável mais efetiva que o seu parceiro receba a informação, pode ser que você receba melhor escrita e fale melhor falando, e a forma pode ser diferente de um pro outro	.
Vamos conhecer agora as formas de comunicação:
Comunicação Verbal: É onde eu falo, é a mais usada entre os casais, onde eu exponho o que sinto o que penso através de palavras, frases, enfim...
Temos também a comunicação escrita: algumas pessoas só conseguem se comunicar através de texto, ex. uma carta, um cartão, ou o mais comum hoje né o WhatsApp. 
A comunicação não verbal: essa ocorre por meio de gestos, expressões faciais, corporais, é aquele famoso falar sem dizer nada rs, tipo... ai ai viu... iiiiii. E nessa linguagem a pessoa não fala, ela reage, a pessoa fica brava e fecha a cara, e essa comunicação é tão importante quanto a verbal. E em muitos casos, nossas expressões faciais, gestos, contato visual , postura, tom de voz, até mesmo uma roupa , podem transmitir uma mensagem melhor ou pior que as nossas próprias palavras.
Quando durante uma conversa, seu parceiro ou parceira fecha a cara. fica emburrado por algum motivo, tudo isso passa uma informação, (tipo...olha... a minha cara assim é porque não estou gostando...

 e a questão aqui é como a outra pessoa vai receber isso, o que ele ou ela vai interpretar?

será que vai ser bom ou ruim para o relacionamento?
Nosso relacionamento é um câncer, tipo o casal não briga, mais sempre tem a cara emburrada então entende-se que a pessoa não está feliz, e aí quando vai ver o casal se afasta no relacionamento e na vida sexual.
Gente lhe dar com relacionamento é muito complexo
Temos também o Sincericídio: vocês já ouviram falar essa palavra rs? É quando a pessoa é sincera, sem se importar com o desejo ou a necessidade do outro, as coisas ditas no momento de sinceridade, tem suas consequências e ela não volta mais. 
Não é o que se diz, mais como se diz.
Exemplo: a mulher pergunta: amor esse vestido me deixa gorda?
O vestido não, mais o que você come sim.
Ouvir verdades, é o nosso ego sendo rasgado, e gera uma ferida emocional, e precisa ser usado com critério e responsabilidade na sinceridade porque pode causar danos, ela pode deixar marcar profundas, se ela não tiver empatia, pode afeta-la para o resto da vida.

E caso você ficou preocupado(a), se está cometendo o sincericidio no seu relacionamento, temos uma técnica que pode te ajudar.

A técnica das peneiras, consiste em passar pela análise de 4 peneiras.
1ª A forma que eu vou falar, eu me sentiria bem ouvindo isso?
2ª O que eu vou falar, vai fazer bem ao meu relacionamento ou a minha parceira ou parceiro? 
3ª O que eu vou falar é realmente necessário dizer?
4ª Qual emoção estou sentindo no momento? eu estou com raiva, ansioso, alegre demais, porque isso pode afetar a minha fala, eu estou com raiva? Estou... então eu não vou dizer.
Se falhar em duas peneiras eu não vou dizer, faz um filtro pelas quatros peneiras se não passou, guarda e deixa para falar lá na frente.
Tudo isso vai dizer alguma coisa dentro do relacionamento, e acertar na comunicação é fundamental.
Existem várias maneiras de se comunicar dentro do relacionamento, tudo depende de conhecer o seu parceiro e falar o que sente, sem brigar, sem julgar.

E não existe forma certa, cada pessoa tem a sua forma. O que não serve para um, pode servir para o outro.

O casal precisa identificar qual forma de comunicação estão usando, e ela pode mudar com o tempo, exemplo: se hoje você só consegue se comunicar através da escrita, amanhã você pode mudar e conseguir conversar olho no olho.

A mudança só ocorre quando a pessoa entende, quando a mudança deve acontecer. Então é isso gente, consciência é primeiro passo para a mudança, e aceitação, aceitar que precisam de conhecimento para mudar, e colocar em pratica para as coisas acontecerem, se precisarem de ajuda contem comigo, acessem o meu Instagram especialistaedivania e me chame no direct, terei o maior prazer em te ajudar,

Se você gostou da dica de hoje, Entre para a minha comunidade e tenha acesso exclusivo a mais conteúdos como esse, acesse o meu Instagram especialistaedivania, e no link da bio, tem o meu contato pelo WhatsApp, e escolha a plataforma que você preferir! 
Bom, eu fico por aqui, fiquem com Deus, e a gente se vê na próxima dica do Especialista.

#368 - Comunicação Ideal para o Casal

#368 - Comunicação Ideal para o Casal

Olá meus pessoais , tudo bem com vocês?

Eu sou Marlene Miranda Especialista da Saúde e Bem-estar do Casal.
Este podcast é para ajudar casais de todo o mundo.
Estou aqui mais uma vez com mais uma dica do especialista.

Algum de vocês já́ ouviu falar de Disporia ou Depressão pós sexo?

Você ou seu parceiro ou sua parceira já́ sentiu tristeza, vergonha, irritação, sensação de vazio, angústia, ansiedade, choro sem motivo aparente, ficou agressivo(a) após o orgasmo ou relação sexual? Se a resposta for sim para algum sintoma desses acima, então pode ter tido Depressão pós sexo ou Disporia.

Nessa dica do especialista você̂ conhecerá os principais sintomas, o que causa e principalmente como lidar quando isso acontecer com você̂ ou seu parceiro(a).

Muitas pessoas têm os sintomas, mas nem sabe o que pode ser. Eu por exemplo já tive algumas vezes, mas nem imaginava o que era na época, eu me sentia estranha, triste, envergonhada, arrependida, não cheguei a chorar e nem ser agressiva ou ficar irritada, mas era muito chato, estranho a situação mas eu achava que o motivo era a separação, eu tinha me separado a pouco tempo então, na época tive essa conclusão, só agora a pouco tempo quando mim tornei Especialista da saúde e bem-estar do casal que descobri o que era, mas na época eu realmente achei que era por causa de minha separação recente, afinal foi um relacionamento de dez anos, com certeza é isso, imaginei.

Nunca imaginei que existia Depressão pós sexo ou Disporia e assim como eu você̂ também pode achar que é qualquer coisa menos Disporia ou Depressão pós sexo e vou falar pra vocês isso não acontece só com mulheres, homens também tem viu .

Até hoje, a maioria dos estudos sobre disforia pós-sexo era focada no sexo feminino. 

Pesquisas mostram que entre 33% e 46% das mulheres já passaram por isso pelo menos uma vez na vida, enquanto um percentual de 5% a 10% afirma ter apresentado os sintomas várias vezes durante o último mês.

Na verdade, existia uma crença de que a condição acomete apenas mulheres. Mas um estudo recente revelou que os homens também sofrem com os mesmos sintomas. 

Psicólogos da Universidade de Tecnologia de Queensland, na Austrália, entrevistaram 1.208 homens de diferentes países.

O resultado mostrou que 41% já sofreram com condição pelo menos uma vez na vida, 20% vivenciaram a experiência no mês anterior e entre 3% e 4% sentem depressão pós-sexo regularmente.

Segundo os autores do estudo, a experiência dos homens logo após o sexo é "muito mais variada, complexa e com nuances do que se imaginava anteriormente".


A disforia pode estar relacionada a um processo hormonal na amígdala neural, estrutura do cérebro responsável por regular nossos sentimentos e emoções.

Durante a relação sexual, a amígdala pode reduzir sua atividade e, depois do ato, é ativada novamente", diz à BBC News Mundo, o serviço em espanhol da BBC, o médico Fernando Rosero, especialista em saúde sexual diz,o estado de ânimo com a explosão de hormônios que inundam o organismo durante o sexo (endorfinas, oxitocina e prolactina). 

Segundo ele, o orgasmo libera uma grande quantidade de hormônios que promovem o vínculo afetivo e a sensação de bem-estar. Mas seus níveis se reduzem depois do orgasmo, voltando aos patamares habituais, o que causa um pequeno desarranjo. 

Mas o transtorno também pode estar ligado ao estresse psicológico, outras disfunções sexuais ou fatores culturais.

A disforia pode ser ainda produto de uma educação sexual muito opressiva, em que o sexo possa gerar questionamentos ou angústia para a pessoa.

Seja qual for o caso, os especialistas recomendam que, ao apresentar qualquer sintoma, as pessoas procurem um médico, porque há diferentes tratamentos para a disforia pós-sexo. 

Marlene, isso é para sempre? Se acontecer uma vez, vai acontecer sempre? Vai acontecer comigo todas as vezes após o sexo? 
Por exemplo, no meu caso só fiquei assim poucas vezes, mas existem casos mais graves que o meu ou seja acontece mais vezes.E caso aconteça com frequência o correto é procurar um Especialista da saúde e bem-estar do casal.

Bem, agora que você̂ já sabe que existe , quando acontecer isso com o seu parceiro ou parceira, tenha calma,não critique,converse, abrace, diga que ama, todos esses atos aumentam o bem estar. 

Marlene tem como evitar? Não, não tem como evitar, mas o Especialista da saúde e bem-estar do casal pode te orientar como evitar que aconteça ,a te dar orientações do que fazer para prevenir .

Mas Marlene como o especialista da saúde e bem-estar do casal pode fazer para ajudar? 

Ele pode te indicar alguns suplementos para aumentar a serotonina, atividade física, conversar, tem também alguns alimentos que e muito bom comer depois do sexo como: nozes, castanha, chocolate amargo, castanha, barrinhas com aveia e até mesmo comida, existem muitas comidas que aumentam a serotonina.

Mas se acontecer com o seu parceiro ou parceira você̂ pode dar um abraço, faça carinho, elogiar, recordar momentos felizes que passaram juntos, isso tudo o especialista pode te indicar e te ajudar ou ajudar o seu parceiro ou parceira, por isso é importante procurar um Especialista da saúde e bem-estar do casal este é o melhor profissional pra você̂ procurar, procure na sua cidade, mas na minha cidade não tem, procure na internet, você̂ pode fazer uma consulta online . Afinal o ato sexual é para te deixar feliz, leve e não com depressão pós sexo .

Hoje com o conhecimento que tenho  partir de hoje vai ser muito mais fácil lidar com a situação.

Se você̂ tem algum problema no relacionamento e na sexualidade procure um especialista da saúde e bem estar do casal , se você̂ for um especialista e o seu problema não for da competência dele, com certeza ele te encaminhará para outro profissional que possa te ajudar.

Então pessoal vocês gostaram, vocês sabiam que existia a depressão pós sexo ? Você̂ conhece alguém que tem ? Se você̂ conhece, envie pra esta pessoa de repente você̂ pode transformar a vida dessa pessoa. Coisas boas temos que compartilhar, assim como eu não conhecia a Disporia alguém próximo a você̂ também não sabe e de repente está́ sofrendo com isso .Então envie, compartilhe com alguém . 

Nossa dica do especialista fica por aqui, espero que você̂ tenha gostado desse conteúdo assim como eu quando vi pela primeira vez . 

Não esqueçam de compartilhar para alguém, transforme a vida de alguém com esta informação assim como eu posso está transformando a sua vida você̂ também pode transformar a vida de alguém, compartilhe Até a próxima .

#367 - Depressão pós sexo, existe?

#367 - Depressão pós sexo, existe?